Fenômeno cria efeito em volta do sol no Brasil e cristãos acreditam que é a volta de Jesus Cristo

















Nesta sexta-feira, 30 de setembro, perto do meio-dia, o céu de Brasília foi embelezado pelo fenômeno conhecido como ‘halo’ (uma espécie de arco parecido com um arco-íris circulando o sol) e imediatamente o fato virou assunto no Twitter. Usuários da rede social acreditaram que o desenho ao redor do sol seria um sinal da volta de Jesus.

“Gente olhem pro sol!!! JESUS ESTÁ VOLTANDOO. este é O SINAL!” enviou um usuário para o Gospel+ no twitter. Outra twitteira publicou que “hoje o sol tava tão bonito. Meu primo leu na Bíblia que é sinal que Jesus volta em breve”. “Pessoas, olhem pro SOL, olha o sinal da vinda de JESUS! :)”, disse uma jovem terapeuta que sonha em ser pastora em 2016.

O alto número de cristãos que creditaram o halo solar a volta de Cristo aconteceu devido ao texto bíblico de Lucas 21:25 que alerta que o retorno de Jesus será antecedido por vários sinais em diversos lugares, inclusive no sol, na lua e nas estrelas: “E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas.”

Mais nem todos os usuários creram que o mundo estivesse acabando, indo na contramão das opiniões o usuário @transformacaoex viu um simbolismo maior no fenômeno: “Meninas de Brasília, vcs viram o sinal da Aliança do nosso Deus em volta do sol neste momento? Este circulo de cores está lindo! #MARANATA”, exclamou ele.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o fenômeno conhecido como halo é formado pelo reflexo do Sol em cristais de gelo. “É um fenômeno meteorológico provocado por finíssimas luzes de cristais de gelo que ficam dentro das nuvens e são rebatidas pelo Sol”, disse o meteorologista do Inmet Manuel Rangel. A duração do halo varia, chegando a permanecer até mesmo durante uma hora no céu.

Após revelação de que o halo era apenas um fenômeno simples muitos brincaram satirizando aqueles que realmente afirmavam que o ocorrido seria um aviso da volta de Cristo: “Eu achando que Jesus tinha voltado ou sei lá os aliens invadiram a Terra e não, tem um círculo gay em volta do sol… –” tuitou @JonFonseca.



Fonte: Gospel+

Pastor cristão é condenado a pena de morte por se recusar a mudar de religião




















O pastor Youcef Nadarkhani, 34, que se converteu do islamismo para o cristianismo foi condenado à pena de morte no Irã por recusar voltar à sua antiga religião. Ele se recusou a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a se converter novamente ao islamismo. A sentença foi proferida por uma corte na província de Gilan, na cidade de Rasht.
O pastor foi detido em outubro de 2009 quando tentava registrar sua igreja na cidade. Youcef começou a questionar a supremacia dos muçulmanos para doutrinar as crianças, e acabou acusado de tentar “evangelizar” muçulmanos e de abandonar o islamismo, o que pode levar à pena de morte no país.
Sua primeira condenação aconteceu em 2010, mas a Suprema Corte do Irã interveio e conseguiu adiar a sentença. Ao ser revisto, o processo resultou na mesma condenação ao fim do sexto dia de audiência, nesta quinta-feira.
No tribunal, o pastor disse que não tinha intenção de voltar ao islamismo, chamando sua crença anterior de “blasfêmia”.
Agora, a defesa de Youcef tentará novamente recorrer à Suprema Corte, pedindo a anulação da pena. O advogado de Youcef, Mohammed Ali Dadkhah acredita que tem 95% de chance de anular a sentença. No entanto, alguns apoiadores temem que a Suprema Corte demore para analisar o pedido e o pastor seja executado nos próximos dias.
O ministro de Relações Exteriores britânico, William Hague, comentou o caso e pediu que o Irã cancele a sentença. ”Eu repudio o fato de que Youcef Nadarkhani, um líder cristão, possa ser executado por se recusar a cumprir a ordem da Suprema Corte para que ele se convertesse ao islamismo. Isso demonstra que o regime iraniano continua não respeitando o direito à liberdade religiosa”.
O último cristão executado por questões religiosas no Irã foi o pastor da Assembleia de Deus, Hossein Soodmand, em 1990. No entanto, dezenas de iranianos que se converteram ao cristianismo foram misteriosamente assassinados nos últimos anos.




As informações são do jornal britânico “Daily Mail“.
Fonte UOL

Aprendendo a perdoar e se expor






























Quando perdoamos não apenas liberamos a outra pessoa, mas principalmente liberamos a nós mesmos. O sentimento de vingança, raiva, ódio é auto-destrutivo. É como tomar veneno e esperar o outro morrer.

Quem perdoa vive feliz. Não há como ser feliz sem perdoar. Temos expectativas altas sobre as pessoas e às vezes impomos coisas demais para amá-las e nos esquecemos que amamos estas pessoas independente do que seja, simplesmente amamos. Amar também significa perdoar os pequenos defeitos, saber entender no momento de necessidade, estar do lado na angústia e caminhar junto mostrando a direção quando o outro não sabe e claro, estar disposto a se expor e ser ajudado. A intimidade é mais do que apenas desfrutar momentos bons juntos ou estar o tempo todo do lado. A intimidade é conhecer cada defeito e amar cada detalhe. Intimidade é não ter medo de expor suas angústias, problemas e defeitos. É sentir confiança de que o outro não vai me condenar, mas sim me apoiar sempre.

Carregamos sobre os nossos ombros um fardo pesado demais, onde na maioria das vezes é um peso de falta de perdão seja com os outros, seja consigo mesmo. Falta de perdão por achar que poderia ter feito diferente, ou por se sentir incapaz, ou por achar que não pode mudar, ou por simplesmente ter esquecido que o fardo de Jesus é leve.

