REFLEXÃO PARA 27/02/2014

 

 

Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade.

1 João 3:18

 


Pensamento: “Quero ver você fazer!” “Você pode me dizer com palavras, mas eu lhe mostrarei com minha vida”. “Faça o que você diz.” Nós conhecemos os slogans; agora amemos de verdade. Num mundo onde a troca de interesses substituiu amor constante e sacrificial, nademos contra a correnteza e amemos de verdade com nossas palavras e nossas ações. 


Oração: Pai Sacrificial, eu confesso ao Senhor que às vezes eu sou egoísta. Outras vezes minhas intenções são boas, mas minha perseverança e fidelidade são falhas. Use seu Espírito para me dar poder e me tornar capaz de ser o que eu espero me tornar para sua glória. Que hoje seu amor seja visto nas minhas ações de cuidado genuíno. Eu oro em nome de Jesus. Amém. 

 http://www.iluminalma.com.br

REFLEXÃO PARA 26/02/2014




Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.

1 João 4:9

 

 

Pensamento: Amor é ação. A bíblia enfatiza esta verdade vez após vez. O amor não pode ser apenas palavras; deve ser demonstrado. O começo do amos é Deus. Ele mostrou seu amor em maneiras sacrificiais para que pudéssemos conhecer o nosso grande valor para ele. O preço da nossa adoção foi o esvaziamento do céu do seu maior tesouro, Deus Filho, que é nosso Salvador. 



Oração: Amoroso Pai, obrigado por me adotar à sua família. Não conseguiria nunca te agradecer o suficiente nem te pagar por sua bondade, mas por favor, receba o serviço da minha vida como meu agradecimento por sua graça e meu pequeno gesto de tentar compartilhar o amor que o Senhor tem demonstrado para comigo. Através do meu Irmão e meu Resgate eu oro. Amém. 



 http://www.iluminalma.com.br

Em meio a crise social e política, Ucrânia escolhe pastor evangélico para comandar o país interinamente





A Ucrânia atravessa um momento de crise institucional, com a deposição do presidente Viktor Yanukovich por conta de protestos no país contra a política internacional adotada por ele. Apesar da crise e das mortes entre forças militares e manifestantes, o momento de efervescência social uniu cristãos católicos, evangélicos e ortodoxos, que pedem paz.
Yanukovich foi deposto pelo Congresso do país, e agora, as autoridades procuram pelo ex-presidente para cumprir um mandado de prisão. A crise no país se iniciou quando o então presidente negou um acordo comercial com a União Européia para estreitar ainda mais os laços com a Rússia, algo rejeitado pela população.
O presidente interino do país, Oleksander Turchynov, indicado para comandar a transição política da Ucrânia, é um pastor evangélico e tem uma longa carreira política. Aos 49 anos, lidera uma pequena Igreja Batista, e concilia seu ministério com suas atividades públicas.
Segundo informações do Jornal Nacional, apesar de aceitar o desafio, Turchynov já avisou que não concorrerá nas próximas eleições presidenciais, abrindo a disputa para todos os grupos políticos.
De acordo com informações do WNYT, a União de Igrejas Evangélicas da Ucrânia se reuniu para selar uma posição a respeito da crise, e publicou um documento pedindo que a sociedade ucraniana ponha fim à violência. Um trecho do comunicado diz que “sem arrependimento, graça, perdão e reconciliação, o país continuará dividido e em conflito”, acrescentando: “Esta é a pré-condição para uma profunda transformação espiritual da Ucrânia… Apelamos às igrejas evangélicas da Ucrânia que sirvam para trazer a paz entre as pessoas e curar as feridas da guerra”.



Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Jovem estudante enfrenta perseguição para se dedicar à evangelização no sudeste da Ásia




                                       
IMAGEM APENAS ILUSTRATIVA



Em relato publicado pelo Ministério Portas Abertas, uma estudante de seminário de Mianmar, país do sudeste asiático, revelou como tem enfrentado as dificuldades e a perseguição para pregar o evangelho.
Moradora de um vilarejo onde moram 60 famílias, a jovem conta que apenas 6 dessas creem em Jesus. Em um país onde apenas 4% da população é cristã, a jovem, que teve o nome omitido por razões de segurança, quer iniciar um ministério para evangelizar no local.
Com a ajuda do Portas Abertas ela está estudando e espera se formar em março deste ano, podendo assim servir melhor à sua comunidade e divulgar o Evangelho.
- Estou sofrendo, mas continuarei orando e estudando a Bíblia; não vou parar. Não cessarei meus estudos e compartilharei o Evangelho. Em Cristo, posso todas as coisas – declara a jovem, que conta na carta divulgada pelo Portas Abertas como nasceu o desejo de servir como missionária.
- Há muito tempo atrás, algumas pessoas vieram para o nosso vilarejo para servir e pregar o Evangelho, mas elas perderam suas vidas por causa da perseguição. Quando isso aconteceu, os cristãos desapareceram. Agora, não há pastor, evangelista ou missionário trabalhando em minha comunidade – afirma a jovem.
- Vendo isso, pensei que, se eu não estudar e trabalhar entre meu povo, a obra de Deus entre eles poderá acabar – completou, ressaltando seu chamado missionário.
A jovem comentou ainda sobre a dificuldade enfrentada para pregar o Evangelho em sua região e afirma que chegou a pensar em desistir, mas que sua fé a impulsionou para continuar o trabalho missionário.
- Por diversas vezes, senti que deveria parar, deveria cessar meus estudos e meu compromisso em servir ao Senhor por causa do sofrimento que enfrentamos na comunidade. Mas, ao ponderar e dedicar um tempo à oração, Deus remexeu meu coração e eu percebi que estava seguindo os passos de Jesus, passando pela estrada do Calvário, o caminho da cruz – explica a seminarista.
Ela relatou ainda já ter sido atacada ao compartilhar a Palavra de Deus em um vilarejo em sua região, e afirma que se tornar um missionário em seu país é uma tarefa árdua, que demanda estar primeiro presente e atuante na comunidade, para só então falar sobre Cristo. Apesar das dificuldades, ela afirma estar firme em seu propósito de servir.
- Estou sofrendo, mas continuarei orando e estudando a Bíblia; não vou parar. Não cessarei meus estudos e compartilharei o Evangelho. Em Cristo, posso todas as coisas. – afirma a jovem, sem deixar de lado sua perseverança.
- Ainda sou jovem no ministério. Estou aprendendo no seminário, mas, durante as férias, sirvo no campo missionário e enfrento diversas dificuldades nessas regiões. Também sei que, quando estiver formada e comprometida em servir no campo missionário, mais dificuldades virão – completa.


