Confirmado: Os EUA são o Principal Facilitador da Perseguição aos Cristãos Raymond Ibrahim








Indicadores proeminentes confirmam que os EUA são o principal facilitador da perseguição aos cristãos em todo o mundo hoje.
Senador John McCain se encontrando com terroristas islâmicos na Síria
De acordo com a recém-lançada Lista de Vigilância Mundial de 2014 que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos, a Síria é o terceiro pior país do mundo para ser um cristão, o Iraque é o quarto, o Afeganistão é o quinto e a Líbia é o décimo-terceiro. Todos os quatro países recebem a designação mais forte, de “extrema perseguição” (outras designações são perseguição de nível: “grave,” “moderado” e “raro”).
Além de estarem tão juntas e serem duramente classificadas, essas quatro nações têm outra coisa em comum: um grande envolvimento dos EUA. Três delas (Iraque, Afeganistão e Líbia) foram “libertas” graças às forças armadas americanas, enquanto que na quarta, a Síria, os EUA estão patrocinando ativamente os “combatentes da liberdade” contra o governo sírio, muitos dos quais merecem o rótulo de “terroristas.”
Só a situação da Síria é suficiente para incriminar a política externa americana. De acordo com a agência de notícias Reuters:
A organização Portas Abertas, um grupo não-denominacional que apoia os cristãos perseguidos em todo o mundo, disse nesta quarta-feira que documentou 2.123 assassinatos de cristãos que foram vítimas de martírio, em comparação com 1.201 que ocorreram em 2012. Só na Síria, foram 1.213 desses assassinatos no ano passado. “Essa é uma contagem mínima, com base no que foi divulgado na mídia e nós podemos confirmar,” disse Frans Veerman, chefe de pesquisa de Portas Abertas. Estimativas de outras organizações cristãs colocam a estatística anual em patamares maiores que chegam a 8.000.
Enquanto a maioria dos americanos estão protegidos contra a verdadeira natureza da guerra devido à relutância da mídia americana em noticiar sobre isso, a mídia, os sites e os ativistas de língua árabe diariamente noticiam e documentam atrocidade após atrocidade, decapitações e ataques de bomba a igrejas, cristãos sendo massacrados por se recusarem a se converter ao islamismo e incontáveis sequestros com o propósito de resgate ou estupros, tudo isso pelas mãos daqueles que os EUA apoiam.
É suficiente destacar que “o maior massacre de cristãos na Síria,” para citar um importante líder religioso, ficou totalmente sem cobertura jornalística de todas as grandes redes de notícias dos EUA.
De qualquer forma, as estatísticas falam por si: a Síria costumava ser tolerante com as religiões, mas depois que os Estados Unidos começaram seus esforços de trazer “democracia” a esse país, a Síria é hoje o terceiro pior país do mundo em termos de "extrema perseguição" aos cristãos.
A agência de notícias Blaze informa que o Dr. David Curry, presidente de Portas Abertas,
acusou que o governo de Obama tem, essencialmente, se recusado a fazer da proteção das minorias religiosas uma prioridade… “Há muitos casos em que o vácuo de liderança e representatividade criaram um problema real,” disse o líder dos direitos humanos. “Eu diria que todos os dados significativos apontados neste ano da Lista de Vigilância de 2014 são piores — e eu acho que um fator que contribuiu é a falta de liderança dos governos ocidentais, incluindo… os EUA em termos de liberdade religiosa.”
Mas é pior que isso. Longe de tomar qualquer ação ou mostrar liderança, ou simplesmente parar de apoiar os terroristas responsáveis — o governo de Obama recentemente tentou entrar em guerra com a Síria em favor dos “combatentes da liberdade” e, pasmem, em nome de “direitos humanos.” (Ao que tudo indica, o boato infundado de que Assad massacrou pessoas é o suficiente para os EUA irem à guerra, mas os bem documentados massacres de cristãos e outros civis que estão ocorrendo nas mãos da oposição não é suficiente para que os EUA parem de apoiá-los.)