A vida em abundância que Jesus disse que veio pra dar vai além do que as pessoas dizem que tem. Muitos dizem que tem Jesus no coração e que desta forma tem paz e vida em abundância. Isto não necessariamente é verdade.

Para se ter paz no coração e vida em abundância é necessário amar e perdoar. Se não há perdão não há vida em abundância. Se não há amor não há plenitude de vida. Se não há entrega não há nada de novo.

Temos medo do novo. Medo de nos entregar. Não confiamos em ninguém e acabamos criando uma bolha sobre nós para não precisar nos expor para ninguém. Pouquíssimas pessoas, ou ninguém nos conhece de verdade. Assim carregamos um fardo sozinhos, fardo esse difícil demais de carregar. Criamos máscaras, nos isolamos.

E assim é nosso relacionamento com Deus. Não nos expomos para aquele que nos criou e sabe tudo, mas apenas quer nossa dependência dEle. Buscamos a Deus como um consultor, aquele que nos ajuda em casos especiais que não conseguimos lidar. É nosso empregado especial. Ou então dizemos que Deus está acima de tudo na nossa vida. Ás vezes Ele está tão acima de tudo, que fica até alto demais para participar de nossa vida. É como a Bíblia, é tão sagrada que nem encostamos nela.

Deus quer participar de tudo. Quando nos criou não foi para que fosse nosso Deus apenas, para colocarmos acima de tudo, mas sim para caminharmos juntos dEle. Ele nos ama.

Libere-se do seu fardo. Exponha-se para Jesus. Perdoe se libere desta mágoa que apenas não te permite continuar a crescer.

Quando Jesus disse que o fardo dele é leve e o jugo é suave, é porque o Jugo era o cangalho do boi. Onde era colocado sobre dois bois para arar a terra.

Se fosse colocado sobre dois bois inexperientes, ambos iriam achar o jugo leve demais no inicio e iriam rápido ficando totalmente fatigados no meio do dia. Desta forma o agricultor colocava um boi mais experiente do lado de outro inexperiente, para que este aprendesse com o outro e assim caminhavam a jornada de um dia nos passos certos agüentando levar a carga tranquilamente.

Jesus quer caminhar do nosso lado e nos ensinar a levar nosso jugo. O jugo dele é suave. Ele é o boi experiente. Não queira ir só, porque no meio do caminho você não vai agüentar mais.

Aprenda com Jesus que é manso e humilde. Exponha-se pra Ele. Busque intimidade com o Pai. Ele já sabe e continua te amando, basta você falar o que Ele já sabe e já perdoou, mas Ele quer te ouvir.

Que Deus, o nosso amado Pai nos abençoe!



Extraído do Blog Somente a Graça
Por Daniel Simoncelos (perfil no G+ Social)

Polêmica: Câmera de segurança teria flagrado anjo descendo do céu. Verdadeiro ou falso? Veja o vídeo






Uma câmera de segurança numa praça da cidade de Jacarta, capital da Indonésia, teria flagrado um anjo caindo do céu. As pessoas que estavam na praça garantem que a forte luz que cai do céu e se “agacha”, antes de dar um salto, e sumir, era um anjo.

No vídeo, após a queda, aparecem pessoas correndo na direção onde o anjo tinha aparecido e procuram vestígios, porém aparentemente não encontram nada. O incidente teria acontecido no último dia 11 de setembro e não há informações se outras câmeras da cidade flagraram o “anjo” de outros ângulos.

A polêmica tomou espaçou em sites e blogs em todo o mundo, muitos afirmam que o vídeo é falso, outros acreditam que não seja um anjo, mas sim um alienígena. “Meu primo estava na praça naquela noite, e as pessoas que testemunharam a cena ficaram conversando sobre isso a noite inteira. É real. Eles viram uma luz brilhante descendo do céu, batendo no chão e depois desaparecendo”, disse o indonésio Pramana Abbas.

Assista ao vídeo:





Marco Feliciano responde a Edir Macedo por comparar igrejas a macumba: “a diferença é que lá é imitação barata”. Assista





O Pastor Marco Feliciano respondeu através de seu programa a pergunta do Bispo Edir Macedo de qual seria a diferença entre um culto pentecostal e um ritual de uma religião afro-brasileira. “A diferença é que aqui tudo é original, lá no terreiro de macumba, é imitação barata”, afirmou Feliciano no vídeo.

A polêmica foi causada pelo Bispo Macedo, em seu programa de televisão, quando veiculou um vídeo onde aparecem lado a lado, o Pastor Marco Feliciano em um culto pentecostal e pessoas num ritual afro-brasileiro, com giros e outras expressões que foram colocadas como sendo semelhantes.

Em seu programa de televisão, Feliciano veiculou a resposta, que ele gravou durante um culto na Igreja do Gama, em Brasília (DF) e republicou o vídeo em seu blog.

Durante o culto, Feliciano contou aos presentes que ele havia recebido o vídeo com a íntegra do questionamento feito pelo Bispo Macedo. “Mandaram um vídeo pra mim e esse vídeo me fez dar um pulo da cadeira de raiva. Deu vontade de quebrar o computador”, afirmou. Na sequência, Marco Feliciano lista alguns exemplos ressaltando que as outras religiões é que imitam os cristãos pentecostais e resume: “A diferença é que nosso Deus tem todo poder”, sentenciou.

Assista ao vídeo:


Homem-bomba explode em igreja evangélica após culto














Um ataque suicida deixou pelo menos 17 feridos na frente de uma igreja protestante na cidade de Surakarta, na Indonésia, neste domingo (25). O local fica na ilha de Java, uma das principais do país. O ataque aconteceu às 10h50 no horário local (00h50 em Brasília), quando fíeis deixavam a reunião.

