“Andar com Deus significa ser rejeitado pelo mundo





Quantas vezes temos plena convicção que não estamos bem, parece-nos ter acontecido alguma coisa, mais não entendemos o que, como se nosso ser quisesse nos dizer, mais não conseguimos entender, sabemos que algo não esta normal, no entanto, não temos explicações para o motivo, tentamos até falar, mais corremos o risco em parecemos néscios, porque não temos como expressar o que há conosco. Tendenciosamente fazemos as coisas no mundo secular, sem o verdadeiro sentido que deveria ter, temos consciência que dentro de nós existe algo que precisa ser mudado, mais o que? E como fazer? São perguntas que nós mesmos nos fazemos e que as respostas si perdem em outra dimensão.


Obg Pai, "Quando eu chorar , vou me lembrar que... até aqui tua mão me sustentou"

Rizonaldo Martins Barreto








Eis que Deus é o meu ajudador, o Senhor está com aqueles que sustêm a minha alma. Salmos 54:4


 Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, Senhor, me susteve. Salmos 94:18

Cair e Levantar Por Fabio Blanco





É um desafio manter-se estável. Nós, que vivemos em um país instável, de espírito instável, com aquela alma latina passional, lutamos para não parecermos vacilantes e inseguros. Nos deparamos, diariamente, com uma batalha por mantermo-nos firmes e motivados, mas há dias que estamos mais entusiasmados que outros.
Para os que dizem ter fé, então, tudo isso parece mais desafiador ainda, pois o desânimo toma contornos de pecado. Parece inadmissível fraquejar, por um instante que seja. Todavia, a insegurança e a dúvida nunca deixam de, em algum momento, apresentar-se para todos e isso, para quem espera viver na fortaleza inabalável da fé, torna-se como uma acusação contra suas próprias convicções.
No entanto, nada dá mais segurança do que enfrentar a realidade como ela se apresenta, e nada é mais certo do que a instabilidade da alma humana. Portanto, aceitar esta instabilidade é o que pode haver de mais fortalecedor.
Mas como anunciar uma fé de esperança sendo ainda instável? Não parece isso uma grande ilusão e até uma hipocrisia? Se esta fé é um fundamento firme e uma certeza, não deveria ela, de maneira imediata, transformar seu portador em uma pessoa inabalável?
Quem acredita que um cristão é alguém que não tem mais qualquer dúvida, nem medos, nem vacilos, sequer entendeu o que é o cristianismo. Não compreendeu a proposta divina e confunde a transformação que ocorre na vida de um convertido, que é gradual e constante, com aquilo que ele um dia será. Querer que neste momento o homem se desfaça completamente de todas suas instabilidades é antecipar o céu e negar a realidade presente. Se lá é a certeza da vida iluminada pela presença divina que se manifestará, aqui, o que temos são apenas vislumbres atenuados daquela luz. Portanto, não estamos prontos.
Entender esse caráter transitório e intermediário de nosso ser é a fonte para a saúde espiritual. Ter consciência que o presente é uma perpétua luta entre as forças extremas do céu e da terra em cada um é a única forma de se manter são. Negar isso, é mergulhar em paranóia e frustração.
Por outro lado, aceitar o fato de que há uma batalha constante em nosso ser é, por contraditório que pareça, aquilo que nos fará mais fortes. Um bom soldado, afinal, é aquele que se prepara para a guerra.
Cansei de ver, na minha experiência cristã, pessoas que em um momento pareciam inabaláveis, seguras e indubitáveis caírem fragorosamente. Quando a Bíblia alerta para que aquele que está em pé cuide para não cair (1Co 10.12) não diz isso como uma ameaça, mas como um alerta sobre a realidade da natureza humana. Por isso que Paulo, logo em seguida (v. 13), como que para confirmar essa realidade, afirma que toda a tentação que sofremos é humana.
Ser humano é isso mesmo! É estar no meio do caminho entre duas realidades extremas: o céu e o inferno.
Bruzo Zevi, arquiteto italiano, dizia que o cristianismo glorifica o homem dinâmico. Isso é bem interessante e pode ser entendido de diversas formas. O cristianismo é uma religião universal, que permeia todo o mundo, que se baseia em uma ordem de pregação dada por seu mestre. É também uma religião de vocação, que é a resposta a um chamado, que é um caminho de volta a Deus. Mas também o cristianismo é dinâmico porque o homem é dinâmico. Ele não é ainda um ser pronto. Sequer sabe ao certo seu destino eterno. Ele está entre a salvação e a perdição.
O homem presente é dinâmico e não estático. Ele está em um movimento ascendente ou descendente. Certamente, aquele que acredita que pode viver apenas na manutenção de seu status é certo que se encontra em movimento descendente.
Diante disso, há para este homem um ideal (inalcançável no presente mundo), que é a perfeição. Esta, nada mais é, do que a plena capacidade de sua espécie. Isso, porém, apenas no céu. Mas o ideal é um norte, uma direção. Portanto, quando a Bíblia nos chama à perfeição, ela não espera que sejamos sem falhas, mas que, dinâmicos que somos, tomemos a rota ascendente em direção a ela.
Os salvos, os santos, os perfeitos não são aqueles que já desfrutam de tais estados, mas os que seguem na direção de atingir a salvação, a santidade e a perfeição. São para aqueles que se encontram no caminho ascensional que Cristo pode dizer, como disse para o ladrão da cruz, que se encontrará com eles no Paraíso. O ladrão, ainda que sem tempo de provar sua fé, de demonstrar em atos seu reconhecimento da divindade de Cristo, pôde ser salvo pois, naquele momento, se colocou na rota ascendente.
Não há, portanto, porque pensar em desistir, só por causa dos tropeços que tomamos nesta vida. Há pessoas que esperam tanto de si, que acreditam que precisam ser tão imunes aos vacilos que, quando caem de alguma maneira, não encontram mais forças para levantar. Lembrem-se: cuidemos para não cair, mas se isso acontecer, Deus é fiel (1Co 10.13) para nos dar o escape propício.