Por Dan Martins, para o Gospel+

BOA NOITE AMIGO (A) E FAMILIARES.

SALMO NUMERO 36 .  
PROTEÇÃO DE DEUS CONTRA O  HOMEM  ÍMPIO.








A transgressão do ímpio diz no íntimo do meu coração: Não há temor de Deus perante os seus olhos.
2Porque em seus olhos se lisonjeia, até que a sua iniqüidade se descubra ser detestável.
3As palavras da sua boca são malícia e engano; deixou de entender e de fazer o bem.
4Projeta a malícia na sua cama; põe-se no caminho que não é bom; não aborrece o mal.
5A tua misericórdia, Senhor, está nos céus, e a tua fidelidade chega até às mais excelsas nuvens.
6A tua justiça é como as grandes montanhas; os teus juízos são um grande abismo. Senhor, tu conservas os homens e os animais.
7Quão preciosa é, ó Deus, a tua benignidade, pelo que os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas.
8Eles se fartarão da gordura da tua casa, e os farás beber da corrente das tuas delícias;
9Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz.
10Estende a tua benignidade sobre os que te conhecem, e a tua justiça sobre os retos de coração.
11Não venha sobre mim o pé dos soberbos, e não me mova a mão dos ímpios.
12Ali caem os que praticam a iniqüidade; cairão, e não se poderão levantar.

