ISAIAS CAP.25

O SENHOR, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei, e louvarei o teu nome, porque fizeste maravilhas; os teus conselhos antigos são verdade e firmeza. Porque da cidade fizeste um montão de pedras, e da cidade forte uma ruína, e do paço dos estranhos, que não seja mais cidade, e jamais se torne a edificar. Por isso te glorificará um povo poderoso, e a cidade das nações formidáveis te temerá. Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado, na sua angústia; refúgio contra a tempestade, e sombra contra o calor; porque o sopro dos opressores é como a tempestade contra o muro. Como o calor em lugar seco, assim abaterás o ímpeto dos estranhos; como se abranda o calor pela sombra da espessa nuvem, assim o cântico dos tiranos será humilhado. E o SENHOR dos Exércitos dará neste monte a todos os povos uma festa com animais gordos, uma festa de vinhos velhos, com tutanos gordos, e com vinhos velhos, bem purificados. E destruirá neste monte a face da cobertura, com que todos os povos andam cobertos, e o véu com que todas as nações se cobrem. Aniquilará a morte para sempre, e assim enxugará o Senhor DEUS as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de toda a terra; porque o SENHOR o disse. E naquele dia se dirá: Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará; este é o SENHOR, a quem aguardávamos; na sua salvação gozaremos e nos alegraremos. Porque a mão do SENHOR descansará neste monte; mas Moabe será trilhado debaixo dele, como se trilha a palha no monturo. E estenderá as suas mãos por entre eles, como as estende o nadador para nadar; e abaterá a sua altivez com as ciladas das suas mãos. E abaixará as altas fortalezas dos teus muros, abatê-las-á e derrubá-las-á por terra até ao pó.

Justiça de Brasília manda tirar Marcha do calendário oficial

Atendendo a uma solicitação do governo do Distrito Federal o Conselho Especial do Tribunal de Justiça de Brasília concedeu uma liminar suspendendo parte de lei que incluiu a Marcha para Jesus no calendário oficial de eventos oficiais. A lei que foi aprovada em 1997, determina que o governo contribua financeiramente para a realização da marcha que se realiza todos os anos. Ao julgar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, o TJ sentenciou que somente o Executivo pode tomar decisão que crie despesas. A lei, no caso, foi aprovada pela Câmara. Antes de anunciar a sentença, o Tribunal ouviu a presidência da Câmara, que argumentou não haver necessidade de uma medida liminar (decisão de urgência) porque na prática a lei não criou despesas. Para o TJ, contudo, a lei é inconstitucional e tomou a decisão para “resguardar o orçamento público”. Por se tratar de uma medida provisória, o seu mérito ainda terá de ser julgado pelo plenário do Tribunal. A Marcha de Jesus é realizada por igrejas evangélicas em centenas de cidades. Muitas delas, a exemplo da de Brasília, dependem do dinheiro público. A decisão da Justiça do Distrito Federal poderá servir de base para o julgamento de tribunais de outros Estados. Fonte: Paulopes Publicado por Redação em quarta-feira - 20 de julho de 2011

Ministério Público acusa Testemunhas de discriminação

O Ministério Público Federal do Ceará protocolou no dia 14 deste mês uma ação civil pública contra a religião Testemunhas de Jeová por praticar a discriminação religiosa em relação aos seus ex-fiéis. A procuradora Nilce Cunha Rodrigues tomou a iniciativa a partir de uma representação do funcionário público Sebastião Oliveira (foto) que, após ser expulso da religião, passou a ser discriminado por colegas de trabalho, amigos e parentes, incluindo a sua mãe, que seguiram as normas de conduta da TJs. Oliveira começou a frequentar a TJs em 1998 e foi batizado em 2001. Em 2009, por questionar alguns pontos doutrinários da religião, ele foi sumariamente expulso (ou “desassociado” no jargão religioso) da denominação, passando a ser vítima de intolerância por parte das pessoas que continuaram na religião. Nilce destacou que, pelos relatos de Oliveira, houve, “forma evidente”, uma atitude de desrespeito para com os “direitos fundamentais da dignidade humana, da igualdade da honra e da imagem, da liberdade de consciência e crença e da livre associação”. Ela observou que as TJs são incongruentes porque se relacionam com pessoas de outras religiões para doutriná-las, batendo de porta em porta, mas não com quem deixa ou é expulso da denominação. O ex-fiel “passará a sofrer ações de hostilidade e rejeição pelo mesmo grupo que antes o acolhera quando era praticante de outra religião”. Na avaliação da procuradora , o propósito das TJs é “infligir sofrimentos” aos ex-fiéis “como forma de punição pelo fato de terem se afastado dos ensinamentos que a organização considera como verdade transmitida diretamente por Deus ao Corpo Governante”. Disse que se trata de um caso de violação do artigo 5º da Constituição Federal segundo o qual todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. Ela pediu à Justiça que impeça as TJs de proibir que os ex-fiéis convivam com seus familiares. Nesse sentido, as entidades que representam a religião não poderão pregar por qualquer meio de comunicação, inclusive oral, a intolerância religiosa. Solicitou, também, a aplicação de multa diária de R$ 10 mil para cada caso de desobediência. Agora, a Justiça terá de se manifestar. Fonte: Paulopes