As autoridades do país confirmam somente a morte do próprio terrorista. Testemunhas falam em pelo menos três mortos, mas a informação não foi confirmada pela polícia indonésia, que ainda não terminou a investigação sobre o caso. Os feridos foram encaminhados para hospitais na cidade, que fica no meio da ilha e também é conhecida como “Solo”.

O local é a cidade natal de Abu Bakar Bashir, considerado o guru espiritual por trás do grupo que provocou a morte de 200 pessoas em um atentado em Bali em 2002.

Um dos países com o maior número de muçulmanos no mundo, a Indonésia foi o palco de diversos conflitos religiosos na última década. A luta entre islâmicos e cristãos foi intensa nas Ilhas Molucas e em Célebes desde a queda do ex-presidente Suharto em 1998.

Boa parte dos atentados com bomba na Indonésia é ligada ao grupo Jemaah Islamiya, um braço da organização terrorista al-Qaeda no sudeste da Ásia.

O domingo na Indonésia ainda contou com a morte de 13 pessoas após o naufrágio de um barco com 40 pessoas, também na região da ilha de Java. Nove pessoas estão desaparecidas e outras 18 se salvaram.

Fonte: G1

Milhares de membros de igreja dançam coreografia no meio de praça lotada para divulgar denominação. Assista








Uma igreja na Hungria encontrou uma maneira diferente para divulgar a denominação em sua cidade e assim conseguir novos fiéis. Vestidos com roupas coloridas e exibindo muitos sorrisos, os evangélicos romperam a timidez e dançaram para milhares pessoas presentes em uma famosa praça de Budapeste e milhões de pessoas na internet.

A igreja Faith Church posicionou diversas câmeras em volta da apresentação, incluindo câmeras aéreas que possibilitaram belas imagens, para poder disponibilizar o vídeo no Youtube. Os vídeos da igreja já foram visto por mais de meio milhão de pessoas em todo o mundo.

A música escolhida é UpToFaith feita pela própria igreja e disponível para download gratuito no site da denominação. Confira a performance realizada em Budapeste, capital da Hungria:



Não foi a primeira vez que a denominação realizou coreografias ao ar livre, ato conhecido na internet como flashmob. Na Pascoa de 2010 a dança da denominação ganhou o mundo ao ser vista por quase dois milhões de pessoas na internet:



Fonte: Gospel+













Estudo revela: Facebook, Google e outros grandes sites censuram severamente conteúdos cristãos

Publicado por Renato Cavallera (perfil no G+ Social) em 26 de setembro de 2011
Um novo estudo revelou que o Google e outros grandes sites de mídia social como Facebook de forma enérgica estão censurando as opiniões cristãs e conservadoras. O relatório, conduzido pela Mídia Religiosa Nacional (MRN) e pelo Centro Americano de Lei e Justiça, examinou as políticas e práticas de várias grandes plataformas de comunicação da “nova mídia” interativa de internet e provedores de serviço de internet, inclusive a Apple e sua Loja de Aplicativos iTunes, Facebook, Google e outros. O estudo revelou que algumas empresas de tecnologia da nova mídia estão de forma descarada banindo conteúdo cristão, e que todos os sites de mídia social, exceto o Twitter, têm políticas de liberdade de expressão que são mais restritivas do que os direitos de livre expressão garantidos na Constituição dos EUA. De acordo com o estudo, sete grandes sites de mídia social baniram “expressões de ódio”, um termo que os autores do estudo apontam que “é muitas vezes aplicado na cultura para reprimir comunicadores cristãos”. Os autores do estudo também revelaram que algumas das empresas de mídia reagem de forma favorável às exigências de grupos de pressão que pedem que as opiniões conservadoras ou cristãs sejam censuradas. O estudo nota que quando estabeleceu novas normas para seu “Google para Uso Sem Fins Lucrativos” em março de 2011, o Google recusou colocar na lista “igrejas e outros grupos religiosos” que consideram “a religião ou orientação sexual em práticas de contratação”. As igrejas cristãs que solicitaram o software completo das ferramentas do Google produzidas para uso sem fins lucrativos foram rejeitadas. Em outra ocasião o mais potente programa de busca do mundo inicialmente proibiu o Instituto Cristão Britânico de comprar espaço para um anúncio sobre aborto. O mecanismo de busca só permitiu o anúncio depois que o Instituto Cristão Britânico processou o Google. Por duas vezes, a Apple removeu, de sua Loja de Aplicativos do iTunes, aplicativos que continham conteúdo cristão, documentou o estudo. Em ambos os exemplos, a Apple confessou que esses aplicativos tiveram acesso negado porque a Apple considerou as opiniões cristãs expressas nesses aplicativos como “ofensivas”. “Dos 425.000 aplicativos disponíveis no iPhone da Apple, os únicos censurados pela Apple por expressarem opiniões normalmente legais foram aplicativos com conteúdo cristão”, comenta o estudo. Por sua parte, o Facebook vem de forma pública fazendo parceria com ativistas homossexuais para “erradicar comentários anti-homossexualismo em sua plataforma”, revelou o relatório. “Tudo isso indica que conteúdos cristãos que critiquem a homossexualidade, o casamento de mesmo sexo ou práticas semelhantes estarão em risco de sofrer censura [por parte do Facebook]”, diz o estudo. Aliás, em alguns casos tais conteúdos já foram removidos pelo site de rede social. Myspace, outro site de rede social semelhante, mas menos popular do que o Facebook, também tem uma política de banir conteúdo “homofóbico”. A organização pró-vida Live Action tem enfrentando muitos casos de censura da nova mídia. Numa conversa com LifeSiteNews sobre o estudo da MRN, David Schmidt, diretor de meios de comunicação de Live Action, recordou uma ameaça de censura vinda do YouTube no começo deste ano. “Fomos ameaçados no começo deste ano”, disse ele. “Depois que nosso advogado enviou uma carta ao YouTube, eles não removeram nossos vídeos. Felizmente, eles foram considerados como vídeos que ‘merecem ser publicados’, uma política padrão para todos os usuários”. Schmidt disse que a maioria dos vídeos de Live Action foram rejeitados pelos Vídeos Promovidos pelo YouTube por causa “de alguma questão de conteúdo”. Os autores do estudo da MRN apontam para o fato de que as atitudes das empresas da nova mídia para com os conteúdos cristãos são importantes, pois atualmente “algumas das gigantescas empresas da ‘nova mídia’ são os guardiões das novas plataformas de comunicação com base na internet”. “Há um perigo real e presente de que essas empresas possam, e em alguns exemplos realmente tenham, feito o compromisso de censurar opiniões como consequência de seu controle exclusivo dessas tecnologias”. Fonte: Notícias Pró-Família

