Silas Malafaia no ‘Programa do Jô’, é o que os internautas querem


mn1 195x300 Silas Malafaia no Programa do Jô, é o que os internautas querem











Depois de apreciarem o debate do Pastor Silas Malafaia, no programa ‘De Frente com Gabi’, os internautas e admiradores do pastor, desejam vê-lo no ‘Programa do Jô’, na Rede Globo.
No último domingo (3), o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, encarou a repórter Marília Gabriela, que perguntou sobre sua renda e a opinião do pastor sobre o homossexualismo, extrapolando o ibope da programação.
Agora, surgiu no Facebook, uma campanha pedindo que o pastor seja entrevistado pelo Jô Sôares.




Impeachment do Presidente do Senado: Renan Calheiros









Povo Brasileiro!

Acabamos de ser chamados de Palhaços!!!

O Senador Renan Calheiros acaba de ser eleito Presidente do Senado com 56 votos secretos!! Isso é um absurdo! E não podemos ficar calados diante de tal ATROCIDADE!!!

Não podemos ficar de mãos atadas!

Vamos conseguir 1.360.000* assinaturas (1% do eleitorado nacional), levar esta petição para o Congresso e exigir que os Senadores escutem a voz do povo que os elegeu.

Segundo nossa Constituição: “A iniciativa popular pode ser exercida pela apresentação à Câmara dos Deputados de projeto de lei subscrito por, no mínimo, um por cento do eleitorado nacional, distribuído pelo menos por cinco Estados, com não menos de três décimos por cento dos eleitores de cada um deles”.

Infelizmente essa ferramenta popular foi criada apenas para propor leis e com requisitos tão complexos que quase ninguém consegue fazer uso dela. Mas se 1.360.000 se juntarem a nós, poderemos causar um rebuliço na mídia, desafiar as restrições desta Iniciativa popular e exigir a revogação do presidente do Senado, Renan Calheiros. Vamos usar o poder do povo agora para exigir um Senado limpo.

Clique aqui para assinar a petição e envie para todos:

http://www.avaaz.org/po/petition/Impeachment_do_Presidente_do_Senado_Renan_Calheiros/?bIzodcb&v=21738

Com esperança e determinação, 

Emiliano Magalhães Neto, criador da petição 

PS: Esta petição foi criada no site Petições da Comunidade da Avaaz por Emiliano Magalhães. É rápido e fácil começar uma petição sobre um assunto que você se preocupa, clique aqui: http://avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?21738




VAMOS NÓS UNIR E ASSINAR ESTA PETIÇÃO, PORQUE NÃO SOMOS PALHAÇOS ELE TEM QUE SAIR DE LA. UNIDOS O POVO PODE TUDO, BASTA QUERER E AGIR.

Escolha confiar no Pai














O que faz você ficar com medo?
Eu tenho um amigo que estava temendo uma carta da Receita Federal. Pelos seus cálculos, ele devia dinheiro a eles… dinheiro que ele não tinha. Quando a carta chegou detalhando o valor, ele não conseguia abri-la. Ela ficou em sua escrivaninha por cinco dias enquanto ele se contorcia de medo. Onde ele conseguiria o dinheiro, ele se preocupava? Ele se perguntava por quanto tempo ele ficaria na prisão. Finalmente, ele abriu o envelope. Ele encontrou, não uma conta a ser paga, mas um cheque a ser descontado! Ele desperdiçou cinco dias com um medo desnecessário!
O apóstolo Paulo escreveu as suas últimas palavras de uma prisão romana, acorrentado a um guarda e ao alcance de ouvir os passos do seu executor. Pior dos cenários? Paulo disse,
“O Senhor me livrará de toda obra maligna e me levará a salvo para o seu Reino celestial. A ele seja a glória para todo o sempre”.
Paulo escolheu confiar em seu Pai.

Autor: Max Lucado
Fonte: Irmãos

Número de cristãos na África chega a 500 milhões e continente poderá ser o maior reduto da religião no mundo











A África poderá se tornar o continente com maior concentração de cristãos em todo o mundo. Essa é a conclusão do estudo realizado pela Universidade Censur em El Jadida, Marrocos a respeito das religiões nos países africanos.
A população cristã tem crescido em taxas mais altas que os muçulmanos no continente, e hoje, 46% das pessoas na África são cristãs, contra 40% de muçulmanos e 12% de adeptos a religiões de matriz africana.
Em termos globais, os cristãos da África atualmente somam 500 milhões de pessoas, o que representa 20% dos cristãos de todo o mundo. Em 1900, o continente possuía apenas 10 milhões de cristãos, o que representava apenas 2%.
A pesquisa concluiu ainda que o cristianismo é a religião predominante em 31 países africanos, contra 21 de predominância islâmica e 6 de maioria religiosa afro, segundo informações do Noticia Cristiana.
No relatório da Universidade Censur há ainda uma previsão de que, mantido o ritmo, a África poderá se tornar o continente com maior concentração de cristãos em todo o mundo, superando a América.
Há a preocupação, por parte dos responsáveis pelo estudo, que esse crescimento possa resultar em maior perseguição religiosa, devido às transformações sociais e culturais que o aumento da população cristã causará nesses países.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Um Clamor Contra a Juventude Corrompida










Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim” (Jonas 1:2).
juventude corrompida Um Clamor Contra a Juventude Corrompida“Porque eis que vem o dia e arde como fornalha; todos os soberbos e todos os que cometem perversidade serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o Senhor dos Exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo” (Malaquias 4:1).
“…o mundo inteiro jaz no Maligno” (I João 5:19).
O que Deus tem a dizer sobre a imoralidade e a depravação da juventude moderna? O mesmo que tinha a dizer para Nínive séculos atrás: “Chega! Vá a eles e clame contra os seus pecados! Avise que o fogo da minha ira está prestes a cair sobre eles! Breve haverá uma grande destruição, a menos que haja arrependimento coletivo!”
Nínive era uma grande cidade; levava três dias para ir de um lado a outro a pé. Havia 120.000 crianças inocentes vivendo lá. Mas era tão depravada, tão violenta, tão corrompida pelo pecado e pelos maus hábitos – que Deus não podia mais aceitar.
Apenas um pregador foi enviado – Jonas. Ele não alugou nenhum auditório, não tinha músicos, não distribuiu literatura, e não tinha nem mesmo um alto-falante – e muito menos televisão e rádio. Nem programou um acompanhamento posterior.
Simplesmente um pregador de rua atravessando direto a cidade, sem parar para falar com ninguém, ignorando os líderes do governo, cruzando os grandes templos e as universidades – passando os bares, os bordéis e as prostitutas – gritando e berrando com toda voz. Ele não estava pregando o amor de Deus. Não estava lhes dizendo que Deus tinha um belo plano para suas vidas. Ele lhes dizia que o fim havia chegado! “Vocês têm só 40 dias. Deus viu a sua perversão, e vai mandar julgamento!”
Jonas não estava pregando arrependimento; estava pregando julgamento. Deus planejava avisar simplesmente as pessoas, e a seguir aniquilá-las devido à sua tremenda corrupção. Quando se arrependeram, Deus mudou de idéia e os poupou.
Não tinha importância quantos outros profetas já haviam andado por aquelas mesmas ruas tentando pacificar o povo. Se tivesse havido dez mil pregadores da paz e da prosperidade, levando multidões para os ouvir, dizendo aos ninivitas que o seu país era muito grande e que Deus era muito bom para lhes mandar condenação – isso não faria nenhuma diferença para Deus. Só Jonas tinha a mensagem verdadeira. Enquanto os outros ficavam gritando paz e segurança, este profeta gritava julgamento.
Muitos pregadores e profetas estão gritando julgamento. Mas, e se houvesse só uma voz clamando no deserto: “Arrependam-se, pois o dia do juízo está próximo” ?
Que tipo de profeta Jonas teria sido se ignorasse a flamejante paixão de Deus contra a depravação deles, e pregasse uma mensagem suave que fosse aceitável às multidões?
Teria sido tão fácil agarrar a bandeira nacional de Nínive, desfilar pelos grandes aglomeramentos de gente em meio a aplausos, e elogiar sua caridade, os seus líderes, os pais da pátria. Este é o tipo de pregação leve e doce que é tão apreciada neste país agora. Nos enrolamos na bandeira. Afetados, profetizamos que este país é muito grande, nossos líderes muito moralistas, e nosso Deus muito bom para nos julgar.
Por que Deus haveria de poupar a América do julgamento em chamas? Será que todos os sodomitas, as lésbicas, os sado-masoquistas e os estupradores vão se arrepender e se voltar para Deus em humildade?
Será que os nossos líderes de governo em Washington e nas assembléias estaduais vão se vestir de saco e se assentar sobre as cinzas em piedosa dor pelas bebedeiras, pelos deboches e pela corrupção? Será que os americanos vão prantear de coração quebrantado confessando seus pecados ocultos, seus desejos e o esquecimento de Deus?
Não me diga que Deus vai nos poupar porque somos muito preocupados com missões. Gastamos mais dinheiro em comida para cães que para missões. Aquilo que é dado não é dado pela nação, mas por um punhado de crentes.
Alguns dizem que Ele vai nos poupar devido à nossas obras de caridade – às nossas doações para os países pobres. Isto é uma farsa! Demos menos para crianças famintas do que gastamos em um único navio de guerra.
Somos bons para Israel – somos igualmente bons para com algumas nações árabes. Vendemos bilhões de dólares em armas para os países do Oriente Médio – o suficiente para uma Armagedom. Acorde América! Somos um povo corrompido. Estamos infestados de sodomitas; cambaleamos bêbados pelas ruas; somos o país mais enlouquecido pelas drogas que há na terra.
Deus não se impressiona com nosso bom-mocismo. Ele não será apaziguado com toda a caiação proveniente de púlpitos desviados.
O nosso país é agora uma nação violenta. Uma nação quase insensível devido às terríveis histórias de abuso e espancamento infantil, abortos. Nenhuma rua é segura para se transitar, nenhuma casa está a salvo dos assaltantes. Não há loja que não seja importunada pelos ladrões e malfeitores.
Os nossos jovens estão fazendo da violência um modo de vida. As escolas das grandes cidades agora estão instalando detetores de metais para encontrar revólveres e facas levados à escola pelos adolescentes. Professores batem nos meninos e meninos agridem professores. Quadrilhas de vagabundos matam, atacam, passam drogas, se juntam e aterrorizam os metrôs e os arredores.
Como confessou um jovem de Detroit: “Antes a gente brigava com os inimigos; agora simplesmente lhes passamos a faca ou lhe acertamos umas balas”. Centenas de jovens estão morrendo – pelo suicídio, ou esfaqueados, baleados, overdose.
Milhões de jovens estão cansados de pais infiéis, sem amor. Pais bêbados e mães drogadas. Os garotos estão tão confusos com pais divorciados, igrejas mortas, ensinos humanísticos – que ficam maltrapilhos para se vingar. Ficam tão arrasados que experimentam de tudo para se levantar.
Sou um americano leal. Amo a minha pátria. Saúdo nossa bandeira, oro por nossos líderes. Mas também sou um homem de Deus, um homem de oração – e ouço os apavorantes sons de uma tempestade a se formar. O Espírito proclama: esta nação está corrupta! Os jovens encheram a taça da ira!
O Espírito não fala em nome de um Deus prevendo que a América será poupada da guerra e do julgamento de fogo. Todos os elementos serão abrasados com calor fervente. No seu Apocalipse, João escreve: “…todas as nações beberam do vinho da ira…” por sua associação com Babilônia. Malaquias profetiza: “Pois eis que vem o dia e arde como fornalha…os que cometem perversidades serão como restolho…o dia que vem os abrasará…” (Malaquias 4:1).
“Porque todas as nações foram seduzidas pela tua feitiçaria” (Apocalipse 18:23). Zacarias dá uma descrição arrepiante de um holocausto nuclear: “…a sua carne se apodrecerá, estando eles de pé, apodrecer-se-lhe-ão os olhos nas suas órbitas, e lhes apodrecerá a língua na boca” (Zacarias 14:12). Deus tem uma resposta muito clara quanto ao porquê pronunciou julgamento contra esta era de perversão! É a mesma resposta que deu a Israel. “Quando anunciares a este povo todas estas palavras e eles te disserem: Por que nos ameaça o Senhor com todo este grande mal? Qual é a nossa iniquidade, qual é o nosso pecado, que cometemos contra o Senhor, nosso Deus?” (Jeremias 16:10).