Deus e deuses Por Maya Felix





Ontem à noite resolvi entrar em um site de horóscopo, desses que fazem, automaticamente, o mapa astral do internauta – basta fornecer a data do nascimento, o horário e o local. Muito do que foi revelado ali realmente tem a ver comigo, minha personalidade, meus gostos. Já vinha pensando nisso há um tempo e resolvi, então, escrever este texto. Alguém já se perguntou, seriamente, por que tantas pessoas recorrem a horóscopos, adoração de anjos, espíritos de mortos, entidades de religiões politeístas, cristais, I-Ching, tarô, leitura de mão, adivinhos e toda sorte de esoterismos? A resposta parece fácil à primeira vista, mas não é tão simples.
Primeiro (e as opiniões que vou agora expor são exclusivamente minhas, resultado de observação e reflexão), não creio que os recursos que citei acima sejam de todo ineficazes. Se fossem, por óbvio ninguém seria adepto de nenhum deles, e sabemos que todos os dias mais e mais pessoas se voltam para práticas esotéricas. Há uma parte de satisfação no que é buscado, mas a pergunta central não é se essas práticas “funcionam”: é como e para quem elas funcionam.
Mais uma vez a resposta parece fácil, mas não é. Alguém que acredita em seu “mapa astral”, por exemplo, vê que muito do que é descrito ali de fato tem a ver com o que é, com sua personalidade e seus gostos. Da mesma maneira acontece com o horóscopo chinês, o tarô, a quiromancia, a necromancia. Pessoas que frequentam ou já frequentaram um centro espírita afirmam já terem passado pela experiência de falar com o espírito de alguém que já morreu. Adeptos do candomblé oferecem presentes às entidades espirituais de sua preferência e veem, mais de uma vez, seus pedidos atendidos – de proteção, de riqueza, de amor, de sucesso. Que resposta os cristãos têm para isso? Que tudo é uma grande mentira do Diabo que não tem como dar certo? Seria o ser humano tão estúpido e o Diabo tão sagaz? Sim, o ser humano é estúpido e o Diabo é sagaz, mas entre essas duas afirmações há mais coisas.
O que vou dizer agora é polêmico, mas preciso colocar esta questão: no primeiro livro de Samuel, capítulo 28, há a narrativa de Saul, então rei de Israel, consultando uma pitonisa (também chamada de “mulher com espírito de feiticeira”, no texto). As pitonisas eram adivinhas que na mitologia grega serviam a Apolo, o deus da adivinhação. Saul recorre a uma pitonisa a fim de ter contato com o espírito do profeta Samuel, que já havia morrido. Como Saul havia perguntado a Deus sobre seu futuro e o de Israel, mas Deus não lhe havia dito nada, resolveu recorrer a outros meios a fim de conhecer as coisas que estavam por vir.
Na narrativa bíblica, o espírito de Samuel fala a Saul do sentimento de insatisfação de Deus para com ele e faz previsões (que não se cumprem por inteiro). A Bíblia não diz que o espírito não era de Samuel: essa é uma conclusão de teólogos cristãos. No versículo 15, o espírito diz a Saul: “Por que me inquietaste, fazendo-me subir?” Isso deixa subentendido que o espírito de Samuel repousava em algum lugar espiritual abaixo da terra.
A Bíblia de Estudo Pentecostal, que tenho, afirma em nota que “os médiuns espíritas não entram, realmente, em contato com os espíritos dos mortos, mas, com espíritos demoníacos enganadores”. Antes que alguém me acuse de defender a doutrina espírita, que usa o capítulo 28 de I Samuel para justificar a possibilidade de contato dos vivos com os espíritos dos mortos e a reencarnação (coisa injusta, tendo em vista que o capítulo em questão nada diz sobre reencarnação), peço que entendam que lendo a Bíblia sem a explicação teológica católica ou protestante, parece-me evidente o porquê de tantos afirmarem ser possível a comunicação com os espíritos dos mortos: o narrador do texto afirma que aquele espírito era de Samuel, e o faz sem nenhum “porém”.
Mas o centro dessa questão, para mim, não é o fato de ser aquele espírito de Samuel ou não. O que é grave, mesmo, é que a prática de consulta a espíritos, falsos ou “verdadeiros”, é chamada por Deus de abominação. Em Deuteronômio 18:9-13, isso fica claro: “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o Senhor teu Deus.
Deus diz claramente que tais práticas são abomináveis, mas não diz que elas não existem nem que são ineficazes do ponto de vista do objetivo de quem as adota. Quem ama a Deus escolhe abdicar de tais práticas por amor e obediência (pois Deus abomina tais práticas), não porque elas sejam totalmente ineficazes: a alguns continuam a trazer riqueza material e sucesso profissional, entre outras coisas.
Chegamos aqui a mais um ponto polêmico. Tudo o que há foi criado por Deus: a pitonisa, os vivos, os que morrem, os espíritos e mesmo o anjo de luz decaído que se tornou inimigo de Deus e da criação divina. Tudo o que há foi criado por Deus. Os homens escolhem pecar ou não, mas todo homem foi criado por Deus. Há um só Criador, mas há muitas criaturas. O que há de abominável, para Deus, em se cultuar outros deuses, horóscopos, técnicas esotéricas chinesas etc.? É abominável que o ser humano deixe de render culto ao Criador e passe a venerar as criaturas que Ele formou.
Os planetas e as estrelas do sistema solar, alinhados em determinada posição, foram criados por Deus. Haveria um fundo de verdade nas determinações dos horóscopos? Creio que sim, do contrário ninguém jamais buscaria por isso. Os espíritos que formam as teogonias politeístas, das religiões de origem africana e do hinduísmo, entre tantas outras, foram inspirados em fenômenos da natureza e histórias de acontecimentos sobrenaturais.
Nesse sentido, encontram no próprio ser humano muito do lastro de sua identidade, o que é bem fácil de se perceber na mitologia da religião politeísta da antiga Grécia, com deuses e semideuses criados “à imagem e semelhança do homem”. O Diabo, esse que anteriormente era um anjo, não trabalha com mentiras de modo maniqueísta e simplório: o que ele faz muito bem é manipular verdades, distorcê-las, atribuir a elas, sutilmente, um significado distinto do que têm.
Enquanto o ser humano se volta para o que Deus criou a fim de render culto e satisfazer suas expectativas, é ele que continua no centro de tudo: são suas vontades que devem ser satisfeitas, é o seu ego que é alimentado. Além disso, a maioria das práticas opera com determinismos insustentáveis diante de Deus. O horóscopo diz que as pessoas do meu signo são possessivas e ciumentas. Isso determina o ser humano! Outro signo vai dizer que quem nasce em determinada data é preguiçoso, outros são perfeccionistas e vingativos e por aí vai. A quantidade de determinismos é imensa. Certos ou errados? Certos ou não, o centro novamente não é esse.