O que é pior, mesmo os mais desinformados americanos que assistem ao noticiário da mídia em geral, hoje sabem que a chamada “Primavera Árabe” que foi usada para justificar o apoio dos EUA aos “rebeldes” de todas as espécies — no Egito, a Irmandade Muçulmana (que meses atrás destruiu cerca de 80 igrejas); na Líbia, a al-Qaeda, que se transformou em uma zona de terror em Benghazi; e agora os “combatentes da liberdade” na Síria — não é exatamente aquilo que estava sendo elogiado.
Em outras palavras, neste momento, sempre que os EUA intervêm em uma nação islâmica, os islâmicos chegam ao poder. Isso está muito bem comprovado nas outras três nações em que os EUA trouxeram a “democracia” e onde as minorias cristãs sofrem “perseguição extrema”:
Afeganistão:O governo supostamente “moderado” de Karzai, instalado pelos EUA, mantém muitas das leis draconianas impostas pelo Talibã, incluindo a lei da apostasia, que ferozmente perseguem aqueles que buscam se converter ao Cristianismo e, em 2011, com o patrocínio dos Estados Unidos, destruiu a última igreja cristã do Afeganistão.
Iraque:Depois que os EUA derrubaram Saddam Hussein, as minorias cristãs foram barbaramente atacadas e mortas, e dezenas de suas igrejas foram bombardeadas. Os cristãos foram quase extintos pelo terrorismo islâmico, com mais da metade deles fugindo do Iraque.
Líbia:Desde que terroristas ligados à al-Qaida e apoiados pelos EUA derrubaram Kadafi, os cristãos — inclusive cristãos americanos — têm sofrido perseguição extrema. Igrejas têm sofrido ataques de bomba, cristãos têm sido torturados e mortos (inclusive por se recusarem a se converter ao islamismo); e freiras tem sido ameaçadas.
Certamente um tema comum emerge aqui: Onde os EUA trabalham para derrubar os autocratas seculares, a qualidade de vida para os cristãos e outras minorias leva um grande tombo. Sob Saddam, Kadafi e Assad, os cristãos e suas igrejas eram amplamente protegidos.
Além disso, enquanto George W. Bush foi o responsável pelo Afeganistão e o Iraque, pode-se argumentar que, naquela época (2001 e 2003), esse padrão de radicalização islâmica que irrompe uma vez que os autocratas caem, era bem menos conhecido do que é hoje. Não havia muitos precedentes.
Por outro lado, o governo de Obama teve o Afeganistão e o Iraque para aprender — e ainda assim ele apoia os islamistas e jihadistas. Mas agora, o que acontece quando assumem o poder — perseguição religiosa, terror e opressão — já não é um segredo.
A propósito, aqueles que pouco se importam com o destino dos cristãos ou de outras minorias no mundo islâmico fariam bem em lembrar de uma simples banalidade: Sempre que elementos anticristãos chegaram ao poder, as forças antiamericanas chegaram ao poder. Os dois são sinônimos.
Dito de outro modo, a perseguição muçulmana aos cristãos é o teste decisivo de quão radical uma sociedade islâmica pode se tornar. Em todos esses países muçulmanos que os EUA interferiram — Afeganistão, Iraque, Líbia, Egito (até que os egípcios se rebelaram, para castigo dos EUA), e agora a Síria — o aumento da intolerância religiosa é um reflexo do fortalecimento das forças hostis à civilização ocidental.
Muitas vezes me perguntam, “Como podemos ajudar os cristãos perseguidos?” Neste ponto, deve-se responder: “Que tal começar fazendo com que o governo dos EUA deixe de ser o principal facilitador da perseguição aos cristãos?” Deixando o altruísmo de lado, seria do interesse de todos os que prezam a liberdade, religiosos ou não — e, especialmente, seus descendentes.
Fonte: www.juliosevero.com