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.


Míssil atinge Jerusalém e deixa Israel pronto para guerra 75 mil reservistas foram convocados e estão de prontidão





As Brigadas Ezzedine al-Qassam, o braço armado do Hamas na região da Faixa de Gaza, assumiram a responsabilidade pelo foguete M75 que caiu em Jerusalém ontem. Trata-se do primeiro ataque contra a cidade eterna desde a década de 1970.
A sirene de alerta soou no início da tarde na cidade, assustando os moradores. Ninguém ficou ferido. Horas antes, outro foguete caiu perto de Tel Aviv, gerando pânico na praia perto da costa. Caiu perto da embaixada dos Estados Unidos, gerando um clima de crise internacional.
“A Força Aérea realizou a maioria das missões e nós registramos sucessos significativos. O exército está pronto para expandir sua operação”, explicou Moshé Yaalon, ministro de Assuntos Estratégicos. Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense, que está em campanha eleitoral, declarou que tomará “todas as ações necessárias”. Foram convocados 75 mil reservistas para ficarem em estado de alerta, significando que o país está se preparando para uma guerra iminente.
Esse é o maior número de convocações extraordinárias no país em décadas. Para termos de comparação último conflito sério  com o Hezbollah, em 2006 e à ofensiva Chumbo Fundido em Gaza, 2008, não chegaram a 40 mil. O canal 10 da TV israelense informa que até agora foram mobilizados cerca de 20 mil. Uma soldado entrevistado pela agencia EFE disse que “bases inteiras ficaram vazias” após  o deslocamento de forças militares para a fronteira.
Curiosamente, a guerra já foi declarada nas redes sociais. O perfil oficial do Hamas no Twitter foi usado para fazer ameaças e postar mensagens e fotos dos recentes ataques israelenses. Por seu lado, o exército israelita usou suas diversas contas no Facebook e no Twitter, para revidar e fazer pedidos de retuites de textos antipalestinos. Dos dois lados a palavra guerra foi usada exaustivamente.
No mundo real, nos últimos dias, cerca de 280 foguetes foram disparados contra Israel pelos palestinos da Faixa de Gaza. Destas, 130 fora interceptados pelo sistema antimísseis do exército israelense. Mesmo assim, três pessoas morreram e várias ficaram feridas.
Jornalistas das agências de notícias relatam que tropas foram transportadas em carros blindados na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza. Tanques já estão no local há mais de 48 horas.
Vários países, incluindo Estados Unidos e Alemanha, pediram que o Egito, que estaria fornecendo armamentos ao Hamas em Gaza, para acalmar a situação.
Por outro lado, manifestações em apoio ao Hamas foram presenciadas  na Cisjordânia, no Irã, no Egito e em campos de refugiados palestinos no Líbano. O movimento xiita Hezbollah comemorou os ataques, comemorando um “avanço significativo”.
O presidente palestino, Mahmud Abbas, ressaltou que a ofensiva a Israel é uma resposta a operação chamada “Pilar da Defesa”, que resultou no assassinato do chefe militar do Hamas, Ahmed Al-Jaabari. Ao todo,  23 palestinos foram assassinados nos últimos três dias e 235 ficaram feridos após cerca de 500 ataques aéreos israelenses.
O conflito se acirrou no memento em que a Palestina procura o reconhecimento de um Estado independente pela ONU, que deve ser votada na Assembleia Geral dia 29 de novembro. Jerusalém é um dos principais pontos da negociação de paz. Pois, enquanto Israel declara  Jerusalém como cidade “unificada e indivisível”, os palestinos desejam que a porção oriental da cidade seja a capital de seu futuro Estado. As informações são do portal G1.