O que Deus diz ao homem é que com Ele não há determinismos. Vemos isso o tempo todo, na Bíblia e fora dela. Paulo, cidadão romano, judeu zeloso da Lei, odiava cristãos. Seguiria matando os que lhe aparecessem pela frente, mas Deus quebrou esse círculo vicioso. Pedro era covarde. Parecia corajoso, mas negou Jesus três vezes ao se sentir ameaçado. A tendência é que seguisse nessa linha, mas Deus mudou isso. Rodolfo Abrantes, roqueiro no auge da fama, ganhando muito dinheiro, se matando lentamente, usando todas as drogas imagináveis e cercado de luxo, pela lógica humana deveria ter seguido assim. Mas Deus entrou na vida dele.
Pelos lugares onde Cristo passou Ele mostrou que quem determina o presente e o futuro é Ele: doentes, incrédulos, assassinos, corruptos, prostitutas, todos foram profundamente transformados assim que deram espaço ao Criador. Para Deus não há o “eu nasci assim”, o “eu sou assim”: com Ele é “EU faço como EU quero, porque EU SOU”.
Um dos aspectos degradantes de todas as práticas esotéricas que já citei é esse determinismo pobre a que condenam o homem: segundo o espiritismo, é preciso reencarnar várias vezes a fim de chegar não ao céu, junto ao Senhor amoroso que nos acolherá, mas ao que os espíritas kardecistas chamam de “espaço universal”, no qual não haverá mais problemas. O horóscopo faz de você um conjunto de qualidades e defeitos intrínsecos a sua pessoa, e é convivendo com esses defeitos e essas qualidades que sua perspectiva de vida deve ser construída. Mas Deus diz que não: Ele faz novas TODAS AS COISAS. O homem velho morre, e em seu lugar nasce o homem novo, o verdadeiro, esse que o pecado e o mal teimam em ofuscar e encobrir.
Quando Deus quebra os determinismos, o homem e seus desejos são recolocados em seus devidos lugares: submissos à vontade de Deus. Por isso C. S. Lewis diz, em O Problema do Sofrimento, que nós somos rebeldes que precisam depor as armas. Enquanto insistirmos em nos colocar no centro de nossas vidas, estaremos em guerra com Deus. O homem, como centro de si mesmo, com seus desejos, vontades, erros e natureza decaída, não pode ser conduzido a nada além da miséria espiritual. Insistimos em que nossa pobre vontade humana seja satisfeita, enquanto Deus quer nos dar acesso a um mundo sem vendas, sem sombras, sem ilusões. Muitos, negando a Deus o mínimo espaço em suas vidas, cobram dele os porquês de seus sofrimentos mas não conseguem ver em suas próprias escolhas a origem de seus males.
Devo esclarecer que, ao contrário do que muitos pensam, o homem não deixa de sofrer quando faz de Deus o centro de sua vida e escolhe sacrificar seu ego em prol da vontade de Deus: eis aí uma das grandes diferenças entre Deus no centro vs deuses no centro. Deus não nos poupa do sofrimento se ele pode nos fazer melhorar. Os cristãos sofrem, mas têm fé de que a paciência produzida levará a uma esperança que não confunde, mas esclarece e edifica. Os não cristãos sofrem, mas sem entender por que sofrem, sem conseguir encontrar a Deus nesse sofrimento, debatendo-se dolorosamente, resignando-se bovinamente ou recorrendo a deuses que os aliviem de seus tormentos. Sofrem esperando que seus recursos espirituais, em um terreiro de candomblé ou em uma mesa de vidente, os livrem do sofrimento a fim de que seus desejos continuem sempre no centro de tudo. Sofrem compreendendo que deve ser assim porque nasceram predestinados a serem desta ou daquela maneira – assim lhes diz o horóscopo, chinês ou não. Há um abismo entre o sofrimento que se passa com Deus e o sofrimento vivido sem Ele.
A escolha do cristão, de colocar Deus no centro de sua vontade e diminuir seu ego, aparentemente não o leva, neste mundo, a uma vida muito diferente da que tem o não cristão: a chuva cai sobre justos e injustos, o sol brilha para todos. A diferença está no coração do homem. O coração do cristão deve ter Cristo no centro: é Ele a razão da existência, aquele por quem tudo é feito, em quem tudo se cumpre. Para o cristão, Jesus cumpriu o ato de morte ao qual todos deveriam se submeter, pois todos, sem exceção, são defeituosos de nascença, espiritualmente tortos, e no mundo espiritual todo mal deve ser compensado – isso se chama Justiça. Jesus é mais que um “mestre”, Ele é o sacrifício feito para que tudo o que sou encontre justificativa para continuar a existir diante da Perfeição (que não tenho em mim mesma nem jamais terei por meus meios e obras). Para os esotéricos, espíritas, islâmicos e judeus, o homem em si mesmo pode cumprir atos que o justificam: ele deve cumprir a Lei.
Deve reencarnar e fazer o bem. Deve oferecer presentes para os deuses. O homem deve se justificar, fazer justiça em prol de sua própria salvação. O ladrão ao lado de Cristo, no Calvário, ao reconhecer no homem crucificado o Filho de Deus teve sua sentença de morte eterna imediatamente revogada: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”. Ninguém consegue fazer justiça a si mesmo.
Enquanto o homem insistir em fazer sua vontade e se colocar no centro de sua própria vida, é sua natureza humana que prevalecerá. Suas práticas podem lhe trazer bens, conforto, proteção, compreensão filosófica, informação, conhecimento científico e artístico. Mas jamais lhe trarão um espírito novo, para o qual quem deve estar no centro é Deus, é a vontade de Deus, é o que Ele quer e não o que o ser humano quer, ainda que muitas vezes nossa vontade esteja em consonância com a vontade de Deus. Deus ouve as orações de seus filhos, mas não satisfaz todas as suas vontades: sabe quão míope é o homem e o quanto pode estar distante dele.
Bom, então se pode pensar que Deus é um ser egoísta, que exige que todo tipo de atenção e expectativa se volte para Ele. Mas as coisas são bem mais complexas. Enquanto o homem satisfizer seus desejos, seus caprichos e vontades, por melhor que lhe pareçam, permanecerá preso a si mesmo, a sua pobre condição humana, a sua pequena vida material, a valores limitados e limitantes (por mais genial que cada ser humano ache que é). O voo alto e sublime acontece quando os desejos de Deus para a vida do homem começam a acontecer. É a vontade do Criador que muda tudo de lugar, quebra os determinismos, faz o homem enxergar mais que as sombras de sua caverna egoísta e pequena.
A vontade de Deus, ao se cumprir, por mais dolorosa que pareça ser é o que faz com que o pobre ser humano enxergue a verdade, pois ele passa a ver o mundo sob a perspectiva do Criador, não mais de alguma criatura qualquer. E quanto mais o homem se submete a Deus, mais desejo tem de se submeter, pois vê como isso é bom e perfeito. O centro da vida do homem jamais deve ser a criatura feita por Deus, mas apenas Ele mesmo, o próprio Criador de todas as coisas.
Para que o centro seja Deus, o ser humano deve morrer para si mesmo, aceitando que seu ego será diminuído, que suas ideias de que é bom serão terrivelmente contrariadas, de que ele poderá, enfim, ver-se como é: só, pequeno, carente da graça e do amor de Deus, falho, defeituoso, com surtos de grandeza, delírios de genialidade, iludido. E é esta verdade a mais incômoda e inadmissível para cada ser humano.
* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.