Dicas para pais de adolescentes

“Às vezes teus pais não te compreendem ou não querem colocar-se em seu lugar. Você tentou colocar-se no lugar deles?” PAIS! UFA!! Os pais se comportam, às vezes, de formas muito estranhas. Quando você é pequeno, sempre andavam atrás de você dizendo para lavar as mãos e se pentear. Agora, se vêem você diante do espelho, riem e falam que é um convencido. Não há quem os entenda! Em determinado momento estão furiosos porque dizem que é demasiado independente; no minuto seguinte se queixam alegando que sempre está “grudado” a eles e que não é suficientemente independente. Te ridicularizam diante de teus amigos, não respeitam sua vida privada; enfim, somente parecem desfrutar amargurando a sua existência e fazendo-lhe a vida muito mais difícil do que já é. E, é a isto que se chama de “ser pais”? Não se dão conta de que os adolescentes também tem seus próprios sentimentos? Sim, é claro que se dão conta. Mas estão rodeados de tantos problemas, e preocupados por tantas dificuldades, que a grande realidade de que você é um ser humano, com direito a pensar, a sentir e a viver por você mesmo, às vezes parece ficar relegado a um segundo plano. O certo é que quando os filhos se convertem em adolescentes, os pais enfrentam uma situação completamente nova, que a maioria das vezes é surpreendente e inesperada: seus filhos queridos, bons e obedientes, se convertem em um momento para outro em adolescentes voluntariosos e difíceis de governar. Da noite para o dia se vêem com toda sorte de novas situações: seus filhos saem com garotas (ou vice-versa), assistem a excursões de vários dias, praticam esportes perigosos, começam a trabalhar… É verdade que também eles passaram por tudo isto, mas com uma diferença: não como pais, senão como adolescentes. Naquela ocasião os pais eram outros, que lutavam e reprimiam, e era eles quem tocava exigir. Mas agora, tem passado a ocupar o lugar de pais, e se sentem responsáveis por você, e na obrigação de ajudá-lo em toda classe de dificuldades e problemas, a maioria dos quais são totalmente novos para você. Deve compreender que para eles, somente o fato de viver com você, com seus costumes, sua música e sua forma de se vestir, já lhes é difícil, quando não frustrante. Não tem que ficar espantado, pois se algumas vezes se mostrarem inquietos e preocupados. Possivelmente passaram a ocupar sua posição de pais sem estarem tão bem preparados como deveriam. Muitos pais arrastam consigo um lastro de problemas de sua própria infância e juventude; problemas que às vezes se remontam a várias gerações atrás, dentro da tradição da família. Têm todo tipo de temores. Estão inseguros de suas próprias idéias e valores, e possivelmente ainda não tem realizado um projeto de vida que os satisfaça totalmente. Por outra parte, seu crescimento e desenvolvimento tem criado neles um sentimento mais vivo de dor que produz na vida a perda dessas coisas que se querem. Para alguns pais, ao dar-se conta de que seus filhos estão crescendo também os faz perceberem de que estão envelhecendo, de que a vida passa com rapidez; tem que enfrentar a triste realidade de que os anos passam velozmente e ainda não tem alcançado os objetivos que se haviam proposto na vida, e que possivelmente já não poderão alcançar. Esse sentimento de frustração pode conduzir os pais a uma ambição muito comum: tratar de conseguir por seu intermédio tudo o que para eles foram sonhos impossíveis. E isto pode chegar a ser uma verdadeira fonte de problemas. Outra das razões que motiva muitas vezes a intranqüilidade e o desassossego de seus pais são os comentários da imprensa sensacionalista. Em revistas e periódicos lêem continuamente artigos nos quais se afirma que os pais são responsáveis de todos os problemas da juventude; que os pais são os culpados da degeneração social; que para ser bons pais tem a obrigação de lutar até o fim. E isto os assusta. Nos dias de seus avós, se João era um mal filho, e se comportava como tal, a culpa era do próprio João, de ninguém mais. Em nossos dias, os seus pais são acusados por não haverem sabido tratá-lo, educá-lo e encaminhá-lo corretamente. Assim pois, deve enfrentar a realidade: ainda que seja um filho modelo, um adolescente perfeito, seus pais continuarão vendo problemas em você, enfrentando-o quase todo o tempo. Não importa o que terá de fazer para agradá-los, não importa o muito que se esforce em tratar de ser um paradigma de adolescente, seus pais seguirão pensando que seus anos de adolescência são os mais difíceis que eles tem tido que enfrentar. ADOLESCENTES! AI! Assim vê você a seus pais. Agora vejamos como eles vêem você. Os anos da adolescência não são fáceis. Pode ser que ultimamente tenha crescido tanto que você já quase não se reconhece. Ou quiçá, seja ao revés, e seu crescimento é tão lento comparado com o de seus amigos, que te faz sentir um pouco criança quando está com eles. Possivelmente, o desenvolvimento físico tenha feito você engordar muito e tenhas pernas e braços gordos. Às vezes você se pergunta como te vêem os demais, e se preocupa pensando se realmente chegará a ser o tipo de homem ou mulher que gostaria. Pouco