Ataques a adeptos de religiões afro feitos por “traficantes que se diziam evangélicos” serão investigados pelo Ministério Público






O Ministério Público do Rio de Janeiro vai apoiar a investigação sobre os casos de intolerância religiosa contra adeptos de religiões afro-brasileiras atribuídos a traficantes que se dizem “evangélicos”.
A informação foi veiculada pelo Jornal da Band e dá conta de que foram registrados “oito ataques” aos “terreiros”, mas o mais violento teria acontecido no último mês de julho, quando os “invasores, além de quebrarem tudo, incendiaram o barracão de candomblé”.
“Nós não temos mais nenhum acervo, de tudo que nós produzíamos, que era usado nos nossos rituais. Nós perdemos tudo”, afirmou a mãe de santo Conceição D’Lyssa, relatando os ataques.
Os traficantes que se diziam “evangélicos” chegaram a proibir os cultos das religiões afro nas favelas, enfatizou a reportagem, que também ouviu o babalorixá Ivanir dos Santos. “Tem crescido o conflito nas escolas, nas relações de vizinhos e até uma atitude agressiva mais visível que é a invasão de templo, quebra de imagem”.
Conhecido pelas opiniões contundentes, o jornalista Boris Casoy disse que os “crimes motivados por intolerância religiosa aumentaram nas favelas da capital e na Baixada Fluminense”, e ao final, acrescentou que “é o momento de a Polícia buscar esses criminosos que muitas vezes agem em nome de suas crenças”.
A fala do jornalista causou revolta no blogueiro Paulo Teixeira: “Existem no Brasil grupos criminosos que atacam outras religiões em nome de suas crenças? As palavras infelizes do jornalista visaram mostrar ao telespectador qual o segmento religioso foi realmente alvo da matéria? Boris Casoy perdeu  uma grande oportunidade de ficar com a boca calada. O que ele quis insinuar? Todos sabemos que a sociedade brasileira é bastante tolerante e respeitosa. Religiosos de diversas matizes vivem em famílias, empresas e em comunidades diversas, sem precisar fazer uso da violência. Atos violentos não são incentivados por líderes religiosos e, quando praticados por alguém, é porque o autor da agressão é por natureza violento e nada tem a ver com a sua religião. Qualquer coisa diferente disso deve ser tratada como exceção”, disparou o editor do Holofote.Net.

Assista neste link à reportagem da Band sobre o caso.


 






Porque se dizer evangélico ? Tenho certeza que o verdadeiro cristão não fará isto, pois Jesus nos ensina a amar. Não devemos perseguir, mas apenas falar do amor de Jesus Cristo Pois somente o Senhor Jesus é que salva.




 E disse Joabe: Vive Deus, que, se não tivesses falado, só pela manhã o povo teria cessado, cada um, de perseguir a seu irmão. 2 Samuel 2:27

Ator Jim Caviezel demonstra sua convicção pró-vida adotando duas crianças deficientes Steven Ertelt