A resposta? “Porque vossos pais me deixaram, diz o Senhor, e se foram após outros deuses…e os adoraram…mas a mim me deixaram e a minha lei não guardaram” (Jeremias 16:11).
É verdade que pais ímpios compartilham da culpa. Pecaram de modo ofensivo aos olhos de Deus. Adoraram os deuses de prata e de ouro. Seus deus passou a ser o seu ventre. Adoram os ídolos do sexo, dos esportes e do sucesso.
Mas ouça a acusação de Deus contra os filhos destes pais corrompidos. “Vós fizestes pior do que vossos pais; pois eis que cada um de vós anda segundo a dureza do seu coração maligno, para não me dar ouvidos a mim…Portanto, lançar-vos-ei fora…” (Jerem. 12:13).
Deus disse em verdade: “Não sou cego – vejo o que fazem escondido”. “Porque os meus olhos estão sobre todos os seus caminhos; ninguém se esconde diante de mim, nem se encobre a sua iniquidade aos meus olhos” (Jeremias 16:17).
A seguir Deus explica porque havia tanto vazio, enfado e inquietação. “Porque deste povo retirei a minha paz, diz o Senhor, a benignidade e a misericórdia” (Jeremias 16:5).
Pense nisto! Deus está dizendo à esta jovem geração: “Os seus pais foram maus o suficiente! Desistiram de Mim! No passado Me amaram e Me adoraram, mas voltaram-se para os ídolos! São ímpios e pecadores!”
“Mas, jovens, vocês superaram em pecado os seus corruptos pais! São obcecados pelo prazer! Concedem tudo o que o coração deseja! Não querem ouvir. Endureceram o coração e fecharam os ouvidos! Estão ficando tão corruptos, pervertidos. Tenho de Me levantar contra vocês! Primeiro lhes prevenirei, e então repentinamente os julgarei!”
Todos os nossos filhos são corrompidos? Claro que não! Graças a Deus pelos poucos menosprezados que não dobram joelhos aos ídolos deste mundo. Brilham como jóias num dia de trevas. Mas multidões em massa de jovens a cada dia ficam mais pecaminosos.
Deus precisa julgar esta geração de malfeitores ou sujeitá-los ao poder de Satanás! Eis a chave da minha mensagem. Este é o ponto da espada de julgamento. Deus não pode e não permitirá que Satanás ganhe e comande segmentos inteiros da sociedade!
Nínive representava um largo segmento da população mundial daquele tempo. Os jovens são um largo segmento de nossa sociedade. Deus não pode ficar sentado preguiçosamente e permitir que Satanás tome a população jovem, sem abdicar do Seu poder e da Sua autoridade.
Pelos lábios de Jonas, Deus estava dando conhecimento a Satanás, e não só aos ninivitas. Deus estava dizendo a Satanás: “Você tem 40 dias antes que Eu lhe esmague sob meus pés! Você pode escravizar este povo só mais 40 dias! Seu tempo acabou! Chega de brandir os braços contra Mim. Vou acabar com a sua influência nesta cidade. Vou apagá-la. Não vou deixar nem sinal de sua obra maligna!”
A luta espiritual não é só uma maneira de dizer. Hoje a batalha não é pais contra filhos ou vice versa. Não é bem uma batalha entre os jovens e Deus. É uma batalha entre Deus e o próprio diabo. Pecador, você é só um joguete de Satanás nesta batalha. Ele está usando você para atingir a Deus. Você vai participar da ira de Deus contra o próprio Satanás. Como é terrível!
Deus não ficará sentado ociosamente permitindo que o diabo amaldiçoe a juventude deste mundo. Não permitirá que os asseclas de Satanás arrastem os jovens à destruição nos termos dele. O álcool não vai poder reivindicar esta geração como propriedade sua. Isto é o que Deus diz: “Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros (traficantes de drogas) e contra os adúlteros…” (Malaquias 3:5).
Se o julgamento não chega rápido, todos deveremos admitir que Satanás pode roubar segmentos inteiros da sociedade, rir de Deus e estabelecer um reino eterno sobre a terra. De jeito nenhum! Deus já se agitou como um leão desperto, e está se movimentando para aniquilar a Satanás e a todos que o servem.
Nínive se arrependeu com um sermão! O rei recebeu a mensagem através de terceiros. Alguém lhe disse: “Há um homem andando pelas nossas ruas dizendo que só temos mais 40 dias! Vamos todos morrer!”
O rei não riu. Ninguém riu! No seu coração, sabiam que era verdade. Tinham a expectativa de que Deus não iria ficar sentado, e deixar que se matassem e virassem animais raivosos.
O rei mandou fechar tudo! Todo cachorro, gato, vaca e cavalo, homem e mulher, menino e menina foram jejuar. O governo inteiro, todos os negócios, todo transporte, tudo parou! Nenhuma atividade! Ninguém andando. Todo mundo foi mandado para casa para se ajoelhar! Humilhe-se, foi a ordem do rei. Confesse os seus pecados! Invoque a Deus para que nos salve! Talvez, quem sabe, ainda haja esperança! Talvez Deus use de sua graça.
Compare isto com o que está acontecendo em nosso país hoje! Canais de TV a cabo 24 horas berram o evangelho para todo mundo ouvir. Quantos evangelistas, profetas, pastores, mestres, grupos de evangelismo de rua – quantos suplicam aos pecadores para se arrependerem, avisando a respeito julgamento que virá breve!
Eles ouviram um homem, um sermão, tiveram uma chance! Temos centenas de milhares de pregadores, ouvimos milhões de sermões; estamos entupidos de cassettes; inundados de toneladas de Bíblias, literatura, revistas e livros. O rádio, TV, jornais – todos mostram o alarme tocando. E quem ainda ouve?
Deus chamou Nínive uma vez! Mas tem chamado, chamado e chamado a nossa nação! Por quanto tempo Ele vai continuar assim? Quando acabará Sua paciência?
Deus diz: “Grita na rua a Sabedoria”. Também: “Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a mão, e não houve quem atendesse; antes, rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão…em vindo o vosso terror como a tempestade, em vindo a vossa perdição como o redemoinho…Então, me invocarão, mas eu não responderei; procurar-me-ão, porém não me hão de achar. Porquanto aborreceram o conhecimento…o meu conselho…Os néscios são mortos por seu desvio…” (Provérbios 1: 24-32).
Aqueles de nós que pregam assim são chamados “Pregadores do apocalipse”. Os assim chamados ministros do evangelho de Cristo riem de nós. Somos acusados de pregar a lei, de não entendermos a graça, o amor e a misericórdia. Nos dizem que assustamos as pessoas e que só enxergamos o lado negro.
Este papo todo não interessa agora. Deus é amor, mas também é santo! Também é justo! Se Ananias e Safira podem cair fulminados na casa de Deus, em uma igreja pentecostal, no dia da graça, onde o amor era pregado – o que será quando Deus derramar o vinho da sua ira contra toda corrupção?
Jovem, se você estivesse pendurado em cima do fogo, se agarrando só num galho cujas raízes estivessem se soltando, quem você iria querer ver? Seria alguém que se inclinasse, sorrisse, dizendo “Deus lhe ama! Tudo vai ficar bem! Você não vai cair! Não aceite ninguém que diga que você corre perigo”? Não! Se você sabe do perigo que corre, irá querer alguém que lhe estenda a mão ou uma corda e grite: “Agarre antes que seja tarde!”