a pouco, irá se sentindo mais filosófico e pensador. Terá dado conta do que significa ser um mesmo, separado do grupo que formam os demais. Ultimamente tem começado a perguntar-se quem você é, que é a vida e para que está nela. E o mal é que enfrenta estes problemas em um mundo que a maior parte das vezes se lhe apresenta pouco amistoso, bastante hostil. Certamente a adolescência pode chegar a ser uma época de verdadeira angústia. E a medida que a maturidade se aproxima, a angústia aumenta. Te preocupa a possibilidade de tomar decisões equivocadas – a carreira, o matrimônio, o trabalho, etc. Duvida de sua capacidade para enfrentar todas as responsabilidades de um adulto maduro e responsável. Por isto quer que te compreendam, que reconheçam seu valor, que se dêem conta de que é uma pessoa capaz de assumir responsabilidades. Mas os que te rodeiam não parecem muito dispostos a ajudá-lo. Se tem treze anos, teus pais queixam-se de que é muito sensível, de que não se pode dizer-lhe nenhuma palavra sem que você se inflame como pólvora. Por outra parte, alegam que é pouco comunicativo, que não lhes conta nada e que sempre responde com monossílabos às suas perguntas. Possivelmente, você também se dá conta de que não é como os demais, todo amável e simpático como deveria ser, mas tem tantas coisas em que pensar que não lhe sobra tempo para suportar as “tontices” da família. Se tem catorze, possivelmente já terá resolvido parte dos problemas que te preocupavam aos treze. Sua atitude frente a seus pais é mais serena, e também eles parecem compreendê-lo melhor; se esforçam em ajudá-lo mais e te criticam menos. Aos quinze anos o problema se agrava outra vez. Teus pais se queixam de que quase não lhes dirige a palavra, de que você guarda tudo, de que se comporta como um mal educado e se veste de forma desalinhada. A verdade é que começas a sentir-se bastante independente. É certo que tens muitas coisas sobre as quais gostaria de dialogar, mas não com seus pais! Você começou a descobrir uma montanha de problemas da idade adulta que pouco a pouco estão aparecendo, e ao mesmo tempo se dá conta de suas próprias limitações para superá-los. Com a esperança de compreender melhor a você mesmo e aos que te rodeiam se tornou um pouco psicológico. Não desanimes; a maioria dos problemas que agora enfrenta desaparecerão no próximo ano. Aos dezesseis as coisas mudam, você perceberá que a vida não é tão difícil como pensava. Terá aprendido a controlar melhor suas próprias emoções, e vai se sentir mais sociável e amistoso e tentará compreender o ponto de vista dos demais. Sentirá mais confiança em si mesmo, e isto fará ser possível opinar com melhor critérios os outros. Terá alcançado a primeira fase da maturidade, e pode ser que isto faça que com que seus pais, ao perceberem que já não é tão criança, abram um pouco as mãos, o que motivará maior compreensão. Quando lhe expor um problema, pode confiar em que o tratarão como a um adulto. Pouco a pouco compreenderá que as restrições e proibições que lhe haviam imposto, em certo sentido eram necessárias, e você se sentirá agradecido pela maior margem de liberdade que lhe concedem. Ainda que seja difícil aceitar as proibições que todavia te impõem, pouco a pouco dará conta de que seus pais, no fundo, são bastante razoáveis, e de que se pode dialogar com eles. Trate de aceitar a distância que o separa deles. Não se arrependerá. Talvez se sinta tentado a pensar que é demasiado difícil ser adolescente. Tem razão. Mas lembre-se que não é fácil ser pais de um adolescente. COMO CONVIVER COM OS ADOLESCENTES “Conviver com adolescentes pode resultar em uma experiência estimulante e alegre, cheia de novas idéias e de esperanças. Assim que… aprendamos a desfrutar desta experiência.” Sobreviver nem sempre é fácil, sobretudo quando se tem um adolescente em casa. Mas as famílias necessitam mais que a mera convivência. Necessitam também alegria, comunicação e amizade. E não há razão alguma para que não tenham estas coisas. 1. DEIXE QUE SE LEVANTEM POR SI MESMOS. Algumas famílias começam cada dia com uma pequena guerra, porque mamãe chama e ralha aos meninos, chama e ralha, ralha e chama, e volta a repetir o processo uma e outra vez. O adolescente resmunga metade dormindo, metade desperto: “É muito cedo!”, “Chama-me novamente em cinco minutos”, ou simplesmente finge que não escutou. Como os adolescentes vivem lutando por sua independência, porque não deixá-los que se independam desde cedo, na manhã (ou que comecem desde a manhã de forma independente)? Chamá-los apenas uma vez. Se voltarem a dormir e como resultado disto, perderem alguma atividade importante, logo aprenderá a lição. Deste modo, a família evita uma quantidade de discussões e de frustrações. 2. QUE OS TOQUES DA QUEDA SEJAM FLEXÍVEIS. Deve existir certa flexibilidade nos horários fixados para voltar para casa e para ir dormir, e esses horários devem ser discutidos com calma pelos afetados. Se você insiste inflexivelmente em que seus adolescentes estejam de volta em casa a uma hora determinada, isso pode privar a seus filhos de alguma atividade grupal inofensiva e agradável, e de, se for esse o caso, ofendê-los desnecessariamente. No que me diz respeito, não creio que um adolescente que volta para casa às nove da noite tenha menos probabilidade de “andar em algo” que um que regresse à sua casa mais tarde. Me preocupa mais a natureza da saída, a companhia e a disponibilidade de transporte. 