noticias.gospelprime

Israel bombardeia Gaza em resposta à morte de jovens Os três estudantes israelenses foram mortos a tiros e o governo culpa o Hamas





Os três jovens israelenses que estavam sequestrados foram mortos e o governo de Israel responsabilizou o Hamas pelo crime. Em resposta, Israel iniciou um bombardeio em mais de 30 alvos na Faixa de Gaza.
Os locais alvejados por aviões F-16 são principalmente campos de treinamento de grupos armados palestinos. Na madrugada desta terça-feira (noite de segunda em Brasília) o exército israelense bombardeou posições do Hamas e da Jihad Islâmica no Sul de Gaza.
Os jovens Eyal Yifrach, de 19 anos, Naftali Frenkel e Gilad Shaer, ambos de 16, foram sequestrados na Cisjordânia no dia 12 de junho e seus corpos foram encontrados recentemente próximo a um campo perto de Hebron.
De acordo com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, eles foram “assassinados a sangue frio”. A revolta do premiê era tanta que ele chegou a chamar os responsáveis pelas mortes de “animais em forma de seres humanos”.
O Hamas negou ser o responsável pelo sequestro e afirmou que estava pronto para revidar qualquer ação militar de Israel dizendo que a nação judaica iria para “o inferno”.
“Se os ocupantes se lançarem em uma escalada ou guerra, abrirão para si mesmos as portas do inferno”, declarou o porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri, à imprensa.
Para Netanyahu o sequestro e a morte dos jovens é consequência da reconciliação entre a Autoridade Palestina e o Hamas. Recentemente o presidente Mahmoud Abbas assinou um acordo com o Hamas para a formação de um novo governo palestino, acabando com os tratados de paz que estavam em negociação com Israel. Com informações VEJA.


noticias.gospelprime

Ateus que pediram retirada de cruz do memorial 11 de setembro são obrigados a explicar porque consideram o monumento “repugnante”




Uma iniciativa de ativistas ateus para remover uma escultura em forma de cruz no memorial às vítimas do 11 de setembro, em Nova York, foi repudiada pela Justiça norte-americana, que cobrou explicações sobre a postura dos incrédulos.
O grupo American Atheists entrou com uma ação em 2011 pedindo a retirada da cruz do local, por considerá-la “ofensiva” e “repugnante” e porque seria inadequado que uma “cruz, um símbolo cristão” fosse usado “para representar todas as vítimas” do atentado terrorista.
Com 17 metros de altura e feita a partir de duas vigas dos escombros do World Trade Center, a cruz é um dos pontos mais frequentados no memorial. Durante os trabalhos de busca por vítimas, a cruz tornou-se uma espécie de santuário ou lugar de conforto para os bombeiros. Posteriormente, a cruz foi colocada num local mais acessível aos moradores da cidade e turistas.
De acordo com informações da Fox News, a Corte Federal de Apelações solicitou que os advogados dos ativistas ateus expliquem por quais motivos o monumento é “repugnante” e “ofensivo”, uma vez que os autores da ação sustentam a tese de que a cruz teria causado danos aos que não compartilham da mesma fé.
Eric Baxter, conselheiro do Fundo Becket pela Liberdade Religiosa comemorou a decisão do tribunal e argumentou que a Justiça não poderia acatar um processo por simples desconforto de um grupo com um “um artefato histórico exibido em um museu”, e acrescentou que a postura da Corte resgata o princípio de que a Constituição do país foi redigida para proteger a religião, e não para tratá-la de forma desconfiada.
O juiz responsável pelo caso estabeleceu o dia 14 de julho como data limite para que os ativistas ateus expliquem o motivo de considerarem a cruz uma “lesão constitucional” aos familiares das vítimas do 11 de setembro.