Jovens – o povo de Nínive se levantará no dia do juízo para lhes condenar! Jesus disse: “Ninivitas se levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui está quem é maior do que Jonas” (Mateus 12:41).
No mundo sobrenatural, no domínio no qual Deus se move e habita o Seu ser, milhares e milhares de almas que se foram clamarão: “Deus, se és justo, destrua-os. Ouvimos só um homem, uma mensagem; e nos arrependemos. Eles ouviram muito! Isto não é justo! Tu iria nos julgar depois de uma mensagem; como o Senhor não os julga após terem recusado um mar de mensagens e de avisos?”
As almas condenadas de Sodoma e Gomorra se levantarão no julgamento para protestar e trazer outra condenação! “Fomos condenados por menos! Não tivemos nenhum pregador! Nenhuma Bíblia! Não tivemos TV e nem rádio. Não tivemos Jonas, e muito menos exércitos de ministros! Como podes ser um Deus justo e não os consumir, como fizestes conosco?”
Ouça Jesus: “Eles se arrependeram em Nínive! Vocês têm um chamado maior! Qualquer pecador neste período do reino é maior em sabedoria e em unção do que Jonas ou João Batista”.
Mais do que tudo isto: o próprio Espírito Santo, enviado por Cristo para esta geração em esta geração em particular, tem chamado cada um na profundidade do homem interior!
Pecador, você pode rejeitar o evangelista da TV Jimmy Swaggart. Pode rejeitar o humilde pregador ao ar livre nas ruas. Pode lançar todos os tipos de razões para desligar qualquer pregador e religião. Mas você não pode desligar o Pregador lá no fundo do seu coração. É o Espírito Santo – neste exato instante – afirmando, “Você é pecador. Deus é santo. O julgamento está próximo!” A Bíblia diz, “Ele os convencerá do pecado e do juízo vindouro”.
Onde foi que nossos jovens erraram? Como foi que perderam o rumo? Qual foi o primeiro passo que os levou à uma corrupção tão incrível?
O profeta Isaías previu um dia em que os jovens se cansarão e se afadigarão! Profetizou: “Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem” (Isaías 40:30).
Esta deterioração, esta desmotivação por tudo, tem sua origem na perda total de fé. Isaías pergunta: “Por que…dizes: O meu caminho está encoberto ao Senhor, e o meu direito passa despercebido ao meu Deus?” (Isaías 40:27).
O profeta está na realidade dizendo: “Vocês não têm confiança e nem respeito por Deus. Acusam-nO de fechar os olhos para os seus problemas. Acusam-nO de os abandonar durante os problemas. Vocês em verdade crêem que Ele é injusto”.
Todos os profetas concordam em que a chocante corrupção dos filhos de Israel era o resultado direto do abandono da fé em Deus. Eles disseram: “Deus demora para nos ajudar! Deus não vê os nossos problemas e nem os nossos pecados! Vai conosco até um certo ponto e depois nos abandona”.
No exato instante que os filhos Israel perderam a fé em Deus, se corromperam e começaram a dançar nus e bêbados em torno de um bezerro de ouro dizendo “Eis o nosso Deus”. Todo o desvio que cometeram, toda a sua fornicação, todo seu adultério, toda sua violência se originaram na época em que desistiram de confiar em Deus.
Hoje é o mesmo! Nossos jovens estão se corrompendo porque desistiram de confiar em Deus. Não crêem mais em um Deus criador onipotente, todo-poderoso; um Deus que tudo vê, tudo sabe e tudo pode.
A esta juventude cansada e fadigada Deus disse: “Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento. Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Isaías 40: 28,29).
Finalmente, Deus pergunta: “Quem criou estas cousas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais ele chama pelo nome…” (Isaías 40:26) – “Ele é o que está assentado sobre a redondeza da terra…” (Isaías 40:22) – “…por ser ele grande em força e forte em poder…” (Isaías 40:26).
Os humanistas culpam Deus pela fome no mundo, e têm a audácia de sugerir que o homem possui mais compaixão do que Deus. Não culpem Deus pelas crianças famintas! Culpem os governantes do mundo. Culpem o governo da Etiópia por vender o seu alimento no mercado negro, por desperdiçá-lo com o exército. Culpem os governantes incompetentes que não querem obedecer as leis da natureza. Culpem o nosso governo por gastar trilhões de dólares com a defesa e jogar uma ninharia para os países pobres. Nós poderíamos fazer a irrigação da maior parte do norte da África pelo preço da descida na lua. É pura zombaria e desonestidade absoluta culpar Deus pela estupidez e pela cegueira dos homens. A propósito, quem agiu para salvar as crianças famintas? O povo de Deus em primeiro lugar! Jovem – você tem escutado as mentiras do diabo! Ele o levou a achar que Deus não pode lhe ajudar e nem o afligir!
Deus não está zangado simplesmente por causa do sexo, das drogas, do álcool, de todas estas coisas pecaminosas. O pecado amaldiçoado, o pecado que precisa ser julgado, é a incredulidade! Isto é corrupção! Isto é depravação! Isto trará o fogo da ira de Deus!
Só um remanescente será salvo! Não vejo nada na Bíblia que ofereça à esta nação alguma esperança, a menos que haja um arrependimento de 100% no país inteiro. Isto não vai acontecer. A Bíblia prevê: “O perverso irá de mal a pior, enganando e sendo enganado”. Agora fomos muito longe para voltarmos. Estamos caminhando atabalhoadamente para o armagedom. Deus nos deu centenas de anos para fazermos uma conversão, mas apenas nos tornamos mais duros, mais corruptos. Há corrupção dos pés à cabeça! E chega uma hora em que nem as orações de Noé ou de Elias podem ajudar.
O que Jesus tem a dizer aos jovens um pouco antes do julgamento? “Salvai-vos desta geração perversa” (Atos 2:40).
Pedro pregou esta advertência de Cristo no Cenáculo. Arrependam-se e sejam batizados, e salvem-se desta geração corrupta! Aqueles que a ouviram, alegremente a receberam e foram salvos. Você a aceita?
Deus derramou o Seu Espírito há 2.000 anos atrás. Foi derramado sobre toda carne. Os nossos filhos e filhas têm profetizado por quase 2.000 anos. Ocorreram centenas de reavivamentos, despertamentos, atividades e movimentos milagrosos.
Mas o Espírito não vai lutar eternamente! Breve Deus dirá: “A noite se foi; o tempo dos gentios acabou. A obra do Espírito está quase terminada. Chegou a hora do juízo”.
Para terminar: o homem mais incrível na eternidade deve ser Jonas! Ele não vai entender nada! Ele pregou um sermão, e uma sociedade inteira se arrependeu e voltou-se para Deus!
Como vamos conseguir explicar a rejeição do evangelho de Cristo por parte da nossa mocidade? Os ninivitas não vão acreditar! Os sodomitas não vão acreditar! Mas quem ficará mais chocado do que todos será Jonas. Especialmente por termos “quem é maior do que Jonas”.
por: David Wilkerson
Publicado com permissão de:
World Challenge, Inc.
PO Box 260
Lindale, TX 75771
www.worldchallenge.org 