Autor(a)

Maya Felix

Maya Felix

Maya Felix nasceu em São Luis, Maranhão. É Doutora em Letras-Linguística pela Universidade Federal Fluminense e pela Université de Nanterre Paris Ouest la Défense, França. Apesar de sua família ser de tradição evangélica Batista, converteu-se ao cristianismo em 1992, aos 21 anos. Atualmente é professora do Departamento de Letras da Universidade Estadual do Maranhão em São Luis. Seus textos relacionam o cristianismo à política, à cultura e à vida em sociedade em geral.

"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos." Isaías 53:6





Pensamento: As ovelhas comumente se perdem, esquecendo-se o rebanho e o pastor. Perambulam sem destino, pois têm na mente nada mais do que a próxima moita de capim. Não há pensamento em lobos ou profundos precipícios. E muitas vezes nós estamos assim, tão preocupados com os desejos e circunstâncias presentes, que nos tornamos distraídos das conseqüências de nossas escolhas, e acabamos se afastando do rebanho. Mas nosso pastor é Jesus, e graças a Sua misericórdia, ele nos alcançou, e nos colocou de volta no caminho.









Oração: Obrigado Deus, porque o Senhor cuida de mim, não só como um pastor cuida de suas ovelhas, mas também como um pai que cuida do seu filho. Ajuda-me a vigiar e orar para que eu não me desvie e não me perca do rebanho. Eu oro em nome de Jesus. Amém.


 devocionaldiario.com.br

A idade de ser feliz -- Mario Quintana






Existe somente uma idade para a gente ser feliz,somente uma época da vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor. Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO,de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso. Esta idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.

PALAVRA DE VIDA.







































Não toqueis os meus ungidos, e aos meus profetas não façais mal. 1 Crônicas 16:22

Não está isto guardado comigo? Selado nos meus tesouros? Deuteronômio 32:34

Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem. Salmos 17:5


SENHOR TE AGRADEÇO POR TOMAR CONTA DE MIM E DE MEUS DESCENDENTES; TUA PROMESSA É ETERNA; PARA AQUELES QUE TE HONRAM , LOUVAM TEU SANTO NOME  E DÃO TESTEMUNHO DOS SEUS ENSINAMENTOS.
 
O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. João 15:12

REFLEXÃO PARA 25/02/2014






Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

1 João 4:19

Pensamento: É muito simples. Deus é amor. Ele é a origem, o exemplo e o arquiteto do amor. Eu amo porque ele me amou primeiro. Sei como amar porque ele o demonstrou. Posso amar porque ele me fez na sua imagem e para compartilhar seu caráter. Ele é a fonte, a motivação e o pináculo do amor. Eu amo porque ele ama, primeiro, por último e sempre. 


Oração: Deus de conforto, obrigado por me confortar com seu amor. Assim como uma criança aprende a fazer tantas coisas com seus pais, quero aprender a amar como o Senhor: sacrificial, abnegada e submissivamente para que outros possam saber que não têm que merecer seu amor, somente recebê-lo. Em nome de Jesus eu oro. Amém. 



 http://www.iluminalma.com

 

Pastor evangélico constrói casa em árvore para “ficar mais perto de Deus”









Um pastor evangélico da República Dominicana construiu uma pequena casa no topo de uma árvore, em uma fazenda que fica ao lado da estrada Hato Mayor-Sabana de la Mar. O pastor Fremio Jimenez utilizou madeira rústica e tratada para erguer o que ele chamou de “Casa de Meditação” para, segundo ele, estar mais perto de Deus.

A “casa aérea”, como a chamam os transeuntes e vizinhos, consiste em peças de madeira rústica e um toldo de zinco para evitar a chuva e sol. A casa da árvore fica a cerca de 10 metros de altura, em seu interior pode ser colocada uma cama, deixando ainda espaço para fogão, cadeiras e até uma mesa.

Jimenez é pastor da congregação “Igreja de Deus Novo Começo” e afirma que veio para a comunidade, a fim de levar a palavra de Deus e para construir igrejas e um centro para abrigar crianças sem-teto e vítimas de abuso, bem como e criar uma fundação para promover o desenvolvimento da comunidade.

Ele conta que caminhava ao redor da fazenda, de propriedade de um irmão da igreja, quando observou a figueira e teve a ideia de construir a casa. Ele disse que, por enquanto, apenas utiliza a construção como uma casa de meditação, mas que, no futuro, pretende viver nela.

- Eu tive a ideia de construir esta pequena casa nesta árvore, com a visão de poder me comunicar de forma mais tranquila com Deus, e como um lugar de recreação – afirma o pastor.

De acordo com o Diario Libre, a casa na árvore se tornou uma atração na região, e tem atraído pessoas e várias regiões e turistas, que vão até o locar conhecer a construção.

Assista a um vídeo sobre a casa:
Compartilhar




Após 6 meses de prisão por estupro, pastor Marcos Pereira será solto, afirma O Globo





Preso desde março de 2013 sob acusação de estupro, o pastor Marcos Pereira, líder da igreja Assembleia de Deus dos Últimos, pode ser solto a qualquer momento.

Segundo o site do jornal O Globo, o pastor foi condenado a 15 anos de prisão pela 2ª Vara Criminal de São João de Meriti e agora irá cumprir sua pena no regime semiaberto.