 Publicado por Tiago Chagas

Pastor Silas Malafaia dispara contra decreto da presidente Dilma que estabelece Conselhos Populares: “Estamos vendo uma réplica da Venezuela”





A presidente Dilma Rousseff (PT) assinou um decreto que estabelece a participação de conselhos populares nas decisões do governo e a reação de grande parte da sociedade civil organizada foi de protesto.
Em muitos jornais e sites de análise política, o decreto foi visto como “golpista” e “inconstitucional”, e o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi taxativo ao dizer que o decreto da presidente fere a lei: “Diante desse quadro de inconstitucionalidade e em atenção às críticas de parlamentares, juristas e cientistas políticos, envidaram-se esforços com vistas à revogação do decreto, mas as tratativas com o Poder Executivo não prosperaram”, disse, lamentando a assinatura da medida por Dilma.
“O decreto está em desarmonia com o princípio da separação dos Poderes, pois ao Congresso Nacional cabe, precipuamente, formulação de políticas públicas, por meio de lei, após amplo debate entre todas as forças políticas – da situação e da oposição – sobre as mais diversas demandas de todos e quaisquer grupos da sociedade, alinhados ou não, ao governo”, acrescentou o deputado federal.
O pastor Silas Malafaia usou seu Twitter para atacar a iniciativa da presidente Dilma Rousseff, e afirmou que a intenção do governo petista é instalar no Brasil um regime semelhante ao criado pelo falecido Hugo Chávez na Venezuela.
“Dilma por decreto quer dar poder a conselhos populares. A questão é que grande partes dos conselhos são bancados pelo governo. É uma afronta ao Legislativo a criação desses conselhos. O que estamos vendo é uma réplica da Venezuela, é o controle total do Estado”, disparou o pastor.
Diante dos argumentos de alguns internautas, que apontaram a chance de maior participação do povo nas decisões do governo, Malafaia afirmou que o decreto deturpa os Poderes estabelecidos pela Constituição Federal de 1988: “Tem alguns aqui que se fingem de bobinhos. Conselhos populares financiados com verbas de governo, igualzinho no comunismo, inocente! A Constituição diz que quem representa o povo é o Congresso Nacional. O resto é coisa de comunista. O que norteia a sociedade é o direito de todos se expressarem independente de crenças, ideologias e valores. Aprenda!”.
Por fim, Malafaia lembrou as eleições no próximo mês de outubro e alertou os fiéis evangélicos sobre a necessidade de escolher bem o voto: “Povo evangélico em hipótese nenhuma podemos abrir mão do voto a deputado federal e estadual. O que esta em jogo é a nossa liberdade, perigo! Existem mais de 800 projetos no Congresso para minarem crenças, valores que tem norteado o bem estar da sociedade. Não podemos brincar. Estou alertando os lideres evangélicos e o povo de Deus. Não falem que não foram avisados. O povo é destruído pela falta de conhecimento”, frisou.



Publicado por Tiago Chagas


Momento Difícil - Desabafo de um trabalhador.







Hoje como muitos outros irmãos que saem logo cedo para trabalharem, fui vitima de um ASSALTO. Passava das 05:00 horas quando desci do prédio onde moro e fui até ao ponto do ônibus faltando pouco para o mesmo passar, só que de repente não sei de onde surge 02 elementos numa moto e param próximo á mim e um deficiente que se fazia presente no momento na mesma parada, imaginava eu que seria um passageiro a mais, só que voltando á visão estava lá o elemento apontando um revólver e ordenando que desse o dinheiro e celular, obedecendo seu comando esvaziei os bolsos e junto á uma pequena quantia estimada em quase R$ 100,00 (Cem Reais) coloquei também o celular que pertencia á Empresa que trabalho, achando pouco ainda olhou para meu bolso da camisa e perguntou: O que é isto no bolso? Respondi meus documentos e minha habilitação, tirei e coloquei no chão. Após a subtração do que seriam frutos do assalto saíram ordenando que me afastasse de costas e de mãos na cabeça assim fiz e sempre de olho na sua nervosa mão portadora de uma arma.
Estou seguro de que "aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus" (Fp 1:6).
Obrigado Pai!!! Apesar do susto e aumento adrenalina, vamos á luta.