Centenas de conversões ocorrem em meio à guerra na Síria










Realmente, só Deus poderia fazer isso”. Essas são as palavras de Tom Doyle, especialista em Oriente Médio da organização missionária E3 Partners . Para ele, o evangelho está atingindo os corações do povo sírio de maneira milagrosa.
Segundo Doyle, “Há cinco tipos de polícia secreta na Síria. Eles observam cada movimento das pessoas. Os convertidos que estão saindo do islamismo [são] questionados continuamente”.
Estima-se que cerca de 20.000 sírios abandonaram o país esta semana fugindo dos conflitos. ”Por causa da guerra na Síria, acreditamos que mais de 300 mil sírios agora estão na Jordânia. Eles foram expatriados, eles não têm nada. Mas na Jordânia eles não têm o governo sírio os vigiando o tempo todo”, ressalta Doyle.
Com a ajuda de parceiros de outras missões e de cristãos jordanianos, a E3 tem conseguido reuniu com mulheres muçulmanas que estão ouvindo o evangelho. ”Elas ficaram muito agradecidas e nos contaram histórias sobre a maneira como os cristãos se aproximaram delas. Basicamente, essas são as únicas pessoas em quem podem confiar agora”
Muitos destes muçulmanos estão conhecendo a Cristo, mas não é possível saber o alcance ainda, Doyle ressalta que o impacto só será visto na próxima geração. ”Muitas crianças estão ouvindo falar de Jesus. Todos sabemos como é importante elas entenderem quem é o verdadeiro Jesus antes de chegar aos 12 anos”.
Por enquanto, a E3 está apoiando cerca de 400 famílias sírias. ”Nossos líderes acreditam que este é o momento para alcançarmos os sírios como nunca conseguiu-se antes. Quem sabe o que pode acontecer amanhã ? [Presidente] Assad, continuará ou ele vai cair? Nós não sabemos. Mas Deus abriu esta porta e sua mão está agindo aqui”.
JoAnn Doyle, esposa de Tom, tem focado em alcançar as mulheres, através do Ministério Selah. Uma equipe de cristãs preparadas irá trabalhar com as mulheres sírias nas questões psicológicas do trauma de guerra.
Os Doyle pedem que os cristãos do mundo todo orem pela Síria, um dos países onde os cristãos sempre enfrentaram perseguição severa. “O país conseguia manter o Evangelho fora daqui, por que tem um governo ditatorial, que controla a polícia secreta. Mas, agora as boas novas estão se espalhando como nunca”, ressalta Tom.
Ele acredita que quando a guerra acabar essas famílias convertidas voltarão para a Síria levando a mensagem consigo, o que pode causar uma enorme mudança na situação espiritual do país.

[Vídeo] De frente com Gabi, pastor Silas Malafaia fala sobre teologia da prosperidade, polêmica da Forbes e ativistas gays: “Eu amo os homossexuais”. Assista na íntegra







