Cansado?Troca o teu fardo em Cristo! Por Sonia souza







Você já ouviu a seguinte frase: “Deus mandou vir como estás!”
Pois é, após anos deteologia, consulta em vários livros e concordâncias bíblicas, eu não encontrei este suposto versículo!!!! Sabe por que? Porque ele não existe, sequer o espírito desta palavra está na Bíblia. A Palavra de Deus diz assim: Mateus 11:28-30 – 28 -  “Venham a Mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e EU lhes darei descanso. Sejam Meus seguidores e aprendam comigo porque Sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso. Os deveres que EU exijo de vocês são fáceis, e a carga que EU ponho sobre vocês é leve.”
Ou seja, quando você chegar a Jesus Cristo, será transformado, será parecido com Ele e Ele aliviará todo o Jugo que o mundo colocou sobre você. Deus te aceita pecador como você está?Sim, claro, mas no exato momento que você aceita Cristo como Senhor e Salvador, tudo se transforma. O velho homem sucumbi, morre, desaparece e dá lugar ao novo ser: O cristão!
O Cristão peca sim, mas não permanece no pecado. Logo que faz algo errado, o Espírito Santo de Deus o incomoda e ele se arrepende do feito e pede perdão ao Senhor. É só parar para pensar, se eu pudesse continuar como estava no mundo, dentro da igreja, sem mudar, então se conheci a JESUS me prostituindo, posso continuar como prostituta, desde que seja dentro da igreja!!!!
Se quando conheci ao Senhor Deus, eu era um ladrão, posso continuar roubando desde que dê o dinheiro na igreja!!!!! E assim vai…
Quem verdadeiramente teve um encontro com Cristo nova criatura é, as coisas velhas, sujas imundas, passaram, e tudo se fez novo e parecido com Cristo!!!
Por favor reflita sobre isto!!!! Não use desculpas para aceitar a Cristo como Senhor e Salvador: venha como estás, mas deixe o Espírito Santo de Deus agir em você e mude.

O cuidado com as palavras





Por Amaurí Barbosa da Silva Filho





“de uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.” (Tg 3.10)
Queridos, neste estudo bíblico vou abordar o tema: O cuidado com as palavras. Para esse estudo vou usar como texto base o livro de Tiago 3.1-12 e como versículo chave, o v.10, acima descrito.
O apóstolo Tiago, meio-irmão de Jesus, convertido após a ressurreição de Cristo, e pastor da igreja de Jerusalém (Gl 2.9). Tiago escreveu a sua epístola para as doze tribos que andavam dispersas (Tg 1.1), com o propósito de encorajar os crentes Judeus que enfrentavam provações, que colocava sua fé a prova, de corrigir crenças errôneas a respeito da natureza da fé salvífica e de exortar e instruir os leitores concernentes ao resultado prático da sua fé na vida de retidão e nas boas obras.
O apóstolo Tiago no capítulo 3.1-12 nos adverte solenemente contra a pecaminosidade de uma língua indomável, e no versículo 10, ele alerta claramente como proceder em palavras. Vejamos que nos primeiros versículos o escritor diz que se alguém não tropeça em palavra, é uma pessoa perfeita. E neste contexto o sentido de “tropeça” não é de levar uma topada, e sim de perder o equilíbrio em palavras; é quando erramos por falar sem refrear a língua, sem pensar, sem medir as consequências que aquelas palavras podem causar. Porque uma palavra dita é como uma flecha lançada.
Nós cristão devemos ter cuidado com que está saindo da nossa boca, se é benção ou maldição, ou se é os dois ao mesmo tempo. O apóstolo nos ensina que a nossa boca é para louvar e glorificar a Deus, mas muitas pessoas erroneamente usam a sua boca para bendizer a Deus e amaldiçoar o seu semelhante. A instrução de Tiago (3:9-12) nos mostra que é errado a mesmo boca proceder à benção e maldição (v.10); “Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?” (v.11). Interpretando o versículo, como a boca que louva, exalta, glorifica a Deus ao púbico, é a mesmo que está amaldiçoando o filho, o pastor, irmão, o vizinho, etc. Poderia um cajueiro produzir maçã? É claro que não, mesmo assim é a nossa boca, por isso o irmão Tiago nos orienta a nos controlar para não errar.
Paulo também adverte os irmãos de Roma sobre os perigos de uma língua sem controle, ele a compara com uma serpente venenosa e diz mais que está cheia de maldição (Rm 3.13,14). E muita língua de crente é uma áspide. Devemos ter cuidado, pois muitas vezes inocentemente (mas tem vezes que falamos com plena consciência de que estamos dizendo) estamos amaldiçoando nossos pais, filhos, irmãos, parentes, amigos e irmãos em Cristo com palavras (veja no link algumas palavras e seus significados [https://docs.google.com/leaf?id=0B3Iby9e-IosLYjkzNTU1MjktODA4OS00NTM3LTg5MjYtODBiM2E3OGMxZmEx&sort=name&layout=list&num=50]).
O homem não consegue domar a língua (v.8), mas não é por isso que vamos sair por todo canto falando o que dá na telha, temos que ser sábio e entendido em falar (v.13,17). É lendo as sagrada escritura e pedindo a Deus nas nossas orações que Ele vai nos tornar cada vez mais sábio e entendido.
Queridos, peço que em suas orações lembre-se de mim, e que este estudo seja uma benção na sua vida pessoal, espiritual e profissional. Creio que este aprendizado vai lhe ajudar a amadurecer mais espiritualmente e aprofundar ainda mais o seu conhecimento nas Sagradas Escrituras.