Recentemente, havia sido negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) um pedido de habeas Corpus feito pela defesa do pastor. Agora, segundo o jornal, a ordem para libertar o religioso partiu da Vara de Execuções Penais, e acaba de chegar ao Complexo Penitenciário de Bangu.
Compartilhar

Segundo a publicação, o pastor pode ganhar a liberdade a qualquer momento.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Porque muitos blogueiros e teólogos não falam nada sobre o pecado da prática homossexual? Por Silvio Costa




Tenho analisado textos de escritores, blogueiros, teólogos e colunistas cristãos internet afora e pasmem, poucos manifestam posição na apresentação integral das Escrituras. Percebo uma crescente proposta de secularização da igreja, uma deteriorização de temor sem precedentes e o pior, uma tentativa de relativizar e até invalidar colocações cabais que a bíblia faz sobre o pecado. Tudo isso porque os modernos, descolados, inteligentes e diplomados “defensores do evangelho” tomam posições opostas a tudo o que conhecemos sobre o cristianismo sal da terra e luz do mundo. Estão de mãos dadas com o mundo, apoiando a movimentos liberais e tornando-se libertinos ao se calarem (e quem cala consente). Como forma de tentarem justificar suas insensatas posições de defesa ao que é abominável põe-se a atacar o que acham serem os bodes dentro do aprisco gospel, principalmente os pastores e políticos que estão na mídia.

Essa igreja nacional não está enferma só pelos descabimentos midiáticos de um evangelho da prosperidade ou por aparentes políticas utópicas, recheadas de ideais teocráticos (o que eu particularmente acho absurdo como proposta política). Está moribunda também pela existência de crentes membros da igreja de Laodicéia, mornos que não tomam posições diante do evangelho completo, porque sabem que ao fazê-lo perderão elogios rasgados, não serão mais acalentados pelos adeptos da “fé rosa” e nem mais compartilhados pelos milhares de leitores de seus textos pomposos. Percebe-se em suas composições textuais extremas subjetividades, ausência de pauta bíblica, achismos, apelação à polêmicas, generalizações, permutas ideológicas e daí bandeiras nada cristãs.

Se vocês acham razões para apontar pecados e descalabros das personificações evangélicas deste país por meio de uns poucos pastores e políticos, que mais parecem showman que ministros do Evangelho, ao menos também poderiam defender as posições claras das Escrituras ou nos demonstrar quais são as reais posições de vocês – mostrem-nos o zelo pela verdade, por todo conselho de Deus, além de serem arquétipos da crítica a personalidades evangélicas. Se quiserem – pois dá IBOPE, continuem a crucificar o Malafaia, a expurgar o Feliciano, a desdenhar da Marisa Lobo, a insultar o Júlio Severo; façam piadas do Macedo, deem risadas sobre o chororô do Valdomiro, sentenciem o David Miranda (eu não recomendo que dispensem esses tratamentos a ninguém). Mas por favor, manifestem vossa posição sobre o que é pecado, inclusive o homossexualismo. Apresentem a vossos leitores com amor tudo o que a bíblia diz sem meios e rodeios. Isso é posicionamento sobre o que a Palavra de Deus expressa e tem suas consequências, vocês topam?

É tempo de combatermos dentro do mundo cristão esse evangelho humanista que está forjando um deus moralmente manifesto na via única do amor; uma divindade reduzida à pura compreensão, complacente com toda a sorte de escolhas, prazeres e entendimentos do ser humano – esse não é o Deus que se revela na Bíblia. Preferem se levantar contra pastores e igrejas contribuindo com o descrédito aos evangélicos. Quem tem feito isso no Brasil? Os mesmo autores que ocupam 95% de suas produções intelectuais para se lançarem contra os poucos que tiveram coragem de se levantar nesse país pra gritar – aqui ainda é uma democracia! São os mesmos que não tendo coragem para admitir abertamente, acolhem de bom grado a teologia inclusiva, pois opinam e defendem pontos por demandas sociais e minorias, mesmo que para isso tenham que neutralizar a hamartiologia explícita das escrituras – tentam demolir um pilar doutrinário inteiro, menos é claro, os pontos que lhes convém para continuarem condenando e atacando aqueles que sem qualquer consideração rotularam de radicais, extremistas e fundamentalistas. Essa gente exige dos outros um amor que os próprios não manifestam.
Tenho analisado textos de escritores, blogueiros, teólogos e colunistas cristãos internet afora e pasmem, poucos manifestam posição na apresentação integral das Escrituras. Percebo uma crescente proposta de secularização da igreja, uma deteriorização de temor sem precedentes e o pior, uma tentativa de relativizar e até invalidar colocações cabais que a bíblia faz sobre o pecado. Tudo isso porque os modernos, descolados, inteligentes e diplomados “defensores do evangelho” tomam posições opostas a tudo o que conhecemos sobre o cristianismo sal da terra e luz do mundo. Estão de mãos dadas com o mundo, apoiando a movimentos liberais e tornando-se libertinos ao se calarem (e quem cala consente). Como forma de tentarem justificar suas insensatas posições de defesa ao que é abominável põe-se a atacar o que acham serem os bodes dentro do aprisco gospel, principalmente os pastores e políticos que estão na mídia.

Essa igreja nacional não está enferma só pelos descabimentos midiáticos de um evangelho da prosperidade ou por aparentes políticas utópicas, recheadas de ideais teocráticos (o que eu particularmente acho absurdo como proposta política). Está moribunda também pela existência de crentes membros da igreja de Laodicéia, mornos que não tomam posições diante do evangelho completo, porque sabem que ao fazê-lo perderão elogios rasgados, não serão mais acalentados pelos adeptos da “fé rosa” e nem mais compartilhados pelos milhares de leitores de seus textos pomposos. Percebe-se em suas composições textuais extremas subjetividades, ausência de pauta bíblica, achismos, apelação à polêmicas, generalizações, permutas ideológicas e daí bandeiras nada cristãs.