Ele atuou no papel principal em filmes como Além da Linha Vermelha e Conde de Monte Cristo. Fez o papel de Jesus em A Paixão de Cristo e pode ser visto na TV em vários outros papéis.
Jim Caviezel
Mas é pela sua fé firme e suas posturas pró-vida que Jim Caviezel cativou milhões de pessoas pelo mundo. E ele não é apenas pró-vida na questão do aborto. Ele coloca suas posturas em prática, cumprindo suas convicções pró-vida ao adotar duas crianças com deficiência.
Depois do feito, aqui está ele dando uma entrevista (em inglês) sobre os filhos.
Saiba um pouco mais da história de Jim Caviezel:
O bebê Bo foi abandonado em um trem na China logo após nascer. Ele foi criado em um orfanato até os cinco anos de idade e disse que nunca teve uma mãe — ele veio da lama.  Um grande e visível tumor ameaçava sua vida e afastava qualquer real esperança de receber amor ou ter uma família.
O desafio de um amigo fez com que Jim Caviezel, ator que é mais conhecido por seu papel de Jesus em A Paixão de Cristo e atualmente estrela o seriado “Person of Interest,” entrasse na vida de Bo.  Em uma entrevista a Christophers, uma organização de mídia cristã, Caviezel conta: “Esse conhecido meu disse, ‘Você é pró-vida. Te digo uma coisa, se você realmente acredita no que fala, adote uma criança. Não qualquer criança, tem que ser uma com uma séria deficiência.’” Caviezel ficou “apavorado” com a possibilidade de adotar uma criança com uma deficiência, mas no fundo de sua alma, ele sabia que era o que Deus queria dele.
Quando Caviezel encontrou Bo pela primeira vez naquele orfanato na China, ele sabia que adotar Bo significaria uma vida de médicos, cirurgias, preocupações e aflições.  Mas, em uma entrevista à Catholic Digest, Caviezel declarou: “Olhei no seus olhos e, sei que vai parecer besteira sentimentalista, mas estou falando a verdade; no meu coração eu escutei esse menino me chamando, dizendo: ‘Você vai me amar?’”
Mais tarde, Caviezel e sua esposa Kerri decidiram adotar outra criança, uma menina recém-nascida e saudável. Mas antes de concluírem a adoção, conheceram uma menina de cinco anos, também com um tumor no cérebro. “O casal declarou que eles sabiam que a criança saudável encontraria um bom lar,” disse a reportagem da agência Catholic News, “mas era mais provável que a criança doente não tivesse essa sorte.  Eles decidiram adotar a criança de cinco anos, e desde então têm sido abençoados.”
Caviezel declarou à Catholic Digest que ele se tornou um novo homem desde que adotou as crianças. “Dennis Quaid me disse há muito tempo atrás quando teve seu filho Jack: ’Você sentirá emoções que você nem sabia que existiam antes de ter um filho,’” conta Caviezel. “Agora eu sei como é. Mesmo eles sendo adotados, é tão forte quanto qualquer instinto. Isso foi o que mexeu comigo. Sempre pensei que se eu adotasse, não sentiria o mesmo que se eles fossem geneticamente meus próprios filhos. Nada poderia estar mais longe da verdade.”
Bo e sua irmã LeLe precisaram de várias cirurgias, e o tumor de Bo principalmente foi mais complicado, mas Caviezel e sua esposa se sentiram abençoados pela sua família acima de tudo. “Outro dia minha filha pulou no meu colo, colocou a mão no meu rosto e sussurrou no meu ouvido, ‘Papai, eu te amo tanto,’” Caviezel contou à Catholic digest. “Isso mexe com o seu coração. Quando você chega em casa e as crianças correm até você, vêm e agarram a sua perna. É uma coisa nossa. Eles sobem nos meus pés e eu ando com eles até a cozinha, depois rimos.”
Ao buscar ativamente viver a sua fé, Caviezel viu sua vida realizada mais do que ele jamais pensou ser possível. “Tomamos o caminho mais difícil,” declarou o ator em um artigo do Catholic.org. “Isso é o que a fé representa para mim; é ação. É o samaritano. Não é o que diz que é, é o que faz; e faz sem chamar atenção para si. Estou contando porque quero inspirar outras pessoas.”
Quando Bo, agora com 13 anos, ganhou o prêmio de estrela do mês na Victory Gymnastics Academy em março de 2011, disse que seus objetivos no futuro incluem se tornar “um policial, um bombeiro, e é claro, um pai.” Conta que gosta de tocar piano, viajar a diferentes países com sua família, e “organizar as coisas.” Ele mora com sua “mãe, pai e irmã, LeLe, que é uma bailarina.”
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo original de LifeNews: Jim Caviezel Displayed His Pro-Life Convictions by Adopting Two Disabled Children

Devocional Diário - Max Lucado










Jesus lhe entende - 04/08/2014

Quando Jesus via pessoas, Ele via uma oportunidade de amar e afirmar valor. Quando nós vemos pessoas, frequentemente só vemos milhares de problemas. O que é que Jesus sabia que permitia fazer o que Ele fazia? Ele sabia como as pessoas se sentiam, e Ele sabia que eram especiais. Espero que você nunca se esqueça disso.
Você está sob pressão no trabalho? Jesus sabe como você se sente. Tem gente que toma mais de você do que dá? Jesus entende. Ele sabe como é. Filho adolescente não escuta? Acredite em mim, Jesus sabe como você se sente. Você é precioso(a) para Ele. Tão precioso(a) que Ele se tornou como você para que você fosse até Ele. Quando você passa por dificuldades, Ele escuta. Quando você deseja, Ele responde. Quando você questiona, Ele escuta. Ele lhe ama. Ele lhe entende. E Ele pagou um alto preço para lhe levar para casa.