PARA REFLEXÃO - SALMO 121










 Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.
O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.
Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.
O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita.
O sol não te molestará de dia nem a lua de noite.
O SENHOR te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.
O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre.

Versículo do dia










Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.Josué 1:5




Senhor eu creio em tuas promessas e sei que estás comigo todos os minutos de minha vida e de meus filhos.
Sei que Tu És um Deus misericordioso e fiel.
O Deus que tudo pode e esta sempre na batalha para nós dar a vitória.
A vitória é nossa em Cristo Jesus, sei que estarás amanha na sala de cirurgia com minha filha e que tudo correrá bem com ela.
Sei que todo mal caiu por terra em nome do Senhor Jesus, pois creio em Ti Senhor.
Agradeço desde já porque sei que estas comigo e nunca me desamparastes.
Entrego minha filha em tuas mãos e amanha  sei que estarás com ela na sala de cirurgia.
Obrigado Senhor pela palavra que me destes.
Peço aos amados irmãos que orem por ela. Amém.

Célia Goulart serva do Senhor Jesus

Dona de casa mexicana dá à luz sêxtuplos 12 anos depois de ser mãe de quádruplos







A dona de casa mexicana Salud Romero, 31, deu à luz sêxtuplos na última quinta (10), 12 anos depois de dar à luz quádruplos.
As quatro meninas e dois meninos, que nasceram por cesareana, pesam entre 500 e 900 gramas e estão na encubadora. De acordo com médicos do hospital, o estado de saúde das crianças é delicado, devido à subnutrição.

Os bebês medem cerca de 30 centímetros e ainda não têm nome. “Vamos discutir isso depois que eles estiverem fora de perigo”, disse o pai Joshua Salinas, 21, que é operário e ganha entre R$ 200 e R$ 300 por mês.
“Estou muito feliz, mas também preocupado com a saúde das crianças e como é que vamos fazer para nos sustentar financeiramente.Achávamos que Salud estava grávida de quíntuplos e estamos surpresos com a sexta criança”, completou o papai.
Salud estava com 27 semanas de gravidez. Ela agora é mãe de nove crianças: dos quádruplos, apenas dois sobreviveram e, antes dos sêxtuplos, ela teve mais um filho.