“Eu já sabia que vinha bomba pela frente. Ele é forte”. Com essa declaração, a apresentadora Marília Gabriela definiu, ao final do primeiro bloco, a entrevista do pastor Silas Malafaia em seu programa, veiculado nesta madrugada pelo SBT.
O pastor Silas Malafaia foi questionado sobre as principais bandeiras que ele tem levantado em seu ministério, e como sempre, defendeu suas ideias de forma veemente e com o uso de frases fortes e polêmicas.
O primeiro assunto tratado foi a reportagem da revista Forbes, que o elencou como um dos cinco líderes evangélicos mais ricos do Brasil. Silas Malafaia voltou a contestar a informação da revista e apresentou documentos que comprovariam sua versão a respeito do tema.
-Safado, sem vergonha, bandido, caluniador tem em tudo quanto é lugar: pastor, padre, jornalista… Quando a Forbes faz uma declaração dessas, não é uma declaraçãozinha qualquer. Eu vivo de quê? Eu vivo de pessoas acreditem em mim, pra dar ofertas. Eu sou um pouco diferente de outros pastores. As ofertas que eu recebo, vem mais de gente que não é da minha igreja. Eu sou pastor de igreja há dois anos e meio. Há trinta anos eu sou conferencista, tenho programa de TV, e recebo verbas de pessoas que não me conhecem de perto. 80% são evangélicos e 20% de tudo o que é religião. Então quando eles falam isso, o que é que se subentende? Esse cara tem R$ 300 milhões? Tá roubando de gente [...] O que a Forbes tá falando é mentira – enfatizou o pastor Silas Malafaia, que detalhou suas propriedades e lembrou que é empresário.
Marília Gabriela afirmou considerar a teologia da prosperidade como heresia, enquanto que Silas afirmou que “Deus trabalha com uma lei de recompensa”, e citou o apóstolo Paulo para basear sua tese de que as pessoas fazem esforços buscando uma retribuição.
A repercussão da entrevista de Malafaia nas redes sociais e nos blogs ligados ao debate apologético foi intensa. O pastor Renato Vargens, de orientação calvinista, escreveu em seu blog que “Malafaia se enrolou e não conseguiu convencer aos telespectadores sobre a funesta teologia da prosperidade”.
Baseando-se na reportagem da revista Veja São Paulo sobre a formação de pastores, Marília Gabriela questionou Malafaia sobre o trajeto percorrido para quem deseja exercer a função e questionou se a profissão seria “um bom negócio”. Silas Malafaia respondeu que “não é um negócio”, citou a necessidade de vocação e exemplificou: “Quando alguém me vê, ou vê aí R. R. Soares, Valdemiro, Macedo, é igualzinho estar vendo o Cristiano Ronaldo no futebol. Existe uma meia dúzia de pastores de alto nível de salário e tudo. Mas a grande massa de pastores evangélicos no país, não ganha mais de cinco salários”.
Para Renato Vargens, “a entrevistadora do SBT também foi tendenciosa ao insinuar que o ministério pastoral pode ser uma profissão lucrativa. Ora, a esmagadora maioria dos pastores ganha muito pouco. Ouso afirmar que mais do que 90% dos pastores ganham muito mal. Sei de muitos pastores que lutam com sacrifício e que para sustentar a família cortam um dobrado. Afirmar que todos os pastores roubam e são ricos é uma enorme maldade”.
O tema homossexualidade e as disputas encampadas por ativistas gays a respeito da PLC 122 foi um tema debatido exasperadamente, e novamente o pastor Silas Malafaia defendeu sua postura já conhecida.
Entretanto, ao defender que homossexualidade é comportamento e marcar posição dizendo que acredita que homossexuais podem ser reorientados, Malafaia ressaltou que “pastor não transforma ninguém” e que “ama os homossexuais”, apesar de discordar de suas práticas. A postura de Marília Gabriela sobre o tema, que é polêmico, foi frontalmente oposta à do pastor a respeito das questões pleiteadas pelos ativistas gays.
O pastor Renato Vargens comentou a postura de Silas Malafaia e da apresentadora: “Silas demonstrou firmeza e coerência bíblica. Na minha perspectiva Marília ao tratar da homossexualidade foi intransigente e grossa com o seu entrevistador demonstrando assim vivenciar a mesma intolerância que tanto combate. Na verdade, em um determinado momento da entrevista ela chegou a alterar o seu tom de voz tentando impor sobre  Malafaia suas crenças e percepções”.
Nas redes sociais, a repercussão foi equilibrada e contou com manifestações de apoio às palavras de Silas Malafaia e também com críticas à forma e às ideias expressas pelo pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.
“O pastor Silas Malafaia merece aplausos. A palavra de Deus foi pregada ontem no De frente com Gabi… Amém, to muito feliz”, escreveu a usuária Nessynha em seu perfil no Twitter.
Ainda no Twitter, o teólogo José Barbosa Jr. criticou Silas Malafaia: “’Minha igreja é uma igreja fincada na Palavra’. Malafaia transformando o ‘De Frente Com Gabi’ num Stand-up Comedy”, publicou.
O pastor da Comunidade Cristã Família da Fé, Jocymar Fonseca, aplaudiu a entrevista de Malafaia a Marília Gabriela: “Tremenda entrevista, Pr. Silas Malafaia De frente com Gabi”.
Em síntese, Renato Vargens definiu em seu blog a participação do pastor no programa: “Silas também defendeu o casamento, combateu o divórcio e acentuou o valor da família, todavia, na minha opinião ele perdeu uma grande oportunidade para anunciar Cristo de uma forma mais tangível aos milhares de telespectadores espalhados por esse Brasil”.
Confira abaixo, a íntegra da entrevista de Silas Malafaia ao De Frente com Gabi:


Arqueólogos encontram 150 crânios humanos, vítimas de sacrifícios











Um grupo de cientistas encontrou no México cerca de 150 crânios humanos que aparentemente foram vitimas de cruéis sacrifícios humanos.
Christopher Morehart, um arqueólogo da Universidade de Geórgia, encontrou alguns crânios no ano passado na comunidade agrícola de Xaltocan, em uma fazenda situada ao norte da Cidade do México. Morehart realizava um estudo sobre antigos procedimentos agrícolas e durante uma revisão dentro do terreno se tropeçou por casualidade nos ossos humanos.
As escavações, foram realizadas por cientistas americanos e mexicanos, deram passo á limpeza e reconstrução dos ossos, o trabalho que foi dirigido pela equipe de Abigail Meza, do Instituto de Pesquisa Antropológica do México.
Segundo os cientistas, os restos pertencem a homens adultos de diferentes idades que foram sacrificados como oferenda aos deuses. Também detalharam que alguns dos crânios foram deformados artificialmente. Todas as cabeças foram colocadas cuidadosamente em varias linhas paralelas e a frente para o leste, onde nasce o sol.
Os arqueólogos sugerem que os restos pertencem a um período entre os anos 660 a 860 de nossa era, centenas de anos antes do surgimento da civilização asteca (1325).
A descoberta foi feita no ano passado, mas só agora veio a tona depois deter sido publicada pela revista “‘Latin American Antiquity’.