3. ACEITE AS DIFERENÇAS QUE EXISTEM ENTRE SEUS FILHOS. Os filhos homens, não tem porque ser íntimos amigos de seus irmãos ou vice-versa. Tampouco deve pretender-se que sintam um particular agrado uns com respeito de outros. Às vezes, seus interesses e personalidades são demasiado diferentes como para que se possa esperar uma verdadeira afinidade entre eles. Sem dúvida, os irmãos deveriam aprender desde sua mais tenra idade a tratar-se mutuamente com respeito; a respeitar os sentimentos, as idéias, o tempo, e os pertences de cada um. Mas a menos que seja absolutamente necessário, penso que não é o melhor fazer que um membro da família seja pesado com a responsabilidade de outro. 4. SEJA UM BOM OUVINTE. A maior parte do que tenho que escutar de meus filhos adolescentes, o tenho escutado entre a meia-noite e as três da manhã. Quando me sinto tranqüilamente para ler ou costurar, meus filhos se sentem menos ameaçados e estão mais predispostos a abrir seu coração. Eles não querem conselhos (quem os quer?). O que querem é falar a fim de clarear seus sentimentos e idéias. Se eles estão indecisos frente a dois possíveis cursos de ação, somente pergunte-lhes: “Se fizer isto, o que pensa que será o resultado daqui a seis meses? Quais são as vantagens e as desvantagens?”. Escutando-os, você pode ajudá-los a ver os dois lados do problema. E sempre, uma pergunta ou sugestão pode colocá-los no caminho certo. Mas é inútil tentar falar com os adolescentes a menos que eles também estejam dispostos a fazê-lo. 5. NÃO SEJA DOGMÁTICO. Não perca o controle nas discussões. Não diga: “Isso seria um grande erro. Não deve fazê-lo. Não sabe o que está dizendo.” É muito melhor dizer: “Porque pensa assim? Conhece algum fato ou experiência que confirmem sua idéia? É uma idéia interessante; creio que vale a pena considerá-la mais a fundo.” Muitas famílias tem o costume de despertar discussões com assuntos hipotéticos. Conheci uma família que costumava discutir acaloradamente acerca de se um homem e uma mulher deviam ou não viver juntos sem estar casados. Os adolescentes dessa família não tinham a menor intenção de fazer isso, mas defendiam acaloradamente o direito de seus amigos de decidirem por si mesmos. Trate de desenvolver sua sensibilidade a tal ponto que ela lhe permita saber quando colocar fim a uma discussão. 6. MANTENHA A CALMA. Os adultos deveriam ter maior domínio próprio e sabedoria que os adolescentes. Use essas qualidades e lembre que os adolescentes são emotivos, sumamente susceptíveis e facilmente inflamáveis. Os adultos deveriam ser mais compreensivos com os adolescentes, posto que já temos experimentado os sentimentos e os problemas que eles estão vivendo. Deveríamos recordar as pressões e os sofrimentos de nossa própria juventude: as repulsas ou indiferenças, as frustrações, a timidez, e o acabrunhamento. Deveríamos demonstrar aos adolescentes que os aceitamos e que os compreendemos. 7. ESQUEÇAMOS AS PEQUENAS COISAS. Concentre-se nos assuntos de maior importância. Se você pode ser flexível no tamanho do cabelo, e na escolha da roupa, é mais provável que seus filhos estejam dispostos a responder às normas de comportamento que você espera que sigam em assuntos como o respeito pelos demais, as responsabilidades financeiras, escolares e trabalhos; o interesse pela família, pelos amigos e por seu bem-estar físico, mental e espiritual. 8. CONSERVE SEU SENSO DE HUMOR. O humor, usado com sabedoria, pode diluir muito uma situação difícil. Um gracejo ou um comentário gracioso podem aliviar a tensão e fazer que todos se unam por meio do riso. Mas evite a ironia, o sarcasmo, a burla, posto que os adolescentes são em geral, reprimidos e muitos susceptíveis a tudo o que os possa ridicularizar. 9. NÃO SE OPONHA A CADA AMIGO/AMIGA ESPECIAL COMO SE A RELAÇÃO FOSSE ACABAR EM CASAMENTO. Trate de não interferir. Não podemos saber de antemão qual relação se transformará em algo duradouro e permanente; ou, no caso de que sejam duradouras e permanentes, quais delas seguirão sendo felizes e estáveis. Se seus filhos são felizes em casa e com seus amigos, haverá menos possibilidades de que comecem relações inadequadas, pois isto geralmente ocorre quando o adolescente se sente só, miserável ou aborrecido. 10. DESFRUTE DE SEUS FILHOS ADOLESCENTES ENQUANTO PODE. Concentre-se no que pode compartilhar com seus adolescentes e não nas diferenças que existem entre você e eles. Você tem visto com alegria como cresciam até converter-se em adolescentes, e quer seguir sendo amigo de seus filhos. Trate então de gozar com eles, e de guardar essa alegria como ela é, um tesouro. Viver com adolescentes pode ser às vezes uma questão de sobrevivência. Mas também pode ser uma experiência estimulante e alegre, cheia de novas idéias e de esperanças. Assim que… aprendamos a desfrutar desta experiência. Fonte: Jesus Voltará