Igreja Renascer realiza primeira Marcha para Jesus no Haiti e distribui 50 toneladas de donativos









A Igreja Renascer promoveu no último sábado, 12/01, a primeira edição da Marcha Para Jesus em Porto Príncipe, capital do Haiti.
Como parte das ações ligadas à Marcha para Jesus, a Renascer enviou 50 toneladas de donativos, arrecadados pela campanha S.O.S. Haiti, e distribuídos pelo Exército, para evitar desvios.
O país, um dos mais pobres das Américas, sofre há três anos com as consequências de um terremoto que devastou boa parte das cidades haitianas. Em 12 de janeiro de 2010, o abalo sísmico alcançou o grau 7,0 na escala Richter, e causou a morte de 200 mil pessoas.
O pastor Daniel Tenuta representou o apóstolo Estevam Hernandes e a bispa Sonia Hernandes durante a Marcha para Jesus, e destacou o esforço para a realização do evento, que de acordo com o Igospel, resultou na conversão de dezenas de pessoas.
“Enfrentamos muitas impossibilidades para a realização desse evento. Ontem por exemplo, o presidente do Haiti resolveu dizer que dia 12 não seria feriado e todos precisariam trabalhar normalmente, mas mesmo assim as pessoas saíram às ruas. Outro fato interessante, é que a praça onde ocorreu a Marcha, em francês significa Campo de Marte. Impressionante como é parecido com alguns valores de São Paulo, profeticamente falando”, discursou.
A concentração da Marcha para Jesus aconteceu em frente ao templo da Igreja Wesleyana, e reuniu centenas de pessoas, além de membros de outras denominações.
Porém, a situação de calamidade no país não abala os ânimos de quem acredita que o Evangelho pode transformar. “Sob os escombros cada um de nós deixou uma mãe, um pai, um parente, amigo [...]Nós estamos bem, a igreja está vivendo um momento especial espiritualmente. As pessoas se achegam mais perto de Deus, tem mais temor (obediência) e com isso o Espírito Santo tem manifestado sua presença no nosso meio”, afirma o pastor haitiano Edouard Webert.
Segundo o site Protestante Digital, o pastor acredita que a providência divina virá sobre o Haiti: “Um país pode estar em crise, mas Deus nunca está em crise”, declara o pastor.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Estudo aponta que “espiritualidade sem religião” aumenta risco de transtornos mentais









Um estudo feito pela University College London e publicado no “British Journal of Psychiatry” revelou que pessoas que afirmam viver uma fé, mas que não seguem uma religião formal, são mais propensas a sofrerem de transtornos mentais do que ateus e religiosos “tradicionais”.
O estudo, liderado pelo professor Michael King, entrevistou 7.400 pessoas na Inglaterra, das quais 35% seguiam uma religião, 19% eram espiritualizadas e 46% não eram uma coisa nem outra, ateus e agnósticos, segundo a Folha de S. Paulo.
Os resultados obtidos por King e sua equipe mostraram que aqueles que afirma ser “espiritualizados não religiosos” tiveram um risco 77% maior de abusar de drogas. Eles também foram muito mais propensos a sofrer de transtornos alimentares, fobias e neuroses.
Para os estudiosos “a falta da estrutura de uma religião formal na busca espiritual pode deixar os crentes mais vulneráveis aos problemas mentais”, porém afirmam que são necessários outros estudos para realmente destrinchar e explicar melhor essa relação entre os espiritualizados e os transtornos mentais.
Por Dan Martins para o Gospel+

Missionária da Jocum afirma que a igreja atualmente só visa “encher as cadeiras dos templos”, e não promover mudança de vida