 Pois me livraste da morte
e aos meus pés de tropeçar,
para que eu ande diante de Deus
na luz que ilumina os vivos.
Salmos 56:13

Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.
Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.
Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.
Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.
Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,.
Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.
Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.
Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.
¶ Porque tu, ó Senhor, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação.
Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

Salmos 91:1-11

Fazer o que é certo ou fazer o bem? Por Armando Taranto Neto





Está registrado em Lucas 10.25-37
E eis que se levantou certo doutor da lei e, para o experimentar, disse: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?
Perguntou-lhe Jesus: Que está escrito na lei? Como lês tu?
Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.
Tornou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isso, e viverás.
Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo?
Jesus, prosseguindo, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo.
De igual modo também um levita chegou àquele lugar, viu-o, e passou de largo.
Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão;
e aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele.
No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar.
Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?
Respondeu o doutor da lei: Aquele que usou de misericórdia para com ele.   Disse- lhe, pois, Jesus: Vai, e faze tu o mesmo.
Era muito comum os judeus tratarem de questões teológicas em público e, nesta conversa, um doutor da Lei faz uma pergunta a Jesus na intenção de pegá-lo em contradição. Pobre fariseu. Um grande
número de Escribas, aqueles que tinham o ofício de copilarem os Escritos Sagrados dos diversos autores do Antigo Testamento, com o passar do tempo, em virtude de suas intimidades Escrituristicas, se tornavam Doutores da Lei.
Jesus conhecia o intento de Seu algoz.
“- Mestre o que farei para herdar a Vida Eterna?”
Esta na verdade é a grande pergunta universal. Jesus, no entanto o leva para o campo de combate, a Lei.
“- Você conhece a Lei, o que Ela diz a respeito? Como você a interpreta?”
O Doutor faz a citação clássica dos dois maiores mandamentos: “Amar a Deus sobre todas as coisas, no mais profundo do nosso ser e amar ao próximo como a nós mesmos”.
Jesus o encoraja a seguir estes mandamentos que no final ele seria contemplado com a Vida Eterna.
Mas o fariseu precisa polemizar ainda mais o debate e se diz desentendido com respeito de quem seja o seu “próximo”.
Como pode um homem com, supostamente, tanta experiência e intimidade das Escrituras não saber quem era seu próximo. Que grande hipocrisia; em nossos dias muitos doutores em “Deus” ainda estão por aí, prontos para nos enquadrar em cada artigo Bíblico distorcido segundo seus interesses, ávidos por nos queimarem em suas fogueiras santas. São desalmados e usam a toga de juízes do céu, conhecem tudo de Bíblia, mas não conseguem entender quem é o seu “próximo”.
Jesus resolve, então, levar o debatedor por um passeio no caminho da sua religião, que o deixara tão cego.
Mostra a figura de um homem que, por algum motivo, descia de Jerusalém para Jericó. Jerusalém é a cidade Santa e Jericó a cidade amaldiçoada.
No trajeto de descida este homem é atacado por ladrões e salteadores, ou seja, forças do mal que sempre vão atingir aqueles que se distanciam da presença de Deus para o caminho da perdição. A estrada que ligava Jerusalém a Jericó era tão perigosa que era chamada de estrada da morte.
O pobre homem, então, após o ataque e saque fica caído no caminho, ferido, meio morto. Gosto dos detalhes da narrativa, quem está “meio morto” está “meio vivo”.
O Mestre então começa a ensinar o Doutor da Lei uma nova lição e insere na parábola a bem conhecida figura do ícone da religião judaica, o Sacerdote. Este ao descer pelo caminho e ao contemplar o estado degradante em que se encontrava o viajante moribundo, ensanguentado e aparentemente morto, o vê e faz o certo, passa de longe.
Quero lembrar que segundo a Lei, um sacerdote não poderia tocar em um morto ou mesmo alguém ensanguentado em virtude de seus ofícios no templo, pois ele ficaria imundo. Ele fez o que era certo.
Desta vez, prosseguindo,  Jesus coloca em cena mais um personagem do cotidiano do Doutor da Lei, um Levita. O Levita era um servidor do templo, era subordinado direto do sacerdote nas questões cerimoniais. O Levita também deveria estar disponível para o bem estar daqueles que ofertavam a Deus. Da mesma forma que o sacerdote o Levita ficaria imundo ao tocar em uma pessoa naquelas condições, ainda que estivesse “meio viva”. Ele fez o certo, obedeceu a Lei.
Finalmente, como um providencial socorro para a pobre alma caída no caminho, cuja vida estava por um fio, aparece a abominável personificação do mal, segundo os judeus, um Samaritano, descendo pelo mesmo caminho. Só que, diferentemente dos dois bons religiosos anteriores que não se comoveram com o “próximo” ferido na estrada, este, inexplicavelmente, parou.
O Samaritano estava de viagem, tinha um compromisso, não estava de passeio, entretanto nada era mais importante do que acudir um necessitado que estava à morte. Ele não só parou, ele se aproximou. Sabe por que o Samaritano parou e se aproximou do homem ensanguentado? Porque ele não era um religioso, embora os Samaritanos tivessem uma religiosidade parecida com a judaica, um tanto distorcida. O Samaritano não estava preocupado em fazer a “Coisa Certa” segundo a Lei, mas em seu coração pulsava o “Fazer o Bem” ao próximo. Ele não estava preocupado com sua reputação ou juízos que algum “santo religioso” pudesse fazer.
Ele não só parou e se aproximou, mas ele desceu de seu cavalo, curou as feridas do moribundo, tomou-o em seus braços, levou para um hotel, contratou alguém para dar prosseguimento no tratamento do homem, pagou o gerente da hospedaria e recomendou que se fizesse o melhor pelo necessitado, e se comprometeu a voltar e pagar o que se gastasse a mais pelo desconhecido, desfigurado e ferido “Próximo”. A religião e seus dogmas corretos muitas vezes nos impedem de fazer o bem.
Jesus desfere, então, o golpe fatal no Doutor e pergunta: “- Bem, depois desta estorinha que eu te contei, acho que você já deve ter identificado quem é que foi o próximo do que estava caído no caminho.
O Doutor, contrariado, diante de uma multidão, tinha que jogar por terra um ódio secular étnico, e reconhecer que o Samaritano, embora tido como a escória da Palestina, era o exemplo de amor e desprendimento.
Infelizmente o Doutor da Lei e sua cega religiosidade o impede de verbalizar a raça do benfeitor, e simplesmente diz : “- O próximo foi aquele que usou de misericórdia.”
Fica claro, em sua resposta que o Sacerdote e o Levita perderam a grande oportunidade de salvar alguém, feito a imagem e semelhança de Deus, simplesmente por não saberem  a diferença entre “Fazer o Certo e Fazer o Bem”.
Se você tem dúvida, vai e faze tu o mesmo, “Faça sempre o Bem”.






* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.


Ex-líder do grupo extremista islâmico Boko Haram se converte ao cristianismo





Um grupo de missionários nigerianos, atuando com a ajuda do ministério Christian Aid Mission, tem feito um trabalho de pregar o Evangelho a militantes islâmicos do Boko Haram. Esse trabalho tem apresentado resultados, e muitos deles entregaram suas vidas para Jesus, entre eles um ex-líder do grupo extremista.
- Nós fomos capazes de restabelecer algumas pessoas, incluindo crianças e ex-insurgentes que deixaram o grupo rebelde e se arrependeram de seus crimes – afirmou o responsável pelo ministério, em um relatório recente do Christian Aid.
O relatório destaca que o testemunho de um ex-líder do Boko Haram, conhecido como Banga, que se converteu ao cristianismo depois de ouvir o Evangelho de João, aliado à experiência desses missionários é uma ótima ferramenta para trazer aos muçulmanos o conhecimento de quem Jesus realmente é.
- (Banga) liderou pessoalmente ataques a duas aldeias cristãs. Agora, ele chora quando ele se lembra de que pessoas inocentes foram mortas. Estou trabalhando pessoalmente com ele para ajudá-lo a superar o trauma. Ele está com um dos nossos amigos na missão, que cuida dele – explicou.
Porém, apesar das conquistas, essa equipe de missionários experientes vivencia também derrotas dolorosas. Suas vidas são constantemente ameaçadas e muitas vezes eles foram forçados a mudar a sede de seu ministério, sofrendo perseguição.
O relatório mostra que recentemente no nordeste da Nigéria, onde está a base do ministério, os insurgentes Boko Haram destruíram praticamente tudo estava ao seu alcance.
- Mulheres e homens estão sendo capturados e levados para a floresta, e parece que até agora o exército não foi capaz de resgatar ninguém. O número de homens, mulheres e crianças nos campos de refugiados dos três países vizinhos está a aumentar em centenas de milhares. Acreditamos que devemos fazer tudo o que pudermos para ajudar, mesmo com o risco da nossa própria segurança – detalhou.


 Por Dan Martins em 28 de junho de 2014

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.