Se vocês acham razões para apontar pecados e descalabros das personificações evangélicas deste país por meio de uns poucos pastores e políticos, que mais parecem showmans que ministros do Evangelho, ao menos também poderiam defender as posições claras das Escrituras ou nos demonstrar quais são as reais posições de vocês – mostrem-nos o zelo pela verdade, por todo conselho de Deus, além de serem arquétipos da crítica a personalidades evangélicas. Se quiserem – pois dá IBOPE, continuem a crucificar o Malafaia, a expurgar o Feliciano, a desdenhar da Marisa Lobo, a insultar o Júlio Severo; façam piadas do Macedo, dêem risadas sobre o chororô do Valdomiro, sentenciem o David Miranda (eu não recomendo que dispensem esses tratamentos a ninguém). Mas por favor, manifestem vossa posição sobre o que é pecado, inclusive o homossexualismo. Apresentem a vossos leitores com amor tudo o que a bíblia diz sem meios e rodeios. Isso é posicionamento sobre o que a Palavra de Deus expressa e tem suas conseqüências, vocês topam?

É tempo de combatermos dentro do mundo cristão esse evangelho humanista que está forjando um deus moralmente manifesto na via única do amor; uma divindade reduzida à pura compreensão, complacente com toda a sorte de escolhas, prazeres e entendimentos do ser humano – esse não é o Deus que se revela na Bíblia. Preferem se levantar contra pastores e igrejas contribuindo com o descrédito aos evangélicos. Quem tem feito isso no Brasil? Os mesmo autores que ocupam 95% de suas produções intelectuais para se lançarem contra os poucos que tiveram coragem de se levantar nesse país pra gritar – aqui ainda é uma democracia! São os mesmos que não tendo coragem para admitir abertamente, acolhem de bom grado a teologia inclusiva, pois opinam e defendem pontos por demandas sociais e minorias, mesmo que para isso tenham que neutralizar a hamartiologia explícita das escrituras – tentam demolir um pilar doutrinário inteiro, menos é claro, os pontos que lhes convém para continuarem condenando e atacando aqueles que sem qualquer consideração rotularam de radicais, extremistas e fundamentalistas. Essa gente exige dos outros um amor que os próprios não manifestam.

Não aceitamos essa eisegese que torna espúria a manifestação escriturística da justiça de Deus, frente a qual todo homem terá contas a prestar. Percebe-se intolerância nos discursos e nas atitudes de quem mais pede tolerância. Exigem respeito, mas te ofendem se você simplesmente não concordar com suas posições contrárias ao Evangelho. Todo homem e mulher que não se arrependerem, confessarem e abandonarem suas práticas de mentiras, vícios, adultérios, fornicação, adultério, homossexualismo, lesbianismo, pedofilia, glutonarias, hipocrisia, ira, soberba e tantos outros pecados que as escrituras condenam irão para o inferno final – o lago de fogo e enxofre.

Essa pregação inclusiva, que se diz evangélica é a promulgação dos estatutos futuros do reino do Anticristo nessa terra e é uma negação das posições mais explícitas da bíblia contra as aberrações de conduta produzidas pelo pecado. Esse teologismo-gay à moda brasileira sob influências de esquerda e declínio espiritual europeu tende a crescer e a manifestar quem é a favor ou contra a pregação do verdadeiro e completo Evangelho. A discussão e o entendimento sobre homofobia no Brasil é pertinente e precisa avançar até ao ponto do respeito civil ser mútuo e que as leis não imponham privilégios a poucos, mas que garantam direitos e proteção iguais aos cidadãos brasileiros, independente de opção sexual, filosófica ou religiosa – é para isso que serve a dita laicidade do Estado. Mas, em matéria de bíblia a história é outra, e apelo aos leitores do texto à fixarem-se nesta linha. A bíblia condena o homossexualismo e não há teologia inclusiva, integral, semântica ou exegese que prove o contrário disso. A boa notícias é que Deus nos ama do jeito que somos a fim de nos transformar à Vontade Dele!

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.
Imprimir Enviar por email


Autor(a)
Silvio Costa
Silvio Costa

Não aceitamos essa eisegese que torna espúria a manifestação escriturística da justiça de Deus, frente a qual todo homem terá contas a prestar. Percebe-se intolerância nos discursos e nas atitudes de quem mais pede tolerância. Exigem respeito, mas te ofendem se você simplesmente não concordar com suas posições contrárias ao Evangelho. Todo homem e mulher que não se arrependerem, confessarem e abandonarem suas práticas de mentiras, vícios, adultérios, fornicação, adultério, homossexualismo, lesbianismo, pedofilia, glutonarias, hipocrisia, ira, soberba e tantos outros pecados que as escrituras condenam irão para o inferno final – o lago de fogo e enxofre.

Essa pregação inclusiva, que se diz evangélica é a promulgação dos estatutos futuros do reino do Anticristo nessa terra e é uma negação das posições mais explícitas da bíblia contra as aberrações de conduta produzidas pelo pecado. Esse teologismo-gay à moda brasileira sob influências de esquerda e declínio espiritual europeu tende a crescer e a manifestar quem é a favor ou contra a pregação do verdadeiro e completo Evangelho. A discussão e o entendimento sobre homofobia no Brasil é pertinente e precisa avançar até ao ponto do respeito civil ser mútuo e que as leis não imponham privilégios a poucos, mas que garantam direitos e proteção iguais aos cidadãos brasileiros, independente de opção sexual, filosófica ou religiosa – é para isso que serve a dita laicidade do Estado. Mas, em matéria de bíblia a história é outra, e apelo aos leitores do texto à fixarem-se nesta linha. A bíblia condena o homossexualismo e não há teologia inclusiva, integral, semântica ou exegese que prove o contrário disso. A boa notícias é que Deus nos ama do jeito que somos a fim de nos transformar à Vontade Dele!