A missionária da Jocum Bráulia Ribeiro publicou em seu blog um texto no qual critica a postura atual da igreja evangélica, que tem como único objetivo pregar sobre salvação, o que segundo ela serve apenas para “encher as cadeiras dos templos”.
Fazendo uma analogia com uma árvore frutífera, Bráulia afirma que o único fruto produzido atualmente pela igreja é a religião, o que seria, segundo ela, uma fruta podre, por não apresentar resultados verdadeiros na sociedade. A missionária afirma que a influência exercida pela igreja na sociedade e na política tem sido apenas para buscar vantagens para si, e não para promover mudanças verdadeiras na vida das pessoas.
- Usamos dinheiro público para construir catedrais, beneficiamos os crentes com leis circunstanciais e oportunistas. Se fazemos trabalho social o fazemos na maior parte das vezes para poder “converter” mais pessoas. Todos nossos esforços estão voltados para produzir um único fruto: mais prosélitos em nossos templos – afirma.
- Mas por enquanto só temos um fruto evangélico que cansamos de usar da mesma maneira sempre e que agora apodrece no chão em meio a pacotes de dinheiro e documentos rasgados e queimados. – finaliza a missionária, chamando atenção para que a igreja passe a exercer seu verdadeiro papel na sociedade que é o de transformar a vida das pessoas, e não apenas encher seus templos com mais membros.
Leia o texto na íntegra:
Tenho um pé de carambola no quintal que dá o ano inteiro. Tenho orgulho deste quintal com sete tipos diferentes de frutas. Custou pra crescer neste solo desértico da Amazônia. Desértico sim, infelizmente, o solo daqui quando se tira a floresta nativa. Sobra nada quase, o sol escaldante, e as plantas teimosas da capoeira. Chegamos nesta terra a mata já havia sido tirada, nos sobrou o capoeiral. Depois de anos o capoeiral virou pomar e olho para sua abundância com uma surpresa constante. Redenção é possível para a terra também.
Mas só existe um certo número de coisas que se pode fazer com carambola. Dá pra fazer suco, doce, geléia, com um certo esforço dá pra colocar em pratos salgados. Tentei outro dia imitar o Alex Atala, mestre das misturas inusitadas, e fiz frango com carambola. O resultado saiu no mínimo duvidoso. Lá ficam então as carambolas inusáveis, madurando esperando ser colhidas até que caem desapontadas pelo chão.
Fui visitar a cadeia de adolescentes da cidade. Sei que não se chama cadeia, e que não deveria se parecer nem de longe com uma, mas é uma cadeia sim com todas as mazelas que isto significa. Celas cheias e imundas, confinamento integral, violência, sexualidade perversa e inflacionada, falta de opções de aprendizado, de reconstrução pessoal.
De um lugar destes não se volta. Seu corpo sai, mas sua alma fica lá presa com jovens franzinos, sedenta de ar e respostas. Me chocou saber que uma grande porcentagem deles vieram de famílias evangélicas, as paredes perplexas estão cheias de “Jesus Salva” convivendo com palavrões.
O que aconteceu com o poder do nosso evangelho? Há algo de podre no reino da Dinamarca. Outro dia pisando numa carambola e noutra que apodreciam doces debaixo do pé, não deu pra evitar uma comparação mental conosco no Brasil de hoje. Do mesmo jeito que o fruto pelo seu excesso me cansou, nós também reduzimos a mensagem do evangelho a um significado só. Apenas a salvação importa, apenas encher as cadeiras dos templos. Tentamos ser relevantes, mas nosso fruto é sempre o mesmo.
Temos um sabor só, uma cor, um fruto só: religião. Se vamos ao presídio de crianças falamos de salvação, o que não é nada novo para os presos, se vamos a TV falamos de salvação, se vamos ao congresso achamos que ao colocar a Bíblia na tribuna e evangelizar mais deputados, estamos mudando a sociedade. Usamos dinheiro público para construir catedrais, beneficiamos os crentes com leis circunstanciais e oportunistas. Se fazemos trabalho social o fazemos na maior parte das vezes para poder “converter” mais pessoas. Todos nossos esforços estão voltados para produzir um único fruto: mais prosélitos em nossos templos. Pensamos em nossa tarefa como sendo unicamente a de salvar indivíduos.
Usamos o óculos grego para ler a Bíblia. Na cosmovisão greco-cristã influenciada pelo platonismo a alma/espírito do indivíduo é a única matéria prima possível para a ação do Espírito Santo com um produto único mais óbvio, a sua salvação deste mundo material corrupto para o perfeito mundo do espírito.
Se restaurarmos a compreensão tribal da mensagem de Deus, recuperamos dois pilares fundamentais na visão de mundo judaico-cristã, a identidade social, e a visão do ser humano como um todo, espírito e matéria. Entendemos que o grupo, assim como o indivíduo, também pode ser ou não “salvo”, refletir ou não os valores de Deus na prática social, nas leis, na forma de ser cidade. Existe a dimensão sociológica do amai-vos uns aos outros.
Temos que entender o plano de Deus para a sociedade como um todo. Expressar o amor para a sociedade à partir de nossa identidade coletiva é parte da nossa missão tanto quanto lutar pela salvação de seus indivíduos.
Se pensássemos o cristianismo além da mera salvação, saberíamos o projeto concreto de Deus para o mundo de negócios, para as artes, para o sistema educacional, para a administração pública. Haveriam outros frutos possíveis para nossa fé evangélica, além de igrejas cheias. Trabalharíamos com a essência divina da sociedade humana antes que ela se desintegrasse, abraçaríamos a cidade antes que nela se instalasse o caos.
Olhando as carambolas apodrecidas debaixo do pé, comecei a sonhar com uma cidade melhor, onde as igrejas se uniriam para urbanizar seus bairros. Como prova de amor pelo bairro construiriam praças e áreas de lazer. Imaginei que um arquiteto cristão poderia fazer o projeto de uma ciclovia linda, arborizada, de graça, a prefeitura apoiaria, os crentes mesmo plantariam e cuidariam de muitas árvores nas ruas para sombreá-la como prova de nosso amor pela meio-ambiente e pela cidade. Os jovens poderiam executar o projeto. A ciclovia iria trazer para a população que depende da bicicleta para se transportar um senso de valor e dignidade.
Imaginei que se amássemos a cidade, os artistas que se sentam aos domingos em nossos bancos sairiam às ruas e fariam oficinas para crianças ociosas, e na tinta elas encontriam as cores que faltam em suas vidas. Nossos cantores entreteriam nas praças os velhinhos e os pobres com suaves serenatas. Belos jardins seriam construídos a cada três ruas, e que as crianças da rua participem de seu cultivo…
Se amássemos a cidade, seríamos capazes de articular nossa visão de mundo tão bem e as pessoas se apaixonariam pelo modelo social exemplificado por nós. Mostraríamos na prática o amor incondicional e integral de Deus para todas as pessoas, independente de cor, classe social, gênero. Não guerrearíamos com a sociedade, mas ao contrário, nos uniríamos a ela para combater problemas e propor soluções. Mas por enquanto só temos um fruto evangélico que cansamos de usar da mesma maneira sempre e que agora apodrece no chão em meio a pacotes de dinheiro e documentos rasgados e queimados.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Suco de pera antioxidante para combater os radicais livres