Publicidade turística de Jerusalém causa polêmica ao mostrar templo islâmico sendo destruído










Israel retirou a publicidade onde o ministro do país, Danny Ayalon, elogia os pontos turísticos de Jerusalém.  O vídeo contém uma simulação de computação gráfica da destruição de um local sagrado no mundo islâmico, o Domo da Rocha.
Cúpula da Rocha ou Domo da Rocha é um monumento situado no Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém. O edifício, construído no século VII, é um dos sítios mais sagrados do Islã e uma das grandes obras da arquitetura islâmica. Sua vistosa cúpula dourada é um dos pontos mais emblemáticos da cidade. Os muçulmanos acreditam que a rocha que está no centro do santuário é o ponto pela qual Maomé subiu ao céu para encontrar com Deus. Para os judeus, é  aonde lançou a primeira pedra para construir o mundo e onde dois milhões de anos depois (segundo o calendário judaico),  foi nessa rocha Abraão esteve para sacrificar o seu filho Isaque por ordem de Javé. Ali foi construído o Santuário Santo, a parte mais sagrada do templo de Jerusalém.
A publicidade turística criada pelo Ministério de Negócios Estrangeiros de Israel foi retirada antes de ser lançado ao ar devido a uns 20 segundo de animação, onde surge a polêmica, devido ao Domo da Rocha entrar em colapso e em suas ruínas se levanta o lendário Templo de Salomão. De  acordo com os autores do vídeo sua intenção era simplesmente mostrar as raízes históricas de Jerusalém e precisamente por isso puseram no lado esquerdo da tela uma contagem regressiva dos anos. No entanto os especialistas concluíram que o anúncio poderia causar descontentamento da comunidade muçulmana e atualmente o vídeo esta disponível apenas no canal da Ayalon no Youtube.
Ainda assim o presidente do Conselho Supremo Islâmico de Jerusalém, Ikrima Sabri, emitiu um comunicado a respeito criticando duramente o governo israelense. Ele observou que o vídeo faz parte dos planos de ocupação por parte de Israel e revela as intenções hostis das autoridades ao santuário. - rt


Pastor Ariovaldo Ramos afirma que a teologia da prosperidade tem gerado decepção, e convoca igrejas para “corrigir erros”. Leia na íntegra