Passemos para a outra margem

“E naquele dia, sendo já tarde, disse-lhes: Passemos para a outra margem.”(Mc 4:35) Amados, a cada dia percebo que a vontade do Senhor é que passemos a outra margem de nossas vidas, que passemos para o outro lado. Mas muitos podem me perguntar: O que seria passar para o outro lado? Passar para o outro lado é andar com Jesus no sobrenatural. É conhecer um pouco do “ambiente” que Deus age e vive. É sair da esfera terrena que limita o homem as coisas naturais deste mundo e entrar no mar do desconhecido “sobrenatural” de Deus. Lugar este aonde o Senhor é visto e revelado aos homens pelo Seu poder e pelo qual é ILIMITADO. Aonde sua onipresença, onipotência e onisciência é revelada aos homens. Ir para o outro lado é sair da margem do conformismo e entrar para um caminho muitas vezes de risco. É sair da margem da mediocridade e chegar a margem da benção. É claro que para que isso ocorra , muitas vezes estaremos sujeitos a ventos contrários e ondas enormes no caminhos de nossas vidas. Muitas vezes estar em perigo no ambiente natural é uma ótima oportunidade para que o sobrenatural de Deus se manifeste. Aliás, muitos conhecem Jesus assim. Através destas tribulações e perigo eminente muitas coisas são tratadas em nossas vidas, para que entendamos o propósito de Deus nelas. Para passar além da margem(sobrenatural) devemos: 1) Saber que estando com Jesus “tudo” pode acontecer no caminho(é inevitável que haja contratempos). O mesmo Jesus disse: “No mundo passeis por aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo” (Jo 16:33). Aliás o Apóstolo Paulo viveu isso por algumas tribulações na sua viagem a Itália e enfatizou o que Cristo havia dito sobre ânimo em meio ao perigo(At 27:22). É preciso então ter ânimo em meio as tempestades, pois o comando está nas mãos do Senhor. 2) Conhecer QUEM É e O QUE DEUS PODE fazer: Naquele dia, no caminho a outra margem, bons pescadores e conhecedores do tempo e do mar natural, não conheciam plenamente as “ondas sobrenaturais” do poder de Deus em suas vidas. Embora estivessem com Jesus “naquele barco” não o acordaram porque “criam” que Ele pudesse acalmar o mar, mas porque queriam uma direção do mestre. Assim muitas vezes somos nós, pedimos uma direção do Senhor (achamos que pudemos fazer por nós mesmos), quando na verdade o Senhor pode fazer muito mais daquilo que pedimos ou pensamos. Os discípulos talvez conhecessem apenas ao “Mestre” Jesus, aquele que ensinava com palavras de sabedoria , conhecimento de Deus, de fortaleza e inteligência (pois sobre Ele repousava o Espírito do Senhor- Is 11:2) Mas eles, não conheciam com certeza quem era Aquele que humildemente repousava sobre o barco, o que Ele poderia fazer e qual era o Seu poder. Se soubessem não teriam feito esta pergunta infame: Mestre, não te importa que pereçamos?(Mc 4:38) Quão grande era o desconhecimento daqueles discípulos com relação ao poder do filho de Deus, Jesus e isto se evidenciou nesta pergunta Posso imaginar Jesus, descansando em Deus, ouvindo o que acontecia ao redor e subitamente acordado com esta pergunta: Se Ele se importava com os seus discípulos. Mas também posso ver a resposta, não de um mestre, mas do próprio DEUS. Muitas vezes diante da tribulação somos como os discípulos incrédulos. Não sabemos o que está acontecendo(somos consumidos pelo medo), não sabemos o que fazer , a quem recorrer e quando pedimos algo, pedimos mal, pois achamos que Deus não nos ouve, não se interessa em nossa súplica e que Ele não deseja nos salvar. As vezes acreditamos que Ele não se importa conosco. Mas na verdade isso demonstra a falta de fé de nossas vidas. Muitas vezes o Senhor usa algumas situações para que cheguemos ao Seu sobrenatural. O Senhor usa situações contrárias e pessoas que não conhecem a Deus, para que se manifeste o Seu poder (Jn 1:4;6). Muitas vezes não usamos daquilo que fomos chamados por Deus e nos achamos “dormindo” .(como foi com Jonas). Os discípulos achavam que quem estava dormindo era o Mestre, mas na verdade eram eles que “dormiam”. Jesus estava atento , sempre confiou no Pai, mas acreditava que a fé daqueles discípulos poderia contornar a situação. 3) Ter fé que mova o sobrenatural – Há situações que o Senhor espera de uma escolha de fé da nossa parte. Uma fé suficiente para mover o sobrenatural. Fé que não olhas as circunstâncias adversas, opiniões adversas e temores da vida. E essa FÉ que nos faz chegar ao outro lado, que faz entender o Poder de Deus. A resposta de Jesus fez calar os mares, ventos e também os incrédulos. Mostrou o que faz o Deus do sobrenatural em meio a falta de fé. Jesus esperou os discípulos, mas vendo a falta de fé disse-lhes: “Porque são vocês tímidos, não tendes fé(Mc 4:40;Lc 8:25). Jesus respondeu repreendendo o mar e o vento e mostrou-se aos discípulos como o Filho de Deus, pois após o vento e as águas cessarem e perguntaram entre si: Quem é este que até o vento e o mar obedecem.(Lc 8:25). Ali puderam ver o que é estar do outro lado e ver o sobrenatural de Deus. Para mover o sobrenatural é preciso ação. Todos os heróis da Fé descrita em Hebreus 11, agiram pela Fé e passaram para o outro lado. Apesar do temor inicial (pois são humanos)ao final passaram para o outro lado, não olharam as circunstâncias, nem retrocederam ante a tribulação, mas seguiram para o alvo.(para a outra margem). Uma pergunta fica: O que seriam dos heróis da fé, se não houvessem tribulações? A palavra diz que “ Estes obtiveram bom testemunho de Deus” (Hb 11:2), foram aprovados, pois passaram para o outro lado , porque acabaram conhecendo o Deus que pode todas as coisas. Estes não retrocederam, não voltaram para a escravidão. O fato não é voltar ao Egito( período de escravidão do mundo) e sim permanecer no Egito e conformar-se com as tribulações (doenças, desempregos e etc..) e com tempestades que ocorrem. Muitos nem “acordam” o Senhor ante as tribulações, são “conformistas” e com isso não conhecem o poder de Deus e o que é ir para o outro lado. Deus sabe que aqueles que enfrentam as tribulações e as vencem estão aptos para os próximos desafios. Que as tribulações nos preparam para estar na outra margem. O Senhor sabe que ao chegarmos ao outro lado, teremos outros desafios maiores. Poderá aparecer em nossa frente pessoas aflitas(como o endemoniado geraseno – Mc 5 ) paralíticos(Mt 9)e outras a beira da morte como a filha de Jairo. Mas quando isso acontecer, nossa fé estará já envolvida pelo sobrenatural de Deus, sabendo que o mesmo Senhor que repreende o mar, expulsa uma legião de demônios e ressuscita mortos é o mesmo que nos deu essa mesma autoridade. Amados, Jesus nos deu essa autoridade também(Mt 10:1;8), mas nossa fé tem que estar consolidada em obediência (Mt 10:6-7;Lc 24:49). O Senhor não exige que para isso você tenha muitas coisas(Mt 10:9-10) , mas somente uma, a Fé. E é essa fé que faz a diferença, que te faz passar para a outra margem. Pela falta de fé não puderam os discípulos usar da autoridade dada a eles (Mt 17:16;20), mas ante alguns desafios maiores obtiveram êxito pela FÉ e se regozijaram por isso (Lc 10:17), Através disso puderam conhecer o que é passar para o outro lado. A forma como o Senhor fará você passar para a outra margem, só o Senhor sabe. Ele pode separar o mar para você passar , até mesmo fazer você andar sobre elas, pois o poder é Dele , mas a FÉ é sua. Quando passemos pela fé ante as adversidades , esqueceremos que um dia tivemos algum sofrimento, saberemos então que chegamos a “outra margem” e ficaremos alegres e admirados com o que o Senhor tem feito em nossas vidas. Saberemos por completo o que é realmente depender de Deus. Então o que você esta esperando para passar para outra margem? Por Anderson Cassio Oliveira (perfil no G+ Social)