O nosso corpo envelhece naturalmente. Sempre que fazemos exercício físico, qualquer atividade ou através da alimentação, são produzidos radicais livres que desgastam o corpo constantemente.
pera
Estes elementos ocorrem naturalmente no organismo, e são os responsáveis pelo processo natural de envelhecimento em cada um de nós! No entanto, é possível diminuir os seus efeitos e retardar este processo.
Os antioxidantes são substâncias que combatem a ação dos radicais livres. Dessa maneira, através de uma alimentação rica nestes elementos, você consegue aumentar a capacidade de regeneração das suas células, e uma eliminação mais rápida e eficaz das toxinas, estas também fatores promotores da produção de radicais livres.
A receita que lhe iremos apresentar hoje, que tem como ingrediente principal a pera, é rica em betacaroteno, um potente antioxidante, ajudando assim o seu organismo a regenerar mais depressa as células da sua pele, do seucabelo, e das suas unhas, e dessa maneira, a diminuir os efeitos do envelhecimento no seu aspeto.

Suco de pera antioxidante para combater os radicais livres

Ingredientes:
- 3 peras;
- 400 ml de água;
açúcar a gosto.
Para preparar esta receita, comece por descascar e retirar os caroços das peras. De seguida, juntamente com a água, coloque tudo na liquidificadora, e bata tudo muito bem, até obter uma mistura homogénea. No fim, coloque açúcar a gosto. Se preferir, tem ainda a opção mel, mais saudável, e esta também com uma grande quantidade de nutrientes essenciais, e promotoras de saúde! Beba este suco duas vezes por dia para retirar dele todos os seus benefícios.
Tenha em atenção que as peras são frutos que oxidam rapidamente, e por isso, que apodrecem facilmente. Assim, tenha o cuidado de escolhê-las mais verdes e sem qualquer toque! Este suco é ainda, devido à sua riqueza em potássio, aconselhado para pessoas que sofrem de diabetes!

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.