“Deus foi transformado num gordo e avaro banqueiro que está pronto a repartir as suas benesses para quem pagar bem”. Essa é a definição do pastor Ariovaldo  Ramos para o que a teologia da prosperidade prega.
Num artigo, publicado em seu blog, Ariovaldo faz uma síntese da teologia praticada por muitas igrejas pentecostais: “Estamos, há mais de vinte anos convivendo com isso, talvez, por isso, a grande pergunta sobre essa teologia seja: Como têm conseguido permanecer por tanto tempo?”, questiona o pastor.
Tratada por Ariovaldo Ramos como uma prática de engano e sem base bíblica, a teologia da prosperidade já pintou quadros de absurdo, segundo ele: “Lembro-me de ter ouvido de um ferrenho seguidor dessa teologia que, quem tivesse fé poderia, inclusive, negociar com Deus a data de sua morte”, contextualiza.
Para o pastor, a teologia da prosperidade “se sustenta pela criatividade” e pelo fato de oferecer diversificação da mensagem cristã: “Os pregadores dessa mensagem estão sempre se reinventando, vivem de promover espetáculos ás custas da boa fé do povo”.
-É uma sucessão de invencionices: um dia é passar pela porta x, outro é tocar a trombeta y, ou empunhar a espada z, ou cobrir-se do manto x, e, por aí vai. Isso sem contar o sem número de amuletos ungidos, de águas fluidificadas e de bênçãos especiais. Suas igrejas são verdadeiros movimentos de massa, dirigidos por “pop stars” que tornam amadores os mais respeitados animadores de auditório da TV brasileira – critica.
Há questões culturais envolvidas, segundo o texto de Ariovaldo Ramos: “Os pregadores dessa panaceia descobriram que o povo gosta de pagar pelos benefícios que recebe, algo como ‘não dever nada a ninguém’, fruto da cultura de penitência amplamente disseminada na igreja romana medieval [...] Tudo nessas igrejas é pago. Ainda que cada movimento financeiro seja chamado de oferta, trata-se, na prática, de pagamento pela benção”.
O pastor afirma que a teologia da prosperidade tem gerado “decepção” às pessoas que buscam a mensagem cristã e convoca o corpo de Cristo para reverter a situação: “Hoje, para além de tudo o que encerra a sua missão, a Igreja tem de corrigir os erros que, em seu nome, e, em muitos casos, sob a sua silenciosa conivência, foram e, ainda, estão sendo cometidos”.
Confira abaixo, a íntegra do artigo “Uma Pastoral para a Decepção!”, do pastor Ariovaldo Ramos:
Quando, na década de 80, a teologia da prosperidade chegou ao Brasil, ela veio como uma nova tese sobre a fé, prometia o céu aqui para o que tivesse certo tipo de fé. As promessas eram as mais mirabolantes: garantia de saúde a toda prova, riqueza, carros maravilhosos, salários altíssimos, posições de liderança, prosperidade ampla, geral e irrestrita.
Lembro-me de, nessa época, ter ouvido de um ferrenho seguidor dessa teologia que, quem tivesse fé poderia, inclusive, negociar com Deus a data de sua morte, afirmava que, na nova condição de fé, em que se encontrava, Deus teria de negociar com ele a data de sua partida para mundo dos que aguardam a ressurreição do corpo.
Estamos, há mais de vinte anos convivendo com isso, talvez, por isso, a grande pergunta sobre essa teologia seja: Como têm conseguido permanecer por tanto tempo? A tentação é responder a questão com uma sonora declaração sobre a veracidade desta proposição, ou seja, permanece porque é verdade, quem tem fé tem tudo isso e muito mais. Entretanto, quando se faz uma pesquisa, por mais elementar, o que se constata é que as promessas da teologia da prosperidade não se cumpriram, e, de fato, nem o poderiam, quando as regras da exegese e da hermenêutica são respeitadas, percebe-se: não há respaldo bíblico. Então qual a razão para essa longevidade?
Em primeiro lugar, a vida longa se sustenta pela criatividade, os pregadores dessa mensagem estão sempre se reinventando, vivem de promover espetáculos ás custas da boa fé do povo. Mesmo os mais discretos estão sempre expondo o povo, em alguns casos, quando mais simplório melhor, em outros, quanto mais bonita, e note-se o feminino, melhor.
Além disso, é uma sucessão de invencionices: um dia é passar pela porta x, outro é tocar a trombeta y, ou empunhar a espada z, ou cobrir-se do manto x, e, por aí vai. Isso sem contar o sem número de amuletos ungidos, de águas fluidificadas e de bênçãos especiais. Suas igrejas são verdadeiros movimentos de massa, dirigidos por “pop stars” que tornam amadores os mais respeitados animadores de auditório da TV brasileira.
Em segundo lugar, a vida longa se mantém pela penitência; os pregadores dessa panacéia descobriram que o povo gosta de pagar pelos benefícios que recebe, algo como “não dever nada a ninguém”, fruto da cultura de penitência amplamente disseminada na igreja romana medieval, aliás, grande causadora da reforma protestante. Tudo nessas igrejas é pago. Ainda que cada movimento financeiro seja chamado de oferta, trata-se, na prática, de pagamento pela benção.
Deus foi transformado num gordo e avaro banqueiro que está pronto a repartir as suas benesses para quem pagar bem, assim, o fiel é aquele que paga e o faz pela fé; a oferta, nessas comunidades, é a única prova de fé que alguém pode apresentar.
Na idade média, como até hoje, entre os romanos, Deus podia ser pago com sacrifícios, tais como: carregar a cruz por um longo caminho num arremedo da via “crucis”, ou subir de joelhos um número absurdo de degraus, ou, em último caso, acender uma velinha qualquer, não é preciso dizer que a maioria escolhe a vela. Mas, isso é no romanismo!
Quem quer prosperidade, cura, promoções, carrões e outros beneplácitos similares tem de pagar em moeda corrente, afinal, dinheiro chama dinheiro, diz a crença popular. E tem de pagar antes de receber e, se não receber não pode reclamar, porque esse deus sabe o que faz e, se não liberou a bênção é porque não recebeu o suficiente ou não encontrou a fé meritória. Esses pregadores têm o consumidor ideal.
Em terceiro lugar são longevos porque justificam o pior do capitalismo, embora, segundo Weber, o capitalismo seja fruto da ética protestante, (aliás, a bem da verdade é preciso que se diga que o capitalismo descrito por Max Weber em seu livro “A ética protestante e o espírito do capitalismo” não é, nem de longe, o praticado hoje, que se sustenta no consumismo, enquanto aquele se erguia da poupança.); a fé cristã, de modo geral, não se dá bem com a busca pela riqueza como objetivo em si.
A chegada, porém, dessa teologia mudou o quadro, o pior do capital está, finalmente, justificado, foi promovido de grilhão que manieta a fé em troféu da mesma. Antes, o que se assenhoreava do capital tornava-se o avaro acumulador egoísta, agora, nessa tese, é o protótipo do ser humano de fé. Antes, o que corria atrás dos bens materiais era um mundano, hoje, para esses palradores, é o que busca o cumprimento das promessas celestiais.
Juntamente com o capitalismo, essa mensagem justifica o individualismo, a bênção é para o que tem fé, ela é inalienável e intransferível. Eu soube de uma igreja dessas que, num rasgo de coerência, proibiu qualquer socorro social na comunidade para não premiar os que não tem fé. Assim, quem tem fé tem tudo quem não tem fé não tem nada.
Antes, ter fé em Cristo colocava o sujeito na estrada da solidariedade, hoje, nesse tipo de pregação, o coloca no barranco da arrogância. Toda “esperteza” está justificada e incentivada. Não é de estranhar que ética seja um artigo em falta na vida e no “shopping center” de fé desses “ministros”.
Mas, o que isso tudo tem gerado, de verdade? Decepção, fragorosa decepção é tudo o que está sobrando no frigir dos ovos. As bênçãos mirabolantes não vieram porque Deus nunca as prometeu, e Deus não pode ser manipulado. O sucesso e a riqueza que, porventura, vieram foram mais fruto de manobras “espertalhonas”, para dizer o mínimo, do que resultado de fé.
Aliás, para muitos foi ficando claro que o que chamavam de fé, nada mais era do que a ganância que cega; o antigo conto do vigário foi substituído pelo conto do pastor. Gente houve que ficou doente, mas, escondeu; perdeu o emprego, mas, mentiu; acreditou ter recebido a cura, encerrou o tratamento médico e morreu. Um bocado de gente tentando salvar as aparências, tentando defender os seus lideres de suas próprias mentiras e deslizes éticos e morais; um mundo marcado pela esquizofrenia.
O individualismo acabou por gerar frieza, solidão e, principalmente, perda de identidade, porque a gente só se torna em comunidade.
Tudo isso acontecendo enquanto muitos fiéis observavam o contraste entre si e seus pastores, eles sendo alcançados pela perda de bens, pela angústia de uma fé inoperante, pela perda de entes queridos que julgavam absolutamente curados, e os pastores se enriquecendo, melhorando sensivelmente o padrão de vida, adquirindo patrimônio digno de nota, sendo contados entre o “jet set”, virando artistas de TV, tudo em nome de um evangelho que diziam ter de ser pregado, e que as suas novas e portentosas posses avalizavam.
E onde estão estes decepcionados? E para onde estão indo os seus pares? Muitos estão, literalmente, por aí, perderam aquela fé, mas não acharam a que os apóstolos e profetas da escritura judaico-cristã anunciaram; ouviram o nome Cristo, mas não o encontraram e pararam de procurar. Talvez, estejam perdidos para evangelho; para sempre.
Outros, no meio de tudo isso, foram achados por Cristo, e estão procurando pelo lugar onde ele se encontra. Para os primeiros não há muito que fazer a não ser interceder diante do Eterno, para que se apiede dos que foram vergonhosamente enganados; para os que estão a procura, entretanto, é preciso desenvolver uma pastoral.
Eles não estão chegando como chegam os que estão em processo de reconhecimento de Deus e do seu Cristo. Estão batendo às portas das comunidades, que julgam sérias com a Bíblia, à procura de cura para a sua fé, para a sua forma de ser crente, para a sua esperança de salvação, para a sua falta de comunidade e para a sua confusão doutrinária.
Precisam, finalmente, ver a Jesus Cristo e a si mesmos; precisam, em meio a tanta desinformação encontrar o ensino, em meio a tanto engano recuperar a esperança. Necessitam de comunidade e de identidade, de abraço e de paciência, de paz e de alento, de fraternidade e de exemplo, de doutrina e de vida abundante.
Quem quer que há de recebê-los terá de preparar-se para tanto, mesmo porque, ainda que certos da confusão a que foram expostos, a cultura que trazem é a única que têm, e nos momentos de crise, de qualquer natureza, será a partir desta que reagirão, até que o discipulado bíblico construa, com o tempo, uma nova e saudável cultura.
Hoje, para além de tudo o que encerra a sua missão, a Igreja tem de corrigir os erros que, em seu nome, e, em muitos casos, sob a sua silenciosa conivência, foram e, ainda, estão sendo cometidos.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.