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.
Imprimir Enviar por email


Autor(a)
Silvio Costa

Justiça nega pedido de despejo feito contra Igreja Batista da Lagoinha




Na última semana a 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu a favor da Igreja Batista da Lagoinha em uma disputa por um imóvel iniciada pela empresa hoteleira Carneiro Paes. O imóvel que motivou a disputa fica localizado no Bairro Boa Esperança, em Santa Luzia, na Grande BH, e é onde funciona o Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono (CTMDT).

A área onde está construído a CTMDT, equivalente a 18 lotes, foi adquirida pela igreja em novembro de 2003 pelo valor de RE 910 mil. O acordo do negócio envolvia o pagamento de um sinal de R$ 230 mil, um cheque de R$ 20 mil, um veículo mais notas promissórias no valor de R$ 50 mil cada.

Após o negócio ter sido reformulado por outros sete contratos, que incluíram as empresas Mercato Consultoria Imobiliária e PQS Empreendimentos Educacionais, e finalizou em uma permuta pela qual a igreja ficaria com o imóvel de Santa Luzia e a empresa de hotelaria com sete flats, a empresa ajuizou ação contra a igreja e outras pessoas envolvidas no negócio alegando que não recebeu o valor integral.

No processo, a empresa afirma que recebeu apenas o equivalente a R$ 157 mil e requerendo a anulação da escritura que transferia os lotes à igreja e o cancelamento do registro no cartório de registro imobiliário de Santa Luzia. O pedido incluía também a reintegração de posse do imóvel e uma indenização por danos morais e materiais.

Em decisão proferia em março de 2012, o juiz Rogério Santos Araújo Abreu, da 3ª Vara Cível de Santa Luzia, já havia julgado como improcedentes os pedidos. Segundo o jornal Estado de Minas, o magistrado afirmou não haver provas de que a empresa de hotelaria teve qualquer prejuízo com as transações, e condenou a empresa por má-fé, arbitrando multa de 1% sobre o valor da causa em favor dos outros envolvidos no caso.

Após a decisão inicial do caso, a empresa recorreu ao TJMG. Porém, os desembargadores Evandro Lopes da Costa Teixeira, Eduardo Mariné da Cunha e Luciano Pinto mantiveram a sentença da primeira instância. Teixeira, que é relator do caso, sustentou na decisão haverem provas no processo de que os flats foram transferidos a terceiros, a pedido da Carneiro Paes hoteleira, e com a sua anuência.

- É inegável que a empresa hoteleira recebeu os flats que lhe foram prometidos pelas empresas Mercato e PQS e exerceu sobre eles os poderes inerentes a sua propriedade, haja vista que deles dispôs livremente, sendo certo que as transferências da propriedade foram ‘per saltum’ – concluiu o relator.


De acordo com o jornal O Tempo, ainda cabe recurso ao caso.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Orando com fé e inteligência




Para servir a Deus é imprescindível agir racionalmente. Realizar o exercício do cristianismo prático, desenvolver o culto racional cotidianamente, dentro e fora dos templos. Ao orar, compreender que o que esperamos receber do Senhor só será recebido se houver disposição de repartir com o próximo.
"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" - Romanos 12.1-2.
Perdoar é uma característica de quem ama a Deus e se ama de verdade.

Repare, o ato do Senhor nos perdoar tem como condição a nossa disposição de perdoar o outro.


A oração do Pai Nosso nos ensina claramente isso:

"E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve, e não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do mal" - Lucas 11.4.

Observe a instrução de Jesus Cristo sobre a oração exemplar:

"E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas" - Marcos 11.25.

E aos que esperam receber misericórdia divina, há o alerta mais do que importante. É:

"Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados" - Judas 1.2.

"Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo" - Tiago 2.13.


E.A.G.

Homem sofre ataque cardíaco fulminante, para de respirar por 45 minutos e tem visão do céu





Uma parada cardíaca teria proporcionado a um norte-americano um arrebatamento ao céu e visões de um lugar amplamente iluminado, cheio de flores.
O homem em questão é Brian Miller, 41 anos, paciente com problemas cardíacos. Brian passou por uma arritmia fulminante, chamada fibrilação ventricular, que é quando o coração vibra, mas sem força suficiente para fazer o sangue circular pelo corpo.
“A única coisa que me lembro é que comecei a ver a luz e que comecei a caminhar em sua direção. Era a coisa mais linda que eu vi”, contou Brian, que passou 45 minutos sem respirar e disse ter encontrado a sogra, que havia falecido uma semana antes.
No encontro inusitado, Brian disse que sua sogra estava acompanhada de uma espécie de equipe de paramédicos, e disse a ele que ainda não era sua hora de partir pois haviam muitas coisas que ele precisava organizar com sua família.
Mesmo com o longo período sem respiração, os batimentos cardíacos de Brian foram normalizados, e ele se recuperou de forma milagrosa, sem seqüelas ou danos cerebrais, de acordo com informações do Christian Post. “Existe vida após a morte e as pessoas precisam acreditar nisso em algum momento”, disse Brian.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.