Católicos mexicanos queriam crucificar evangélicos

Pelo menos 70 cristãos evangélicos da região centro-leste do México foram expulsos pelas autoridades locais do local onde moram, região na qual moram muitos católicos tradicionais que, supostamente, ameaçaram crucificá-los e linchá-los. Inicialmente, cerca de 50 famílias de cristãos protestantes foram obrigadas a deixar a vila em 12 de setembro, mas alguns foram autorizados a permanecer, sob a condição de fazer seus cultos fora da aldeia. Além disso, não podem evangelizar os católicos tradicionais da região, os quais praticam uma mistura de rituais indígenas e católicos. O governo de Puebla se curvou diante da pressão e das exigências dos católicos tradicionais da aldeia de San Rafael Tlanalapan, a cerca de100 quilômetrosda capital, conforme informou o jornal La Jornada de Oriente. Testemunhas disseram ter visto diversos evangélicos, incluindo um pastor, fazendo suas malas e ajuntando rapidamente seus pertences para sair Segundo informações, isso aconteceu porque os católicos tradicionais da região disseram que iam “crucificá-los ou linchá-los”, caso eles não fossem embora após a determinação feita no dia 12 de setembro. O prefeito da região colaborou com as expulsões dos cristãos, receoso de perder seu cargo, após a pressão dos católicos. A católica Irma Diaz Perez informou a decisão tomada: “Eles nunca mais vão voltar, pois nós temos leis contra eles e eles não têm permissão para ficar aqui”. A perseguição contra os evangélicos no México não é atual. Em um caso, cristãos evangélicos foram proibidos de ter acesso a água. Alguns funcionários também relataram ataques contra famílias evangélicas em anos anteriores. Tudo isso ocorre porque o México é um país tradicionalmente católico. Dessa forma, muitos evangélicos são detidos por crimes que não cometeram. Fonte: Portas Abertas

Papa critica igrejas pentecostais

O Papa Bento XVI disse nessa sexta-feira, 23, na Alemanha, estar preocupado com o crescimento das igrejas pentecostais e convidou os cristãos protestantes a trabalharem junto com os católicos. O Papa afirmou ainda que os cristãos católicos e protestantes erraram ao dar mais atenção às diferenças do que aos motivos que os tornam iguais. “Foi um erro ter visto majoritariamente aquilo que nos separa e não ter percebido de forma essencial o que temos em comum nas grandes pautas da Sagrada Escritura e nas profissões de fé do cristianismo antigo”. Sobre o crescimento das igrejas pentecostais no mundo todo, o Papa Bento XVI afirmou que “este fenômeno mundial de mudança traz um cristianismo com pouca densidade institucional, pouca bagagem racional e pouca estabilidade”. Por isso, segundo ele é necessário questionar se esse crescimento é benéfico. Bento XVI continuou sua fala dizendo que as igrejas cristãs históricas estão “perplexas” e preocupadas com o avanço das igrejas pentecostais, e convidou os protestantes a trabalhar junto com os católicos para testemunhar a fé em um mundo moderno. Fonte: Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.