Tradução de Dennis Downing
em inglês “Jesus Understands You”
de “Um Dia na Vida de Jesus”

“Pai de Santo” entra em igreja para desafiar apóstolo e se converte







 

 

 

 

 

 

 

 

 

O vídeo do testemunho já foi visto mais de 140 mil vezes no Youtube

Leiliane Roberta Lopes
A Igreja Plenitude de Deus tem conquistado cada vez mais fiéis por conta da programação da TV e no rádio. A sede localizada no bairro do Brás, em São Paulo, recebe todos os dias novos frequentadores que ouvem sobre o ministério através dos meios de comunicação.
Um dos cultos de sexta-feira recebeu a visita de um suposto pai de santo que ouviu a programação da rádio e foi até a igreja para desafiar o apóstolo Agenor Duque.
Ao ser recepcionado por um dos pastores, o pai de santo afirmou que estava ali para desafiar a Deus dizendo que não existe poder capaz de torná-lo evangélico.
O apóstolo aceitou o desafio e deixou que o homem subisse ao púlpito. Em poucos segundos, com apenas uma troca de olhares, o homem caiu no chão aparentemente desacordado fazendo com que os fiéis começassem a glorificar a Deus.
Quando recuperou a consciência o pai de santo foi novamente ao chão e foi desafiado a clamar por seus deuses para conseguir levantar. Não conseguindo, ele repetiu o nome de Jesus e ficou em pé.
“Saiu o peso de mim”, disse o homem de 59 anos que antes de subir no púlpito tirou do seu bolso um maço de cigarros e o isqueiro. O homem se negou a voltar a fumar e contou que desde os 12 anos serve a espíritos malignos.
O suposto pai de santo afirmou que passou por muitas igrejas e que os pastores acabam sendo possuídos por demônios por estarem em pecado. Ele afirmou que nas igrejas por onde passou viu casos de infidelidade de pastores e obreiras que traíram seus esposos com outros obreiros. Decidido a desmascarar a Igreja Plenitude, o homem não conseguiu jogar “sua coroa” espiritual consagrada no cemitério e acabou perdendo a batalha.
O apóstolo Agenor, que estava ao lado de sua esposa, bispa Ingrid Duque, disse que antes de sair de sua casa foi incomodado pelo Espírito Santo para fazer um jejum e isso o fortaleceu para vencer esse desafio. Aos fiéis o líder religioso gritava: “Vale a pena ser fiel” e “não saia dessa igreja”.
Depois de aceitar que perdeu, o homem afirma que fazia parte do desafio se render a Deus. Ao responder perguntas do apóstolo, chama atenção seu vocabulário, frases como “eu creio” e “aviva sua obra em mim” fazem parte de suas respostas. O vídeo foi postado no Youtube no dia 30 de julho e já tem mais de 140 mil visualizações e mais de 800 comentários.
Assista:
 
 

Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com

EIIL louva John McCain por ajudar terroristas islâmicos a invadir o Iraque Theodore Shoebat