Noites Traiçoeiras: entidade desmente evangélica do Piauí

E continua a polemica sobre o verdadeiro autor da música Noites Traiçoeiras, que foi um grande sucesso – e ainda é, na voz do Padre Marcelo Rossi. Ontem, Carlos Papae anunciou ser o verdadeiro autor da música. (Clique aqui e saiba mais). No final da tarde desta terça, a Associação Brasileira de Música e Artes desmentiu que tenha reconhecido que a música “Noites Traiçoeiras’, um dos sucessos do padre Marcelo Rossi, seja de autoria da evangélica Marianalva Santos (foto), 39, diferentemente, portanto, do que ela afirmara em entrevistas no Piauí, estado onde mora. Marinalva e seu marido, o pastor Francisco Felipe Cordeiro, afirmaram que iam entrar em contato com o padre Marcelo para discutir os direitos autorais com base em parecer da associação segundo o qual a música é plágio. Os dois, inclusive, ameaçaram processar o padre, caso ele não quisesse conversar. A assessoria jurídica da associação informou que esse parecer nunca existiu. Marinalva tinha dito que compôs a música em 1999 em parceria com Vânia Nunes, uma amiga da Igreja Assembleia de Deus Missionária de Uberlândia, Minas. Contudo, de acordo com Luciana Fernandes, representante de Papae, o compositor gravou a música em 1986, conforme prova um disco vinil. Tanto que ele já recebeu 50% dos direitos autorais e agora tenta na Justiça obter o restante. Ela disse ter informado o casal de evangélicos por telegrama sobre o processo judicial. Desde o desmentido da associação, o casal tem evitado a imprensa. O padre Marcelo gravou a música em 2008 e já vendeu mais de 1 milhão de cópias. Ouça a música…
=================================
O QUE FAZ O DINHEIRO. DEVERIA SER PARA HONRA E GLÓRIA DO SENHOR JESUS E NÃO PARA FICAR EM DISPUTAS FINANCEIRAS. POIS PENSO QUE O LOUVOR (O NOME JA DIZ) É PARA QUE NOSSO DEUS SEJA EXALTADO E QUE TODOS POSSAM CONHECE-LÓ. DEUS SEJA CONTIGO. AMÉM.

Patriarca “unge” sem querer bispa e causa mal estar

Na Conferência Apostólica realizada na tarde deste sábado, 16, o apóstolo Renê Terra Nova chamou a bispa Sonia Hernandes de “apóstola do avivamento”. A afirmação de Renê criou mal-estar na liderança da Igreja Renascer em Cristo. Já na reunião da noite, o apóstolo Estevam chamou a bispa Sonia no altar para ministrar a oferta, ao chamá-la alguns membros gritaram “apóstola Sonia”, logo Estevam corrigiu dizendo “não, bispa Sonia Hernandes”. O apóstolo Estevam explicou o ocorrido: “Queridos, o apóstolo Renê Terra Nova chamou a bispa de apóstola porque ele tem uma visão e respeitamos, mas ele não ungiu a bispa. Ela continuará sendo bispa, não temos essa visão (de apóstola)” explicou, criando um silêncio no ginásio. O apóstolo Estevam explicou ainda que não tem nada contra o título de apóstola, mas na Renascer isso não existe. Ao pegar o microfone a bispa Sonia avisou: “Quero continuar debaixo dessa visão, sou bispa. Eu quero é mais poder de Deus” Renê Terra Nova por diversas vezes afirmou que os apóstolos são patriarcas, o que também não é aceito pela Igreja Renascer em Cristo. Fonte: Gospel +

René Terra Nova é consagrado a Patriarca

O apóstolo René Terra Nova, do Ministério Internacional da Restauração (MIR), foi reconhecido no dia 19 de junho, publicamente diante de sua igreja, em Manaus, como patriarca. O titulo, segundo nota postada em seu blog, reconhece o papel de patriarca o qual o apóstolo Renê tem exercido no Brasil e nas nações por onde tem passado. O titulo é semelhante ao de Abraão. René foi o precursor do movimento G12 no Brasil. Após a entrada dos estandartes que representam as 12 tribos, das bandeiras dos 27 Estados brasileiros, e dos representantes internacionais, foi exibido um vídeo mostrando as marcas do patriarcado na vida dos apóstolos do MIR, culminando no ato profético do manto sacerdotal, em cor púrpura, sobre a vida do casal de apóstolos, Renê e Ana Marita Terra Nova. O apóstolo Fabio Abud, de São Paulo, foi o primeiro a falar, declarando que reconhecia o manto de Patriarca sobre a vida do apóstolo Renê e agradecia pelo pai espiritual que tem a Visão Celular no Brasil. Em seguida, o presidente da ICEJ, Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém, Malcolm Hedding,declarou que Israel reconhecia o legado patriarcal que possui o apóstolo, lembrando o chamado de Abraão. Em mensagem exibida no vídeo, a apóstola Valnice Milhomens, que esteve no MIR, declarou a importância do apóstolo Renê Terra Nova para o Brasil, devido a sua liderança de amor, dedicação, e seriedade no que faz. O apóstolo Marcel Alexandre representou a voz local, e emocionado declarou em nome de todo o MIR, e igrejas de Manaus, o reconhecimento de que há um Patriarca de uma visão no Brasil, e mentor de uma nova geração de líderes desatados na Visão.

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.