Edinei Machado, que é cidadão americano, comenta: Às vezes fico pensando o quão Deus é sábio, insondável é sua sabedoria. Explico: Já imaginaram se John McCain tivesse vencido as eleições para presidente dos EUA em 2008? Obama é um desastre, mas imagine se McCain tivesse ganho! McCain parece estar possesso. Dia e noite ele pede guerra na Síria, para “liberar” o povo sírio. Imagine aí: Por ele, as tropas americanas já estariam na Ucrânia “liberando” o povo ucraniano. Continue imaginando aí: Ele foi um dos entusiastas de Bush, que via um paraíso no Iraque até que o que já era ruim, ficou muito pior. Quando da confusão na Líbia, ele parecia um paspalho na TV, como se fosse o próprio presidente, dizendo a toda hora que Obama estava demorando muito para “ajudar” os democráticos líbios que queriam liberdade e democracia. Obama acabou fazendo o que fez lá, e hoje, o inferno é mesmo ali. Deus permitiu que um líder marxista virasse presidente dos EUA porque as outras opções (inclusive Romney), nestes assuntos, já teriam lançado todos num inferno de guerras e mortes. Perfeito é o Senhor nos seus planos.
A organização terrorista islâmica EIIL (Estado Islâmico no Iraque e Levante) divulgou um comunicado atribuindo seu sucesso na guerra do Iraque a John McCain, a quem eles agradeceram. Na declaração, eles escreveram:
…o guerreiro John McCain foi à tribuna do Senado para reclamar como um doido enraivecido contra as vitórias que o Estado islâmico está obtendo no Iraque. Ele esqueceu que ele mesmo participou da invasão do Iraque que levou aos benditos acontecimentos que estão se desdobrando agora pela generosidade e justiça de Alá.
É verdade que a guerra no Iraque que foi iniciada por Bush deu poderes para o EIIL cometer os massacres e violência que está fazendo hoje. O EIIL sabe que Saddam Hussein não os teria tolerado, e não teria hesitado em despedaçá-los, como seu predecessor Nabucodonosor teria feito.
John McCain com neonazista da Ucrânia
O Iraque não precisa de democracia, mas de uma ditadura como a de Saddam. Mas graças a John McCain e outros de sua espécie, demônios como o EIIL estão invadindo o Iraque e cometendo carnificina contra os cristãos, e os terroristas islâmicos estão agradecendo McCain por suas vitórias e atrocidades.
Tudo o que posso dizer é: Sinto falta de Saddam.
Traduzido por Julio Severo do artigo do Shoebat: ISIS Praises John McCain For Helping Them Invade Iraq

Satanistas fazem campanha pró-aborto / Grupo filosófico defende que Satanás é apenas “símbolo de rebeldia contra a religião”












Um grupo de satanistas conhecido como Satanic Temple voltou a aparecer na mídia americana esta semana. Alegando possuir 10 mil membros, eles já conseguiram o reconhecimento de sua existência como religião pelo Estado. Estranhamente, afirmam que fizeram isso para ter os mesmos benefícios legais que as igrejas, embora não se considerem uma religião.
Para seus fundadores, Satanás não existe, trata-se apenas de “um símbolo de rebeldia filosófica contra crenças religiosas”. Com sede em Nova York, eles já conseguiram autorização para construir uma estátua do diabo para ser colocada ao lado de uma obra com os dez mandamentos em Oklahoma. Também tiveram autorização para realizar uma “missa negra” com sacrifício de animais dentro da famosa universidade de Harvard, fundada por evangélicos em Boston.
Agora, eles conseguiram na justiça a contestação de uma decisão garantida pela Suprema Corte americana. Um grupo cristão conseguiu regulamentar que antes de se submeter a um aborto, toda mulher deveria assinar um “consentimento informado” diante do médico. Ela então recebe instruções detalhadas sobre a prática do aborto, seus possíveis riscos e complicações. Tal ação estaria desmotivando muitas delas a prosseguir.
A vitória nos tribunais foi conseguida pelo grupo capitaneado pela empresa Hobby Lobby, de Steve Green, um bilionário que tem usado sua fortuna para que a sociedade resgate os valores bíblicos. Ele deseja ver cursos bíblicos como matéria eletiva nas escolas públicas a partir de 2017. Green disse que não quer “impor o cristianismo”, mas acredita que o futuro do seu país está em risco devido à falta de conhecimento da Palavra de Deus.
Nos últimos meses ele travou uma batalha judicial contra o governo americano que queria obrigar empresas a incluir pílulas abortivas e até mesmo abortos como parte dos seguros que são obrigados a fornecer aos seus funcionários.
O Satanic Temple deseja que cada cidadão possa ter a liberdade de fazer o que bem entender com seu corpo, sem ter de justificar seus atos a ninguém. Isso inclui tratar o aborto como um método contraceptivo e uma “questão de saúde”, sem implicações morais.
Os satanistas defendem que as mulheres poderão contra argumentar juridicamente apresentando uma carta onde afirmam que são membros do grupo e suas “crenças religiosas” estão sendo violadas com a decisão da Suprema Corte. Em outras palavras, toda mulher que desejar fazer um aborto pode alegar ser satanista (mesmo sem realmente ser) para não se submeter as leis.
Robert Destro, professor de Direito na Universidade Católica da América, disse que os satanistas estão usando erroneamente as leis de Liberdade Religiosa dos EUA. Esta é uma questão complicada, com vários desdobramentos legais no futuro.
Jex Blackmore, que se apresenta como porta-voz do Satanic Temple, disse que esse é apenas mais um passo para alcançar seu objetivo final que é eliminar toda lei que tenha como base um preceito religioso. Com informações Religion News e Vice

Quem resistirá ao Deus de Israel? Por Josiel Dias








Esta semana o Aiatolá Ali Khamenei, deu a seguinte declaração: “A única solução pra crise em Gaza é a destruição total de Israel, iremos caçar israelenses de casa em casa.”  Ele conclama a todos os muçulmanos para que se unam nesta guerra, também faz uma convocação as forças armadas do regime islâmico para que “elimine Israel do mapa.”
Não é a primeira vez que ameaças como esta, partem do Irã. Antes do Aiatolá Ali Khamenei, seu antecessor MahmoudAhmadinejad, já havia declarado que Israel deveria sumir do mapa.
Perguntamos: Por que tanto ódio contra Israel? O que tem por trás de tanto ódio?
Não podemos ignorar o que está por trás desses ataques e conflitos, há algo espiritual e escatológico, todo este contexto que estamos assistindo todos os dias nos telejornais aponta para o fim, “o fim dos tempos”.
A Bíblia nos mostra nações inimigas fazendo alianças para destruir e riscar do mapa o nome e a memória de Israel. Mas também vemos que Israel pelo seu Deus sairá vitorioso de todos seus inimigos; dessa grande batalha [batalha final]. Joel 3:12-17 
Hoje eu estava meditando no Salmo 83 e fiquei surpreso quando li os versos: 4 e 5, pois lembrei-me da ameaça feita pelo Líder supremo do Irã Aiatolá Ali Khamenei. Todo o Salmo 83 relata um contexto idêntico o que vemos hoje. Veja:
“Eles dizem: “Venham, vamos destruí-los como nação, para que o nome de Israel não seja mais lembrado!” Com um só propósito tramam juntos; é contra ti que fazem acordo” Salmo 83:4-5
Assim como relatado neste Salmo 83, os inimigos de Israel esquecem que por trás do Exército Israelense existe um DEUS poderoso nas batalhas. “Assim como o fogo consome a floresta e as chamas incendeiam os montes, persegue-os com o teu vendaval e aterroriza-os com a tua tempestade” - Salmo 83:14-15.
Não tenho dúvidas que o Deus de Israel peleja por eles. Algumas semanas atrás um terrorista do HAMAS declarou o seguinte: “O Deus deles altera a trajetória de nossos foguetes”.
Saibam eles que tu, cujo nome é Senhor, somente tu, és o Altíssimo sobre toda a terra.  Salmo 83:18
Plantarei Israel em sua própria terra, para nunca mais ser desarraigado da terra que lhe dei”, diz o Senhor, o seu Deus. Amós 9:15
Shalom Adonai

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

Me Ama (How He Loves) - Diante do Trono (Official Music Video)

Follow by Email

DIAS DO BLOG ON LINE.